O QUE É A ORAÇÃO?

 

(conforme os Ensinamentos dos Pleiadianos)

Por Ibiatan Upadian

 

Os ensinamentos pleiadianos são baseados na Sabedoria Divina, conhecida em nosso planeta Terra como Fundamentos de Física Quântica.

Dentro dos ensinamentos que nos são passados pelos irmãos Pleiadianos não há lugar para orações, pelo menos não na forma tradicional que conhecemos.

A oração, que a priori seria uma forma de comunicação, de “conversa”, com o Criador Primordial, foi transformada pela humanidade numa forma de mera “pedição” e “lamentação”.

Contudo, os irmãos Pleiadianos insistem que nós não temos que pedir, nem tampouco implorar nada.
Nossos deuses manipuladores (os reptilianos) nos condicionaram a acreditar que não somos ninguém, que somos coitadinhos e que vivemos aqui “de favor” deles e que por isso tudo de que precisarmos devemos implorar através de orações e da fé cega a um Deus punitivo.
Infelizmente nós acreditamos e absorvemos isto.

Assim, através das orações e da adoração ou idolatria nós damos todo o nosso poder cocriador a eles e acabamos por nunca tomar consciência que nós temos o nosso poder, que é muito maior que o deles, que é o suficiente para nos tornar seres livres, independentes e auto suficientes.
Eles não querem que seus escravos tornem-se conscientes para não tornarem-se livres, independentes e auto suficientes.

Eles não querem que nós descubramos que somos deuses criadores e que como tal temos o poder co-criador de fazer acontecer através da “IMAGINAÇÃO CRIADORA” e da “INTENÇÃO”.
Devemos estar conscientes que somos sempre divinamente guiados, protegidos e supridos e que quando precisamos de algo não devemos “pedir”, mas tão somente “comunicar” ao Criador Primordial, ao Grande Espírito a nossa “intenção”, o nosso desejo.

Desta forma, devemos nos libertar da prisão da oração, da pedição e apenas comunicar diretamente ao Criador Primordial, ou a Fonte, sem intermediários a nossa “intenção”, conforme nos sugerem abaixo os nossos irmãos Pleiadianos:

“Percebemos que alguns de vocês, devido a seu estágio de evolução, estão sempre gemendo, chorando e pedindo: ‘Precisamos de ajuda e assistência agora e sempre!’
Permitam-nos, então, sugerir uma avenida por onde possam definitivamente caminhar – uma fórmula que funciona.

A fórmula é bem simples. Todos os dias, em todos os momentos, devem determinar com clareza o que desejam vivenciar. Pode ser que o que vocês desejam se enquadre na categoria de ‘impossível’, tendo em conta as fronteiras das limitações alheias e aí nestas condições não conseguirão atingir os seus objetivos.

Mas, imbuídos do sentido do merecimento e da graça divina, descubram no vosso íntimo aquilo que é necessário para lhes trazer paz e felicidade. O que os fará sentir leves, ligados e vivos? Que desejo vocês têm que irá trazer paz ao planeta que ocupam com o vosso ser?
Quaisquer que sejam estes desejos, comecem a querê-los. Chamem-nos para vocês dizendo o que segue abaixo ou seguindo este modelo:”

Oh! Senhor, nosso Pai/Mãe Criador Primordial!
“É minha intenção ter harmonia em minha vida. É minha intenção ter saúde e energia que me levem à aventuras criativas. É minha intenção que eu seja bem provido de coisas materiais; que abrigo, alimento e todas as coisas de que eu precise para viver me sejam dadas em grande abundância para que eu as possa partilhar com os outros seres”.
Está feito, está nas mãos da luz, e assim é!

“Infelizmente vocês não foram condicionados a pensar assim, mas podem aprender.
Duas ou três vezes por dia, dediquem uma pequena porção do vosso tempo a estabelecer com clareza o que querem e criar uma egrégora de luz. Todos os dias abram os vossos centros de energia dentro e acima do vosso corpo chamando a frequência da luz.
Nós a denominamos pilar de luz.

Visualizem um raio de luz descendo do Criador Primordial sobre vocês e entrando pelos vossos doze chakras, os sete dentro do corpo e os cinco fora dele, e emitam as vossas intenções, de forma afirmativa, com muita emoção, com muito amor no peito e a certeza que elas se concretizarão.”
Assim, com a mesma certeza de que o sol irá nascer amanhã, substituam a vossa “oração” por uma “intenção”, decretem isto para si mesmos e para o cosmos e comecem a libertar-se de suas prisões, principalmente as prisões do vitimismo e do coitadismo alimentadas pela oração tradicional.”

A oração deve ser uma conversa nossa espontânea, autêntica e direta com o Criador Primordial e deve ser expressa de igual para igual, de amigo para amigo, através do nosso coração e não através de texto decorado em que nos colocamos como vítimas e coitadinhos.

As palavras chaves ou palavras de poder aqui são “EU ACREDITO”, “EU POSSO”, “EU TENHO A FORÇA” e assim é.

(com fragmentos extraídos do Cap. XXI do livro MENSAGEIROS DO AMANHECER, canalizado pelos Pleiadianos através da Bárbara Marciniak)

 

Concluindo nós lhes perguntamos: O que é a oração?

Não será a oração, na maioria das vezes, apenas mais uma forma de aprisionamento?

Autor: Instituto Mensageiros do Amanhecer
Tags