Os Wingmakers (Os Criadores com Asas) ou Pleiadianos

4 – Segunda Entrevista com Dr. Neruda, por Sarah

1998 – 2011 Wingmakers LLC

www.wingmakers.com

www.wingmakers.org.mx

https://sites.google.com/site/wingmakersbrasil

Elaborado por Sarah

 

O que segue é uma sessão de entrevista que fiz com Dr. Neruda no dia 28 de dezembro de 1997. Ele permitiu que fosse gravada. Esta é uma reprodução daquela sessão, e é a segunda de um total de cinco. Eu as mantive exatamente como aconteceram. Não foi feita nenhuma edição, e tentei colocar as mesmas palavras, frases e gramática usadas pelo Dr. Neruda.

(Para um bom entendimento, recomendo que se leia a primeira entrevista de 27 de Dezembro de 1997)

 

Sarah:

Antes de começarmos a sessão desta noite, gostaria de dizer que ouvi a gravação de nossa entrevista de ontem à noite e vou usar as informações contidas nela para formular novas perguntas. Notei que fui muito dispersa, mas hoje vou procurar focar melhor o assunto. Portanto, caso eu saia dos trilhos, por favor, me avise.

Dr. Neruda:

Vou fazer o melhor, embora não saiba qual a direção que você vai tomar.

Sarah:

Bom, acho que gostaria de ficar mais centrada nos Wingmakers e na cápsula do tempo.

Dr. Neruda:

Está bom para mim. Mas deixe-me esclarecer uma coisa antes. O local Ancient Arrow foi classificado inicialmente como uma Cápsula do Tempo Extraterrestre (CTE), mas em minha opinião não é uma cápsula do tempo.

Sarah:

Ótimo, vamos começar exatamente desse ponto. O que então é em sua opinião?

Dr. Neruda:

O local é parte de uma estrutura maior que está interconectada por meios que não entendo. Sabemos que há 7 locais que foram construídos na terra – provavelmente no século nono. Sabemos que esses locais têm alguns objetivos defensivos e quem os projetou se autodenominam como portadores de cultura, e como representantes da Raça Central.

Sarah:

Já ouvi muita coisa sobre “armas defensivas”, mas como podem essas pinturas ou os artefatos musicais serem considerados parte de uma arma defensiva?

Dr. Neruda:

Sabemos por nossas sessões de RV que os Wingmakers projetaram esses locais para serem mais que uma arma defensiva, caso contrário, como você coloca, os artefatos culturais não fariam nenhum sentido. No entanto, também não faria sentido que não estivessem relacionados com objetivos de serem uma arma defensiva. Eu levantaria a hipótese que têm despertadores de DNA.

Sarah:

Você quer dizer que ativam algo dentro de nosso DNA – assim como você descreveu na noite passada?

Dr. Neruda:

Exatamente.

Sarah:

E que isso tem a ver com arma defensiva?

Dr. Neruda:

Fazia parte de nossas hipóteses que os artefatos culturais, se estudados ou examinados, de alguma forma ativariam partes de nosso DNA. Não estávamos certos disso, mas intuí que tinha algo que estimulava nossa inteligência fluida e que permitia inputs sensoriais que tem estado dormentes dentro de nosso sistema nervoso central.

Sarah:

Qual a razão dessa hipótese?

Dr. Neruda:

Possivelmente o aprimoramento do sistema nervoso central torne mais efetiva a arma defensiva.

Sarah:

É uma tentação começar a fazer perguntas em cima do que você diz, mas vou resistir a tentação de caminhar sobre aspectos neurológicos, mesmo porque não entendo nada desse assunto.

Fale mais sobre seu papel na cápsula do tempo dos Wingmakers – ou seja lá como queira chamar.

Dr. Neruda:

Acho que para ser mais preciso e consistente, podemos chamar isto de local Ancient Arrow. Como disse antes, estou certo que não é uma cápsula do tempo.

Eu estava trabalhando com um computador que chamamos de ZEMI, ajudando na tradução dos dados contidos no disco ótico encontrado na 23ª câmara. Continha texto, pinturas simbólicas, equações matemáticas, e aquilo que se tornaram arquivos musicais.

Quando o local foi descoberto, meu objetivo principal era decodificar o disco ótico, tornar os dados compreensíveis e à medida do possível, aplicáveis no BST

Sarah:

Alguma coisa se aplicava no BST?

Dr. Neruda:

Não diretamente, pelo menos nada do que tenha lido. O texto era mais de natureza filosófica. Fui o primeiro a ler sua língua. Uma vez aberto o disco ótico, imprimimos 8.045 páginas de pinturas simbólicas como aquelas que estavam nos seus trabalhos artísticos, só que muito mais variadas, e, algumas vezes, muito mais complexas. Havia 23 capítulos de texto ou pinturas simbólicas – cada uma com aproximadamente 350 páginas.

Li o primeiro segmento ou capítulo desse texto e fiquei impressionado de encontrar determinadas passagens do texto – na introdução – que somente eram legíveis por mim. Isto foi uma confirmação adicional que o meu papel era tornar essa informação de domínio público.

Sarah:

Você está dizendo que o texto que leu desapareceu depois de você ter lido ou você o deletou?

Dr. Neruda:

Desapareceu. Se auto deletou.

Sarah:

Então somente você viu a mensagem?

Dr. Neruda:

Correto.

Sarah:

E o que dizia?

Dr. Neruda:

Se você quiser posso recitar as palavras exatas, mas vai levar alguns minutos.

Sarah:

Faça um resumo.

Dr. Neruda:

A essência dessa passagem estava validando aquilo que o ACIO já sabia – que o Animus estaria enviando sondas em 2011, e estava escrito na forma de aviso. Dizia que os Wingmakers tinham instalado uma arma defensiva no mundo que tornaria o planeta invisível para as sondas de Animus.

Sarah:

Invisível? Como?

Dr. Neruda: Não era muito preciso. Escreveram que frequências mais altas tinham sido emanadas do universo central, e que esses 7 locais continham uma tecnologia coletiva que de alguma forma coordenavam essas frequências ou energias superiores para proporcionar uma mudança na estrutura vibratória do planeta, permitindo que a vida no planeta sobrevivesse à mudança e que não fosse detectado por Animus.

Sarah:

Todas as formas de vida?

Dr. Neruda:

Tecnicamente o texto não especificava.

Sarah:

E isso somente você pôde ler?

Dr. Neruda:

Sim, o operador do ZEMI não encontrou qualquer evidência dessa parte no texto. Desapareceu completamente.

Sarah:

O que mais dizia?

Dr. Neruda:

Confirmava que estávamos tratando com a Raça Central, e que queriam que os artefatos dos 7 locais fossem compartilhados com o público. Esses elementos estavam conectados com a efetividade da arma defensiva.

Sarah:

De que forma?

Dr. Neruda:

No sentido que os materiais ativavam aspectos de nosso DNA que tornam a mudança mais fácil, ou talvez possível, não estou seguro, pois era um pouco vago.

Sarah:

Portanto, posso presumir que lendo a filosofia estou apta a me tornar invisível?

Dr. Neruda:

Penso que seja mais holístico do que isso. Eles deixaram poesia, música, pinturas e até um glossário. Parece-me que todos estes elementos – incluindo a filosofia – estão conectados. E mais, estou sugerindo que algo fundamentalmente muda quando esses materiais são absorvidos, e talvez essa mudança, seja ela qual for, tem ressonância com a tecnologia dos 7 locais.

Sarah:

Tudo isso é muito louco. Por que você acredita nisso?

Dr. Neruda:

Debrucei-me sobre os materiais e percebi mudanças.

Sarah:

Assim como?

Dr. Neruda:

Abandonei o ACIO. Para mim esta é uma mudança inimaginável.

Sarah:

Você está insinuando que os materiais que você leu o induziram a desertar do ACIO?

Dr. Neruda:

Foi uma combinação de várias coisas, mas, sem dúvida teve um impacto significativo em minha decisão. Você leu algum material que deixei com você ontem à noite?

Sarah:

Li a primeira parte e um pouco do glossário. Não consegui entender. É muito abstrato, embora tenha tido um efeito sobre mim: controlei-me para não dormir.

Dr. Neruda:

Sei que é um tanto quanto denso, mas você tem que admitir, é muito interessante pelo menos no que diz respeito a como nossos ancestrais pensam e acreditam.

Sarah:

Mas você tem uma cópia das 8.100 páginas do texto?

Dr. Neruda:

Sim.

Sarah:

E eu posso ver?

Dr. Neruda:

Sim, mas não é algo que carrego comigo.

Sarah:

Certo. Ontem à noite você mencionou que os Wingmakers tinham designado você como o porta voz deles. Também disse que queriam que você fosse a ligação deles porque Fifteen era um fantoche dos Corteums. Você poderia falar mais sobre isso?

Dr. Neruda:

Aparentemente fui selecionado para ser o porta-voz deles, e não somente para ajudar a traduzir seus textos, pinturas, e as pinturas simbólicas, mas também para ajudar a divulgar essas coisas para o público em geral. Em outras palavras, eu não acho que os Wingmakers desejavam que o conteúdo das cápsulas do tempo ficasse enterrado nos arquivos do Grupo Labirinto.

Acredito que os Wingmakers sentiram que Fifteen estava envolvido demais com os Corteums para avaliar objetivamente a cápsula do tempo dos Wingmakers e verificar como levar isso para o conhecimento do público. Não esqueça que Fifteen é extremamente focado em desenvolver com sucesso o BST (Blank Slate Technology). Se a cápsula do tempo dos Wingmakers acelerasse ou facilitasse o desenvolvimento do BST, Fifteen estaria extremamente interessado nos Wingmakers. Caso contrário deixaria de ser seu objetivo, e tiraria definitivamente do programa do Grupo Labirinto.

Cultura e filosofia eram importantes para Fifteen, mas somente para o seu desenvolvimento pessoal. . . isto não fazia parte do programa do Grupo Labirinto, a menos que estivesse diretamente relacionado com o desenvolvimento do projeto de viagem interativa.

Sarah:

Mas você não disse que no processo de decodificação e tradução do idioma deles, sua inteligência tinha sido afetada de tal forma, que isso a tornaria mais bem adaptada para o stress da viagem no tempo?

Dr. Neruda:

Não acho que isso seria uma questão de inteligência. Penso que seria mais uma questão de consciência multidimensional ou habilidade para sentir as mais altas vibrações da consciência. Talvez seja uma forma de inteligência. A mim parecia que os Wingmakers estavam preocupados particularmente em desenvolver uma percepção sensorial holística, e a razão que codificaram o seu idioma, era para desenvolver estes sentidos mais elevados. Novamente, afirmei que, para viajar interativamente no tempo, é necessário ter 7 sentidos e uma perspectiva multidimensional. Isso não pode ser feito no contexto de 3 dimensões e 5 sentidos da consciência humana normal.

Sarah:

Mas ainda. . . Se você tivesse esses ingredientes na sua consciência ou inteligência e achasse que fossem definitivos para o desenvolvimento do BST, por que Fifteen não o escutaria?

Dr. Neruda:

Ele escutou. . . O problema é que ele não concordou com minha teoria. No momento que mencionei ter tido uma interação com os Wingmakers, ele não deu crédito para as minhas afirmações.

Sarah:

O que você falou sobre suas interações que o convenceu que havia algo errado e que não fosse confiável?

Dr. Neruda:

Eu fui o primeiro a ler o idioma deles e entendê-lo. Uma vez aberto o disco ótico, nós imprimimos mais de 8.100 páginas de pinturas simbólicas iguais aquelas contidas em seus trabalhos de arte, só que com muito mais variedades, e, em alguns casos, muito mais complexas. Havia 23 capítulos de texto ou pinturas simbólicas, cada um com cerca de 350 páginas. Eu decodifiquei o primeiro segmento ou capítulo desse texto usando uma versão do índice de tradução Sumeriano, que eu havia estabelecido como sendo o código de acesso para o disco ótico.

Porém, quando comecei a decodificar e traduzir o texto, comecei também a ganhar uma compreensão maior da cultura dos Wingmakers. Eles tinham discursos filosóficos cuja leitura era fascinante. . .

Sarah:

Eu li aqueles que você deixou para mim, mas não entendi a maior parte do que diziam. Eles me pareceram muito abstratos. Eles me afetaram de tal forma que, toda vez que começava a ler, eu dormia.

Dr. Neruda:

Sei que é um pouco denso, mas também você tem que admitir que são muito interessantes, no mínimo pelo fato de representarem o que os humanos, ou pelo menos alguns humanos, acreditarão daqui a 750 anos. Eles são literalmente os únicos registros que temos de nosso futuro sistema de crenças.

Mas o que eu estava dizendo, é que eles não tinham só filosofia, tinham também poesia e anotações musicais. Então comecei a teorizar que cada câmara tinha um conjunto de objetos: uma pintura, um poema, um discurso filosófico, uma composição musical, e um artefato tecnológico que continha uma mensagem específica ou um tema. Também levantei a hipótese, que a cápsula do tempo tinha sido projetada para ser entendida unindo esses temas, da mesma forma que eu juntara os 23 símbolos principais para acessar o disco ótico.

Sarah:

E qual era a mensagem que você acredita que estavam tentando transmitir?

Dr. Neruda:

Eu não sei. Nós só havíamos terminado a decodificação de 2 câmaras inteiras quando abandonei o Grupo Labirinto. E logo depois que saí, consegui decodificar a maior parte da terceira câmara também. Porém, os artefatos tecnológicos que foram achados nas outras câmaras continuam um mistério. Na maioria dos casos, eles não tem condições de nem mesmo serem sondados por nossa tecnologia, a fim de determinar onde ou como ativá-los.

Sarah:

Ainda não entendo por que toda essa complicação de decodificação, codificação e índices de tradução Sumeriano. Pelo amor de Deus, afinal de contas eles são humanos, não são? Por que simplesmente não falam o inglês ou pelo menos uma variação do inglês? Há 750 anos atrás as pessoas falavam o mesmo idioma que falamos hoje. Por que mudariam tão drasticamente em 750 anos?

Dr. Neruda:

Eu só posso especular que, se o propósito da cápsula do tempo era ativar de alguma forma as mais altas vibrações da consciência ou inteligência, provavelmente então a cápsula do tempo foi propositadamente codificada para forçar uma decodificação. E nesse processo de decodificação, a cápsula do tempo é ativada. Se fizessem isso em inglês ou em outra língua da época, nós perderíamos a ativação de nossos mais altos sentidos. Essa é a minha teoria.

Sarah:

Você disse ontem à noite que só aproximadamente 7% do texto foram traduzidos até agora, e isso depois de meses de trabalho depois da descoberta dos índices de tradução. Se você tem a tal tecnologia de computação, que é tão poderosa, por que o Grupo Labirinto não pode decodificar e traduzir o volume inteiro do texto apertando uma tecla?

Dr. Neruda:

É mais complicado que isso. O idioma dos Wingmakers está baseado em 98 pinturas simbólicas diferentes, em vez das 26 letras de nosso alfabeto. Os índices de tradução colocados no computador foram aplicados ao texto inteiro, mas achamos tantas inconsistências na semântica que ficou literalmente impossível confiar nas versões do computador. O idioma deles é muito mais preciso que o nosso, portanto mais sensível à exatidão semântica.

Devido ao diferencial semântico era necessário conferir a tradução manualmente. Isto significava ter que checar toda 5ª palavra, para testar ou verificar seu sentido no contexto da oração e estrutura do parágrafo onde foi colocado. E somente eu e um colega que estava ajudando na tradução manual, podíamos fazer isso eficazmente.

Sarah:

Ainda parece ter levado um tempo enorme para completar somente 7% do texto. . .

Dr. Neruda:

Para cada página do texto, nós gastávamos cerca de 20 horas para conferir e garantir a precisão da tradução. A tradução é a chave para tornar a cápsula do tempo utilizável, portanto não faz sentido apressá-la e tirar conclusões erradas por causa da semântica ou de erros de tradução.

Em nossos índices de tradução há muitos lugares onde se pode errar, portanto, se não se pegar no início, compromete-se a tradução do nível seguinte. Por exemplo, há índices escritos para cada letra ou pinturas simbólicas, tem um índice para cada combinação de letras para um alfabeto de 98 caracteres. Dessa forma você pode imaginar a variedade de combinações. Também há índices para estrutura de oração e um para o contexto semântico. E sobre essas variáveis, deve se considerar a linearidade do idioma ou sua sequência.

Além disso, como disse antes, o texto tinha mais do que uma simples prosa. Tinha também anotações musicais e poesia. Assim nós exigíamos, para cada um dos 23 segmentos do texto, uma tradução que fosse capaz de discernir todas as nuances da prosa e também da poesia e da música.

Sarah:

Bom que você falou sobre a música, pois não entendo a razão desse elemento na cápsula do tempo.

Dr. Neruda:

O que você quer dizer?

Sarah:

A música já estava no disco ótico e você simplesmente pegou de lá, ou foi produzido pelo Grupo Labirinto baseado nas anotações musicais?

Dr. Neruda:

Na realidade, foi uma combinação das duas coisas. Suas anotações musicais eram muito precisas e eles deixaram amostras digitais de cada um de seus instrumentos, mesmo dos sonoros. Então, simplesmente nós traduzimos suas amostras digitais para um padrão MIDI e produzimos nossa própria versão da música. De todas as coisas que nós traduzimos, a música foi a mais fácil de produzir, e também a única que tínhamos certeza quanto a sua exatidão.

Sarah:

Então você se envolveu com a tradução da música também?

Dr. Neruda:

Sim, eu ajudei tanto na descoberta inicial das anotações musicais, como também com os índices de tradução. Eu não fui envolvido na fase de produção, embora estivesse curioso para ver como ficaria.

Sarah:

Eu posso ouvir algumas dessas composições?

Dr. Neruda:

Sim, sem dúvida. Quando desertei, o ACIO tinha traduzido com sucesso 10 das 23 composições musicais. Eu as tenho. E foram convertidas tanto para CD e como para fitas cassete. Tenho também um arquivo completo das outras 13 composições na forma original dos Wingmakers.

Sarah:

Como exatamente elas foram produzidas?

Dr. Neruda:

Você quer dizer técnica ou artisticamente?

Sarah:

Eu acho que ambas.

Dr. Neruda:

No aspecto técnico nós precisamos reduzir suas amostras até uma resolução de 384 bits para poder usá-las em nossos sistemas de computadores. Quando ouvimos as amostras de instrumentação, ficamos aliviados por ouvir sons familiares. Havia alguns que eram diferentes, mas a maior parte, as amostras digitais que foram codificadas no disco ótico, eram iguais a instrumentos musicais contemporâneos ouvidos no mundo atual. Certa vez nós pegamos suas amostras e as organizamos em oitavas, levamos suas anotações de composição e basicamente deixamos o computador selecionar a instrumentação digital baseado em suas amostras. Eventualmente isto tudo tinha que ser reduzido para um sistema máster de CD de 24 bits, foram então impressos em um CD e gravados em uma fita cassete.

Para a produção artística, realmente não havia muito mais a fazer além do que já tínhamos feito. Os computadores fizeram todo o trabalho interpretativo e praticamente toda produção. Alguns de nosso grupo tocaram as músicas em várias versões, evidentemente de uma forma amadora, apenas para testá-las. A música era muito popular, particularmente quando você a escutava em uma resolução de 384 bits.

Sarah:

Ninguém ficou impressionado que a cápsula do tempo incluía um “kit de construção musical” em vez de uma música já gravada. . . Isto é, porque nos deixaram uma interpretação de suas músicas?

Dr. Neruda:

Tudo era muito impressionante no projeto Ancient Arrow. Tudo.

Nós não sabemos por que fizeram dessa maneira, mas novamente, nossa hipótese era que os Wingmakers não tinham como trazer sua música para nosso mundo, pois, nos faltaria tecnologia para ouvi-la. Assim desmembraram a música, assim como você colocou, em um “kit de construção musical”, que nos possibilitou ouvi-la com nossa tecnologia atual. É a razão mais lógica.

Vários de nós tiveram a oportunidade de experenciar nas câmaras um e dois, uma forma totalmente integrada de expressão e foi uma experiência muito poderosa. . . isso para dizer o mínimo. Quando você ouve a música em uma resolução de 384 bits com as pinturas originais, permanecendo dentro da câmara onde elas foram colocadas, é uma experiência muito comovente e espiritual. Algo como nunca tinha experimentado antes.

Sarah:

Em que sentido?

Dr. Neruda:

É como se a sensação de existir fosse arrancada do seu corpo e irresistivelmente puxada para o portal da pintura. Há uma sensação muito forte de movimento dentro e além destas pinturas, e a música e as pinturas são apenas dois dos tipos de arte, a terceira, a poesia, também faz parte da experiência.

Sarah:

Então me fale sobre a poesia.

Dr. Neruda:

Os poemas são expressivos, com uma gama muito extensa de assuntos. Para a maioria de nós do ACIO, eles poderiam ter sido escritos por qualquer poeta contemporâneo. Não havia nada neles que pudesse determinar que fossem de uma cultura 750 anos em nosso futuro. Muitos dos mesmos temas sobre espiritualidade, amor, relacionamentos, e morte também eram evidentes em seus poemas. A maior parte das poesias foi traduzida porque não há muito texto envolvido. . . pelo menos quando se compara com os documentos filosóficos e científicos. Em cada câmara há duas poesias, portanto ao todo são 46.

Sarah:

Isso é interessante. Todos os outros — as pinturas, música, artefatos, filosofia — tem apenas um por câmara. Por que você acha que eles colocaram dois poemas em cada câmara, em vez de um?

Dr. Neruda:

Em minha opinião era para dar uma perspectiva mais ampla de um determinado tema representado por uma câmara específica. A poesia foi criada de tal forma que permite se ter uma perspectiva tanto pessoal quanto universal de cada uma das câmaras. . . mas novamente, é apenas uma hipótese de trabalho, até o momento.

Sarah:

Posso concluir então que a poesia é também um pouco menos abstrata quando comparada à filosofia e as pinturas. Você analisou como a poesia está relacionada com as pinturas?

Dr. Neruda:

Sim. E acredito que a poesia e as pinturas têm a mais forte conexão entre todos os outros objetos em cada uma das câmaras. Penso que as pinturas ilustram, de uma maneira sutil, os temas representados na poesia. Em alguns casos, quando a pintura representa um conjunto de objetos abstratos, a poesia também é mais abstrata. Quando a pintura é mais ilustrativa, a poesia parece mais como prosa.

Sarah:

Você está dizendo então que a poesia leva o significado central de cada câmara?

Dr. Neruda:

Eu não estou seguro, mas parece que a poesia é de alguma maneira representada simbolicamente na pintura da câmara que está associada. O problema é que a poesia é de interpretação tão subjetiva que é impossível entender seu tema com precisão. Eu deveria ter mencionado antes, mas a gramática e sintaxe do idioma deles são muito diferentes do nosso, de tal forma que as sentenças não têm fim, pois não são marcadas com pontos.

Em outras palavras, se fizéssemos uma tradução literal, não haveria nenhuma estrutura de oração. . . estaria mais perto de uma sintaxe lógica. . . e o significado fluiria dentro de uma linguagem abstrata, que seria muito difícil de ser entendida pela maioria das pessoas. Quando eu estava fazendo as traduções da poesia, coloquei em uma estrutura de oração que fragmentava seu significado, portanto, poderia ser mais bem entendida. Talvez no processo eu tenha mudado o significado sem querer, mas, ou era assim ou a poesia seria por demais abstrata para ser assimilada.

Sarah:

Há uma conexão entre a poesia e a filosofia de cada câmara?

Dr. Neruda:

Meu colega e eu sentíamos que todos os objetos dentro de uma câmara específica estavam conectados. . . mas seguiam uma determinada linha que não conseguíamos pesquisar. Estávamos constantemente preocupados que nossos índices de tradução estavam de alguma maneira inexatos, e que isto estava limitando nossa habilidade para ver a conexão entre os vários objetos. E sem dúvida, a mais enigmática conexão era os artefatos de tecnologia, pois nós não tínhamos como pesquisá-los ou tirar qualquer conclusão sobre sua finalidade ou objetivo.

Sarah:

Falemos um pouco sobre os artefatos achados em cada câmara. O único sobre o qual se comentou foi o disco ótico encontrado na 23ª câmara. Eu sei que você me mostrou algumas fotografias dos outros, mas poderia descrevê-los melhor com respeito a como você os analisou, e quais são as idéias para conectá-los como um todo com a cápsula do tempo?

Dr. Neruda:

O disco ótico é o único artefato dos 23, que nós achamos que o ACIO tinha acessado com sucesso, pelo menos até onde sei. Os outros artefatos foram todos levados para o laboratório de pesquisa do Grupo Labirinto na Virgínia, logo após sua descoberta. Esses artefatos nunca foram conhecidos por ninguém abaixo do nível 12. Havia fortes rumores dentro do ACIO que existiam tecnologias dentro da cápsula do tempo, mas nunca foram considerados seriamente, e com certeza, também não foram pela NSA.

Fifteen tinha uma grande curiosidade nos artefatos de tecnologia por que poderiam representar possíveis soluções para BST. E, como mencionei antes, Fifteen e a maioria do Grupo Labirinto relacionada com o assunto, sentiram que os Wingmakers poderiam representar o futuro do Grupo atuando no presente, à medida que tentavam passar sua tecnologia de viagem interativa no tempo para nós. Portanto, Fifteen logicamente considerou que esses artefatos poderiam representar uma peça nesse quebra-cabeça e que, até aquele momento, não havia percebido.

Sarah:

Mas o que eu vi não parece uma coisa tão avançada ou baseada em alta tecnologia. Eles poderiam passar por simples cristais ou pedras. . . ou algo orgânico. Por que o Grupo Labirinto estava tão convencido que poderiam significar a chave para a viagem no tempo?

Dr. Neruda:

As estruturas cristalinas que foram achadas, na maioria dos casos, pareciam bem comuns quando eram visualmente examinadas, pareciam ser cristais. Mas quando você examinava suas características moleculares e atômicas, ficava claro que eram objetos feitos pelo homem. Isto é, eram estruturas cristalinas sintéticas, e nós mantivemos a hipótese que elas foram codificadas com informações, assim como o disco ótico e as pinturas. Consideramos também a hipótese que foram conectadas potencialmente com o disco ótico, pois foi o último dos artefatos e parecia o equivalente a uma pedra chave ou uma chave mestra.

Sarah: Algum texto traduzido do disco ótico faz referência aos outros artefatos?

Dr. Neruda:

Não, para nosso infortúnio, não havia nenhuma referência. . . pelo menos até agora.

Sarah:

Na realidade você não respondeu minha questão sobre se você sentiu que havia uma conexão entre os artefatos de tecnologia e os artefatos culturais específicos relacionados com cada câmara.

Dr. Neruda:

Desculpe. Acho que hoje é a minha vez de sair fora do assunto. De qualquer maneira, sim, havia conexões. . . nós tínhamos certeza disto, mas ao mesmo tempo, por não podermos trabalhar com os artefatos e examiná-los, não conseguíamos provar nossa teoria. Por conseguinte, colocamos todo nosso tempo e energia no disco ótico, mesmo porque parecia ser o mais importante dos artefatos, como também era o único que tínhamos a oportunidade de acessar através de nossa tecnologia.

Sarah:

Mas você não havia me dito anteriormente que tinha levado um ano para deduzir como acessar o disco ótico?

Dr. Neruda:

Sim, isso é verdade. Mas você tem que ter em mente que os artefatos de tecnologia eram totalmente estranhos para nossas tecnologias. Diferentemente do disco ótico, as outras tecnologias eram uma combinação de materiais sintéticos baseados em estruturas orgânicas, e em alguns casos tinham até DNA humano dentro de suas estruturas. Estes eram. . .

Sarah:

Você está dizendo que as tecnologias eram em parte humanas?

Dr. Neruda:

Sim… de certo modo. Mas o que eu ia dizer, é que estes artefatos pareciam ter estruturas moleculares baseadas em sistemas de computador que seriam ativados por um toque humano específico. E nós não estávamos certos se era literalmente um humano específico, ou um tipo específico de humano, ou talvez qualquer humano em um estado específico de emoção ou mente. Nós tínhamos 115 possíveis experiências desenvolvidas para testar e todas falharam. Então nós desistimos de acessar os artefatos de base orgânica e concentramos nossas energias e tecnologias para acessar o disco ótico.

Sarah:

Mas isso é realmente estranho. . . por que estaria um DNA humano dentro de uma tecnologia. . . e essa conversa sobre cristais sintéticos. . . isso me deixa confusa.

Dr. Neruda:

Nós tivemos algumas sensações parecidas até que traduzimos um pequeno trecho que estava dentro do disco ótico. Os documentos filosóficos das câmaras um e dois nos convenceram que os Wingmakers realmente poderiam ser autênticos, e nós não tínhamos nenhuma outra razão para desacreditar de sua história. Isso não quer dizer que passamos a acreditar em tudo e deixar de lado nossa cautela, mas a filosofia era algo novo para compreendermos como percebiam sua missão em relação à humanidade atual.

Sarah:

Eu não sei. . . Eu li os dois primeiros documentos de filosofia que você deixou comigo, e poderia até acreditar que vem de uma raça alienígena. Poderia também acreditar que são de uma raça inescrupulosa que usa filosofia e todos esses materiais culturais para nos induzir a acreditar que são benevolentes, quando na realidade não são. Refiro-me a aquela parte da profecia que você falou ontem à noite.

Dr. Neruda:

Vejo que você continua sendo uma jornalista cética. Fico feliz de ver essa reação.

Sarah, tudo que posso dizer é que quando se considera todos os artefatos culturais encontrados dentro do Ancient Arrow, e se entrega totalmente ao estudo dos seus conteúdos e filosofia, fica difícil de acreditar que provem de uma mente que tem más intenções ou malévola.

Sarah:

A menos que seja exatamente isso que queiram que se acredite.

Dr. Neruda:

Talvez. É difícil discutir sobre isso. Acho que chega em um determinado ponto que a decisão é pessoal. O Grupo Labirinto, e estou incluindo os Corteums quando digo isso, estavam de acordo que era uma descoberta autêntica e sentiam confiança que não estávamos lidando com uma fraude. Mas nós nunca fechamos as portas para essa possibilidade. Nossos Diretores de segurança e operações tinham planos de contingência em caso de evidências que aumentassem a probabilidade de fraude ou má fé.

Sarah:

Uma das coisas que me pareceu estranho quando olhava as fotografias das pinturas da câmara, foi a semelhança entre todas elas. Sem dúvida foram feitas pelo mesmo artista. . . ou talvez um grupo de artistas. Mas quando eu penso em uma cápsula do tempo, eu pensaria que se incluiria uma variedade de arte, de uma também variedade de artistas, que representam uma diversidade de perspectivas e assim sucessivamente. O que não é o caso aqui. Por que você acha que isso é dessa maneira?

Dr. Neruda:

Eu não acho que o motivo deles era nos informar sobre seus artistas ou sobre a diversidade de sua cultura. Penso que eles entendem a função da arte inicialmente como uma forma de comunicação, e depois como uma forma de viagem no tempo ou uma saída para fora da consciência do corpo. As 23 pinturas vistas como um todo, parecem convidar a consciência do observador a literalmente entrar no mundo dos Wingmakers. Como se fossem portais, e eu experimentei isso. As pinturas são incrivelmente brilhantes nas suas cores. Você realmente não pode imaginar o impacto que elas causam quando você as vê pessoalmente no próprio local, principalmente depois que foram limpas e a restauração foi completada. Mas até mesmo quando foram descobertas, sem que ninguém as tocasse, era impressionante a luminosidade que tinham e como suas cores continuavam vibrantes depois de 1.150 anos. Houve muitas vezes, no período em que estávamos fazendo a restauração e catalogando os artefatos, que alguns de nós sentavam nas câmaras e ficavam olhando estupefatos as pinturas. Em várias ocasiões eu fiz isso, apenas permitindo aos meus olhos viajarem pelas pinturas, e imaginando a intenção do artista e o que estava tentando comunicar. Foi uma experiência muito, muito forte. . . algo como nunca tinha experimentado antes.

Sarah:

Acho que ficaria um pouco assustada.

Dr. Neruda:

Só estou rindo porque tive essa experiência. Uma noite, depois de um longo dia de trabalho nas câmaras, fiquei por último no local. Eu tinha estado tão absorto naquilo que estava fazendo, que me lembrava vagamente que havia sido dito para acionar o sistema de segurança na minha saída. Passada por volta de meia hora, finalmente percebi que estava sozinho dentro da cápsula do tempo. . . o silêncio era incrível. De qualquer forma, eu estava descendo o corredor que ligava todas as 23 câmaras, e que passava por todas as câmaras, quando então comecei a sentir uma presença muito opressiva, esmagadora. Toda vez que eu examinava uma das câmaras, eu tinha a impressão que alguma coisa das pinturas iria saltar sobre mim. Elas pareciam incrivelmente vivas.

Nossa iluminação era de excelente qualidade, feita através de um sistema alógeno portátil e todas as câmaras eram equipadas igualmente com esse mesmo sistema. Quando atingi o fundo do corredor, que nós chamávamos de escada caracol, e olhei dentro da câmara dois, vi claramente um movimento e levei um tremendo de um susto. Na realidade não era medo, e sim excitação… talvez uma mistura de ambos. Esse movimento era simplesmente uma imagem borrada de algo saindo da pintura e que desaparecia aos poucos. . . Eu realmente não pude. . .

Sarah:

O que era aquilo? Era humano?

Dr. Neruda:

Eu não tive condições de vê-lo o suficiente para lhe dizer o que realmente era, mas agora que tive algumas interações com os Wingmakers, sei que eram eles. Eles estavam usando essas pinturas de alguma maneira para aparecer no nosso tempo. Foi logo depois dessa experiência que comecei a teorizar que as pinturas eram de fato portais que poderiam tornar viável a viagem no tempo ou algo assim.

Sarah:

Isto pode parecer estranho, uma pergunta boba, mas como você sabe que isso tudo não era um truque? Que alguém ou algum grupo criou todas essas coisas para dar a impressão de ser algo extraterrestre ou uma cápsula do tempo do futuro, apenas para se divertir com a confusão que iria causar nas cabeças de quem descobrisse tudo aquilo?

Dr. Neruda:

A única coisa que sabemos com certeza, é que isso não é um truque. O local onde está o Ancient Arrow é uma enorme estrutura de pedra que foi literalmente escavada na forma de uma escada em caracol, que a cada 30 metros tem uma saída para cada uma das 23 câmaras. Seria necessária uma tecnologia incrível para construir aquela estrutura. Nós datamos com precisão a época que as pinturas das câmaras foram criadas, e isso aconteceu no 9º século, e temos certeza que essa tecnologia não existia nesse período.

Sarah:

Eu não estou tentando argumentar com você. . . mas se esses artefatos realmente forem de um tempo 750 anos no nosso futuro, não parece estranho que tenham sido enterrados dentro de uma pedra enorme no meio do nada… no Novo México. Não parece mais estranho ainda que tenham tido todo esse trabalho e, para piorar as coisas, fizeram de tal forma que se tornou quase impossível entender o que estavam tentando dizer? Você entende o que estou dizendo?

Dr. Neruda:

Sim, eu entendo, e não tomo suas perguntas como argumentativas. Mas o ponto é que essa cápsula do tempo, ou seja lá como você quiser chamá-la, realmente é um conjunto de objetos reais. E esses objetos nem mesmo correspondem ao mesmo período. Por exemplo, enquanto as pinturas foram criadas aproximadamente há 1.150 anos atrás, os artefatos nem mesmo respondem ao nosso carbono 14 ou a análises bioquímicas. Para complicar ainda mais, as pictografias que começaram a aparecer misteriosamente dentro e ao redor do local do Ancient Arrow, foram criadas nos últimos 50 anos, e podem muito bem terem sido feitas no ano ou mês em que o local foi descoberto.

Esses objetos reais são considerados um enigma, mas ao meu ver não são uma fraude. A grande pergunta é se a identidade dos Wingmakers é como realmente eles mostram — um aspecto futuro da humanidade ou uma raça alienígena que visitou a terra por volta do ano 850 D.C.

Sarah:

Ok, digamos que não seja uma fraude. Então me diga, por que você está tão convencido que é uma cápsula do tempo. Para mim parece ser mais um dispositivo de comunicação. . . ou talvez uma ferramenta educacional de algum tipo. Por que uma cápsula do tempo?

Dr. Neruda:

Em parte porque parecia que seus criadores queriam compartilhar a cultura deles conosco. Quando iniciamos nossas análises do local (Ancient Arrow), sentíamos que tudo dentro das câmaras era alienígena. Inicialmente estávamos convencidos que era um local para contatos com ETs, e consideramos até mesmo a possibilidade de que tinham deixado tudo aquilo para vir buscá-los posteriormente. . .

Sarah:

Tipo de um depósito dos ETs?

Dr. Neruda:

Sim. Porém, algumas pinturas descreviam os humanos, e as paisagens eram da terra — especificamente daquela região do planeta no Novo México setentrional. Assim, para nós parecia menos provável que era de uma raça alienígena. Nós também vimos evidências que houve interações com os precursores das tribos dos Navajos e talvez dos índios Hopi, conhecidos atualmente como os índios Anasazi. E novamente, isto foi concluído pelas pinturas. . . que inicialmente eram os únicos registros reais que podíamos interpretar.

Lembro que tínhamos um total de 47 cenários possíveis desenvolvidos. Nosso cenário mais provável, ranqueado por nossos computadores, era que o local Ancient Arrow representava uma raça de ETs que tinha deixado para trás o equivalente a um museu que registrava suas interações com os índios Anasazi. Nosso segundo mais provável cenário era que o local representava uma cápsula do tempo, também abandonada pela versão futura do Grupo Labirinto.

Sarah:

Isso ainda me parece estranho. . . por que vocês acharam que era uma versão futura do Grupo Labirinto?

Dr. Neruda:

O Grupo Labirinto usa como seu símbolo de identificação três círculos concêntricos, que cercam uma esfera. Havia amplas representações desse símbolo nas suas pinturas. Também, nos parecia muito estranho que tínhamos descoberto esse local da forma como aconteceu. . . sentia literalmente como se tivéssemos sido guiados para aquele local. E lembre-se que Fifteen estava muito confiante na visão do Grupo Labirinto de desenvolver o BST, e sabia que a versão futura do Grupo Labirinto faria contato de alguma forma. Era só uma questão de quando e como.

Sarah:

Eu sei que devo ser a pessoa mais cética que você já encontrou, mas ainda não me parece uma cápsula do tempo.

Dr. Neruda:

Eu não estou dizendo que você está errada. Eu só estou lhe dizendo que é dessa forma como está classificado dentro do Grupo Labirinto. Pode muito bem ter múltiplos significados e propósitos. Para mim é mais do que uma cápsula do tempo, embora acredite que tenha elementos para tal.

Sarah:

Então, qual seria o objetivo principal que você acha?

Dr. Neruda:

Se você avalia os Wingmakers pela primeira impressão, o que eles dizem é que é uma cápsula do tempo que ajudará a facilitar o desenvolvimento de uma cultura global. Eles dizem isso de alguma maneira, quando forem descobertas todas as sete cápsulas do tempo, que elas servirão como uma ponte de comunicação entre humanos de hoje e seus próprios selfs de seu futuro.

Sarah:

Eu li o memorando que o Dr. Sauthers escreveu e me lembro dessas declarações também, mas uma cultura global parece tão improvável. . . tão impossível. E, além disso, como esses objetos poderiam ser usados para construir uma cultura global? Parece-me um pouco ingênuo.

Dr. Neruda:

Tudo que posso dizer é que isso está relacionado com a Internet e a uma nova tecnologia de comunicação que os Wingmakers chamaram de OLIN (One Language Intelligent Network – Rede Inteligente de um Único Idioma). Se você ler a seção do glossário que deixei com você, lá tem algo que se refere a isso. Os Wingmakers parecem sentir confiança que a tecnologia OLIN ajudará a criar uma cultura global através da Internet. Acidentalmente, isso é consistente com profecias que diziam que o Grupo Labirinto teria conhecimento desde 1.500 anos atrás. Claro que a tecnologia mencionada não era chamada de OLIN, mas a noção de uma cultura global e de um governo unificado foi predito durante muitos séculos.

Sarah:

Isto é o que George Bush chamava de a Nova Ordem Mundial?

Dr. Neruda:

Sim, mas houve quatro outros presidentes que tinham conhecimento deste conceito.

Sarah:

O que fariam as pessoas do mundo se decidissem por uma unificação sob um único governo, mais ainda, criar uma cultura global. . . seja lá o que isso possa significar? Eu não consigo ver isso acontecendo. . . pelo menos enquanto eu viver.

Dr. Neruda:

De acordo com os Wingmakers isto acontecerá através da economia digital e depois pelo conceito da tecnologia OLIN da Internet. E por esta rede global, o entretenimento e todo conteúdo educacional serão globalizados. Esta é a base de uma cultura global com um comércio e comunidades unificados. Tendo acertado essas peças da infraestrutura, então a necessidade para governar esta infraestrutura será um problema a ser solucionado com urgência. E a ONU é órgão lógico para assumir essa responsabilidade. Desde que as pessoas do mundo permitam a digitalização da economia e aceitem o conceito da tecnologia OLIN, um governo e uma cultura globalizados emergirão naturalmente.

Sarah:

E como você disse ontem à noite, isso está previsto para acontecer em 2018. Está correto?

Dr. Neruda:

De acordo com a profecia é nessa data que a ONU garantirá eleições iniciais para um governo mundial unificado. E não será uma autoridade toda poderosa e centralizada, mas mais um centro de decisão de política pública global e organização de execução para assuntos que afetem o mundo como um todo. Assuntos como poluição, efeito estufa, disputas por fronteiras, viagens espaciais, terrorismo, negócios, comércio, upgrades da tecnologia OLIN, e programas gerais de transferência de tecnologia.

Sarah:

E o que vai acontecer com a soberania nacional depois que a ONU assumir esse novo papel?

Dr. Neruda:

Gostaria muito de responder sua pergunta de uma forma especulativa, mas também gostaria de lembrá-la de seu pedido no início da entrevista para avisá-la quando você saísse fora do foco do nosso assunto. . .

Sarah:

Não, você está absolutamente certo. Desculpe. Voltemos para os artefatos. . .quais eram as condições do local assim que você entrou. . . ou melhor ainda, por que você não descreve como foi a primeira vez que entrou no local.

Dr. Neruda:

Eu era um dos cinco do ACIO que viajaram para o Novo México a fim de explorar o local assim que foi estabelecido que tinha possíveis implicações com ETs. Na ocasião, nenhum de nós sabia qualquer coisa que pudesse nos levar a concluir que o Ancient Arrow se tornaria uma descoberta importante.

A única pista que tínhamos era um artefato que tinha sido descoberto perto do local, e que muito mais tarde concluiu-se como sendo a entrada do interior da câmara da cápsula do tempo. Foi este artefato que levou o projeto para o controle do ACIO, pois a NSA considerou-o como tendo possíveis origens extraterrestres.

Sarah:

O que especificamente levou a NSA concluir que o artefato era alienígena?

Dr. Neruda:

Como todos os outros artefatos, este também não mostrou nenhuma resposta à análise do Carbono 14 e tinha estranhas gravações ou símbolos que pareciam de outro mundo. Tinha uma composição de titânio-beryllium em alto grau de pureza, que como você deve saber, é extremamente raro. Também, e talvez mais importante, não havia nenhum modo óbvio para ativar o artefato ou acessar seus controles interiores. Seu interior era imune a vários tipos de análises, até mesmo radiografias não penetraram o objeto.

De qualquer forma, o ACIO ficou encarregado do artefato e o avaliou como tendo origens extraterrestres e então começou a investigar a região na qual foi achado. Inicialmente não obtivemos resultados, mas em uma visita subsequente pudemos usar o artefato porque um de nossos cientistas, totalmente sem querer, percebeu como ativar o artefato. Nós quisemos ver qual seria o efeito, se é que teria algum efeito, se o ativássemos no local onde tinha sido encontrado.

Sarah: É aquele artefato cuja fotografia você me mostrou?

Dr. Neruda:

Sim.

Sarah:

Por que vocês achavam que era importante ativá-lo onde foi achado?

Dr. Neruda:

Porque se pensava que era um tipo de bússola ou baliza de correção de rumo. Nós não estávamos seguros, mas no laboratório não pudemos determinar nenhum propósito funcional, assim, parecia uma experiência lógica ver como o dispositivo funcionaria na área na qual foi descoberto.

Esta foi a primeira vez que eu tinha sido convidado para ir ao local. Assim, voltando para minha história, este grupo de pesquisadores do ACIO entendeu como usar esse dispositivo para localizar a entrada para o interior da parede do canyon, onde a cápsula do tempo estava escondida. O dispositivo, quando ativado, parecia passar ondas de pensamento ou quadros mentais que induzia a pessoa para onde ir. O líder do nosso grupo foi quem segurava o dispositivo e que o ativou fora do local. Então começou a ver quadros que o conduziram imediatamente a uma estrutura parecida com uma caverna, enfiada 20 ou 30 metros dentro de um das cavidades da parede do canyon.

Sarah:

Parece um pouco estranho que vocês tenham achado o interior do local usando este artefato que você tinha mencionado antes. . . Isto é, não parece um pouco conveniente demais encontrar esse artefato bem na frente da entrada e então guiá-los para dentro? Já existia uma entrada ou vocês tiveram que dinamitar para entrar?

Dr. Neruda:

O caminho para o interior estava inteligentemente escondido atrás de uma caverna natural, que por sua vez também estava escondida debaixo de arbustos naturais. A caverna tinha aproximadamente 25 metros de comprimento e conduzia para dentro da parede do canyon. Nós achávamos que era uma habitação indígena de algum tipo, que tinha sido há muito tempo abandonada. No fim da caverna havia uma pequena câmara que saia para o lado, e na parte de trás dessa câmara havia uma pedra grande e plana no chão. . . talvez dois metros e meio de largura por dois decímetros de espessura. O dispositivo ou artefato que tinha sido encontrado antes estava emitindo quadros mentais ao nosso líder do grupo, que estava convencido que isso o conduzia para esta pedra plana. Nós tentamos mover a pedra, mas era muito pesada, até mesmo para nós cinco.

No dia seguinte voltamos para o local com picaretas e marretas, e começamos a tediosa tarefa de quebrar a pedra. . .

Sarah:

Então vocês estavam convencidos que havia algo debaixo da pedra?

Dr. Neruda:

Nós imaginamos que havia uma razão para o dispositivo enviar uma imagem tão clara para nosso líder sobre essa pedra plana que ficava na parte de trás da caverna natural. Parecia lógico que o dispositivo, se fosse um dispositivo de correção de rumo de algum tipo, poderia estar nos conduzindo a algo que tinha sido projetado para nos ajudar a achar.

Depois de quase duas horas quebrando a pedra, nós pudemos verificar que realmente havia um túnel debaixo dela. O túnel era em forma de “J” e tinha mais ou menos um metro de diâmetro. Nos alternamos e um de cada vez deslizou pelo túnel abaixo, e nos deparamos com a entrada da escada em caracol.

Sarah:

Assim todos os cinco estavam dentro dessa. . . dessa escada em caracol olhando em volta com lanternas. O que passou pela cabeça de vocês nesse momento?

Dr. Neruda:

Todos nós estávamos muito excitados e também um pouco apreensivos. Nós pensamos que iríamos achar um local de ETs, e não imaginávamos que poderia ser um local ativo. . . o que nos fez ficar atentos. O dispositivo, ou artefato, começou a emitir uma frequência de som que continuou subindo a medida que avançávamos no túnel e quando chegamos na primeira câmara, parou completamente. . . como se seu objetivo fosse apenas nos conduzir até lá.

Sarah:

E essa coisa toda tinha sido esculpida na pedra?

Dr. Neruda:

Era totalmente feito pelo homem. . . ou alienígena. . . e nós percebemos isso no momento que saímos do túnel de passagem. Era como se estivéssemos entrando em um mundo completamente novo. Era totalmente silencioso; o ar era frio, mas não um frio desconfortável. Não havia nenhum sinal de vida, e parecia como se tudo tivesse um propósito. . . um propósito inteligente que nós não víamos a hora de desvendá-lo.

Era incrível a sensação de entrar e andar em um mundo surrealista. Um mundo que tinha sido criado por algo completamente alienígena. Nós assumimos que era uma construção feita por ETs no momento que saímos do túnel em “J”.

Sarah:

Mas como vocês perceberam imediatamente que era uma construção artificial, e não um conjunto natural de câmaras ou cavernas?

Dr. Neruda:

No começo da escada em caracol havia petroglifos trabalhados esculpidos na pedra com tal precisão que nunca havíamos visto antes. Também, o sistema todo do túnel era muito liso, quase polido, para ser uma construção natural. Havia um sentido arquitetônico. . . como se alguém tivesse desenhado com extremo cuidado e com algum objetivo.

Espantosamente não havia nada no chão. Nem mesmo um seixo ou um grão de areia. Toda superfície estava completamente limpa, lisa, e polida. Havia pó, mas só pó. E algo como uma camada de polímero tinha sido aplicada em cada centímetro quadrado da estrutura, inclusive no teto.

Quando nós chegamos na primeira câmara, que está a apenas 30 metros da entrada, me recordo claramente de uma sensação de estupefação ou algo semelhante a uma experiência religiosa, eu suponho. Assim que nossas lanternas iluminaram a primeira pintura da câmara, todos ficaram mudos durante um bom tempo. Com todas as lanternas convergindo na direção da pintura, o silêncio era total e ficamos uns 40 segundos boquiabertos dentro daquela estrutura que parecia um túmulo. Eu fui o primeiro a falar, e tudo que disse foi “Isso não é coisa de Navajo ou qualquer outra tribo indígena”.

Sarah:

Você encontrou todas as câmaras naquele mesmo dia?

Dr. Neruda:

Sim. Nós fomos de câmara em câmara sentindo como se tivéssemos tropeçado em um museu de história natural alienígena. Você tem que entender que nossa iluminação não era muito boa, pois não esperávamos precisar mais do que simples lanternas. Tenho uma lembrança muito viva de quando vi pela primeira vez as pinturas das câmaras e fiquei boquiaberto. . . hipnotizado pelo anacronismo incrível do lugar. Eu nunca tinha estado em um ambiente tão surrealista. . . era ao mesmo tempo misterioso e encantador.

Sarah:

Qual era o tamanho das câmaras e suas respectivas pinturas?

Dr. Neruda:

As câmaras eram relativamente pequenas. . . aproximadamente quatro metros de diâmetro com teto bastante alto, talvez uns seis metros.

Sarah:

Pelas fotografias das pinturas das câmaras que vi, parecem ser bem grandes.

Dr. Neruda:

Sim, elas são grandes e ficam sempre na entrada da câmara. Se você permanecer do lado de fora de uma câmara específica, você não vai conseguir ver a pintura inteira; é muito grande. Você tem que entrar na câmara para ver o quadro inteiro.

Sarah:

Quais são os atributos artísticos dessas pinturas, na opinião do Grupo Labirinto?

Dr. Neruda:

Ninguém, dentro do Grupo Labirinto, se considera um crítico de arte, posso lhe garantir. Acho que é justo dizer isso daquele grupo que viu as pinturas no seu ambiente original — as próprias câmaras — eles acharam que os atributos artísticos estavam na sua atratividade, até mesmo cativantes. Imagino que aqueles que as viram unicamente em fotografias, pensaram que elas eram menos arte e mais uma peça importante em uma obra genial, assim como uma ilustração em um livro infantil.

Sarah:

Sem querer mudar de assunto, mas continuo querendo saber como você me escolheu. Eu sei que você disse que foi totalmente por acaso, mas por que você selecionou um jornalista comum para compartilhar esta história? Por que não um cientista ou alguém que pelo menos pudesse fazer perguntas mais sofisticadas? Confesso que me sinto completamente inadequada para entrevistá-lo, principalmente porque nem mesmo sei que perguntas deveria estar fazendo. . .

Dr. Neruda:

Você está indo muito bem. . . muito bem. Você não deveria se preocupar com as perguntas. Elas são espontâneas e muito perceptivas. E a maioria das pessoas que vai ler essa informação, estará mais interessada nas coisas que você perguntou do que por perguntas que fariam físicos ou pessoas envolvidas com ciência.

Sarah:

Talvez, mas tenho uma sensação incômoda de que se pudesse fazer perguntas científicas, provavelmente você teria mais condições de provar sua história e ganhar mais credibilidade. Começo a achar, que de alguma maneira, torno as coisas difíceis para você.

Dr. Neruda:

O que exatamente você sente que não está me perguntando?

Sarah:

Acredito que principalmente coisas relacionadas com viagem no tempo e BST. Ontem à noite você falou sobre algumas coisas que quando as li novamente hoje cedo, senti como se eu devesse ter feito perguntas mais profundas. . .

Dr. Neruda:

Por exemplo. . .

Sarah:

Esse é o problema, eu não sei.

Dr. Neruda:

Sarah, a razão por eu a ter escolhido foi simples. Eu precisava achar alguém que soubesse como acessar os principais meios de comunicação, e ainda fosse relativamente desconhecida. Se eu tivesse escolhido um editor de ciência de um grande jornal, teria que responder perguntas mais científicas e não teria condições de falar sobre as implicações culturais, artísticas, e sociais do projeto Ancient Arrow. De minha escolha ao acaso, eu sabia que você não tinha nenhuma imagem formada para proteger, que sabia como acessar a imprensa, e que poderia fazer perguntas que não trairiam sua identidade. Isso é por que nós estamos falando agora. . . e também pelo fato que você não me considerou um louco.

Sarah: Eu nunca lhe perguntei isto antes, mas fiquei curiosa, fui o primeiro jornalista com quem você conversou, ou teve alguém antes?

Dr. Neruda:

Não, você foi a primeira e única pessoa fora do Grupo Labirinto com quem conversei sobre esta história.

Sarah:

Eu gostaria de mudar ligeiramente o assunto e lhe perguntar sobre a personalidade de Fifteen… tudo bem?

Dr. Neruda:

Sim, não tem problema.

Sarah:

Como é ele como líder?

Dr. Neruda:

Ele é extremamente “focado”, e exige o mesmo de todos que trabalham com ele. Trabalha exageradamente. Dorme por volta de quatro horas e trabalha o resto de seu tempo em algum aspecto do BST. Se houver pesquisa ou desenvolvimento de novas tecnologias que não têm um impacto específico e estratégico em BST, ele não se envolve. Nem mesmo pergunta sobre o andamento de projetos desse tipo, e que geralmente são de responsabilidade do ACIO, e sempre há três ou quatro projetos que não estão relacionados com BST. Dentro do Grupo Labirinto, todo projeto é relacionado a BST.

Sarah:

Qual é sua aparência?

Dr. Neruda:

Ele tem uma altura média, cabelos cinza bem compridos, até os ombros, e presos em forma de rabo-de-cavalo. Ele sempre me faz lembrar Pablo Picasso com cabelo comprido. . . tem aqueles mesmos olhos penetrantes. Ele é originário da Espanha, assim não é nenhuma coincidência que ele se pareça com Picasso. Sua mais notável característica são seus olhos, que na aparência são maliciosos como você esperaria de uma criança que fez algo errado, mas no fundo, cria algo maravilhoso, apenas que ninguém ainda entende a parte maravilhosa. Isso é o que você percebe no fundo de seus olhos.

Sarah:

Eu já posso lhe ter perguntado isso, mas qual a idade dele?

Dr. Neruda:

Ele tem por volta de 60 anos, eu acho, ou pelo menos parece ter essa idade. Nunca ouvi alguém falar a idade dele. Sei que quando era estudante, parecia velho para a idade dele. Acho que seus cabelos começaram a ficar cinza quando tinha uns vinte anos, e provavelmente era por isso que achavam que era mais um professor do que um estudante.

Sarah:

Você disse anteriormente que ele tinha sido expulso da escola. Por quê?

Dr. Neruda:

Mesmo na idade em que a maioria dos adolescentes está preocupada com namoricos e festas, ele já estava trabalhando no BST. . . ou pelo menos em versões embrionárias de viagem no tempo. Ele é um desses visionários que entram no mundo físico e descobrem muito cedo o que veio fazer. Fifteen nasceu para a viagem no tempo. Ponto. . . fim da história. É só com isso que se preocupa.

Nos anos cinquenta, pesquisar BST era considerado um desperdício de tempo, sem querer fazer trocadilho. Era simplesmente muito teórico e desconectado de qualquer coisa prática. Também acho que Fifteen irritava seus professores, pois era tão brilhante como estudante que intimidava a maioria deles. Ele também é muito teimoso, e quando os professores lhe disseram que mudasse o rumo de sua pesquisa para algo mais prático, Fifteen lhes disse que pensavam pequeno demais. . . ou algo parecido. Depois daquele semestre ele foi expulso. Pelo menos essa foi a história que me contaram.

Porém, o Bell Labs o contratou por um curto período, pois, sua pesquisa sobre objetos quânticos e como eles poderiam ser influenciados pela consciência, interessava a eles.

Sarah:

Perdoe-me, mas o que exatamente são “objetos quânticos”?

Dr. Neruda:

São elementos, ou quantidades indivisíveis de energia eletromagnética, como elétrons ou nêutrons. Objetos quânticos são os componentes primários da matéria ou blocos de construção da matéria (building blocks of matter), e podem se mostrar tanto como onda ou como partícula.

Sarah:

Certo, assim Fifteen estava tentando provar que objetos quânticos são influenciados pela consciência. Por que isso seria tão perigoso em uma pesquisa universitária?

Dr. Neruda:

Por si só não era tão radical, mas era só uma pequena parte de sua pesquisa total de como construir BST, usando a nova física que estava sendo introduzida rapidamente na comunidade de Física Quântica. Fifteen tem afirmado sempre que a Teoria Geral da Relatividade de Einstein era imperfeita. O que, convenhamos, não o deixava em uma posição muito confortável. Da mesma forma que a Teoria Mecanicista do Universo de Newton tornou-se muito restrita e incapaz de explicar o fenômeno que hoje chamamos Complexidade ou Teoria do Caos, Fifteen sentiu que a teoria de Einstein subestimava a influência que a consciência exercia nos objetos quânticos.

Nos anos cinquenta e sessenta, isto era uma tremenda heresia, principalmente porque era impossível provar essa tese através de modelos matemáticos ou fórmulas. Assim Fifteen continuou desenvolvendo suas teorias em segredo e começou a ser notado pelo ACIO quando se envolveu em um projeto que tem a ver com o Sistema de Aprendizagem Heurística (Heuristic Learning System ) baseado em uma tecnologia que o ACIO tinha readaptado dos Greys.

O líder do projeto do ACIO reconheceu sua genialidade e profícua criatividade e começou a desenvolver um relacionamento com o rapaz. Vários meses depois, Fifteen foi recrutado para se unir ao ACIO e basicamente abandonou sua identidade e rapidamente ganhou a posição de diretor de pesquisa. Mais tarde foi introduzido na tecnologia “Acelerador de Inteligência” dos Corteums, e, como se diz, o resto é história.

Sarah:

Como exatamente essa tecnologia do Corteum acelera ou expande a inteligência?

Dr. Neruda:

Poucas pessoas percebem que sua mente consciente só processa por volta de 15 bits de informação por segundo em tempo linear. Porém, no tempo vertical, a mente inconsciente está processando cerca de 70-80 milhões de bits de informação. Assim, em uma consciência normal, os humanos têm conhecimento de apenas uma quantidade infinitesimal da informação que os está constantemente alimentando no nível inconsciente. A tecnologia Corteum foi projetada para reduzir os filtros da mente consciente e permitir que possa ser alimentada por pacotes de informação de frequência mais altas.

Correndo em paralelo com isso, o circuito cerebral é adaptado para suportar a voltagem mais alta da informação que alimenta a consciência, permitindo a coexistência de capacidades como memória fotográfica e pensamentos abstratos. Essas habilidades ou capacidades se tornam o filtro matriz que extraem dos depósitos inconscientes a informação mais pertinente, em qualquer momento específico, relacionada com o problema ou tarefa.

Sarah:

Se eu fosse uma cientista comportamental, poderia lhe fazer uma centena de perguntas. Mas me sinto perdida com tudo isso. . . Afinal, quantos bits de informação você pode processar agora?

Dr. Neruda:

Na realidade não é uma simples questão da quantidade de processamento de informação, mas muito mais a relevância da informação em tempo linear baseada na intenção da pessoa. Quando se passa pelo processo da tecnologia Corteum, sua habilidade para sintonizar pacotes de informação que são pertinentes a uma determinada situação ou problema, é melhorada imensamente. A maioria das pessoas, no confronto com uma determinada situação, acessa sua mente consciente e retira de lá a solução que os serviu no passado. Assim, pessoas entram na rotina e em comportamentos padronizados que fecham o acesso aos pacotes de informação inconscientes que estão baseados em análise da situação no tempo real, e que têm uma relevância extremamente alta.

Essa tecnologia acelera os processos de pensamento evolutivos e permite que a circulação de informação entre os aspectos conscientes e inconscientes da mente fluam no padrão de uma espiral ascendente, em vez do padrão de um círculo vicioso. E é devido a esta qualidade da tecnologia Corteum que a inteligência inata das pessoas é liberada. Assim, a tecnologia Corteum não aumenta a inteligência bruta, simplesmente facilita a fluidez da inteligência natural do indivíduo.

Sarah:

Isso é muito interessante. Gostaria de passar por esse processo de aceleração da inteligência dos Corteum, pois só assim eu estaria em condições de lhe fazer perguntas mais agudas e pertinentes! Bom, depois disso, vamos fazer um breve intervalo.

10 minutos de intervalo. . .

Dr. Neruda:

Como agora você está usando o gravador, deixe-me repetir. A tecnologia Corteum foi o único e mais influente elemento para ajudar Fifteen a se tornar o Diretor Executivo do ACIO e do Grupo Labirinto. De fato, ele tinha uma mente brilhante antes de passar por esse processo de enriquecimento da inteligência dos Corteums, mas por alguma razão, a tecnologia parece que lhe aumentou a inteligência mais do que em qualquer outro. . . em um nível muito significativo.

Sarah:

Nunca ninguém suspeitou que os Corteums e Fifteen eram de alguma maneira uma força separada do Grupo Labirinto. Eu quero dizer, nunca ninguém considerou a hipótese que eles poderiam ter seus próprios objetivos. . . talvez BST não fosse o único e definitivo objetivo deles?

Dr. Neruda:

Não. Tem-se, e eu acredito que ainda continue assim, absoluta confiança tanto em Fifteen como nos Corteums. Você tem que entender que os Corteums são uma raça benevolente. Nós nunca vimos qualquer evidência que não fosse de boas intenções para nos ajudar, e nós, na medida do possível, tentamos ajudá-los de volta. Era uma sociedade cortês e com total reciprocidade.

Sarah:

Você disse ontem à noite que os Corteums faziam parte do Grupo Labirinto, mas só por volta de 200 eram membros. Como elas se tornaram parte do Grupo Labirinto?

Dr. Neruda:

Na realidade eu não sei com certeza. Só posso lhe dizer o que me contou um dos Diretores que foi o responsável por minha entrada no Grupo Labirinto. Ele me falou que Fifteen tinha sido escolhido pelos Corteums para ser a ligação deles com o ACIO. Eles o escolheram como aquele que iniciaria o seu programa de transferência de tecnologia com os humanos.

Fifteen concordou em passar pela tecnologia de intensificação de inteligência que os Corteums tinham oferecido. Foi dessa experiência que a visão de Fifteen, de como BST poderia ser desenvolvido, foi cristalizada. Ele criou então a estrutura e o desenho do projeto. Uma das coisas que o Corteum tem em abundância é inteligência lógica. Eles são muito competentes em termos de investigação científica e raciocínio lógico. Eles mesmos admitem que o que lhes falta é uma característica visionária criativa de descoberta. Isto é precisamente o que Fifteen tem de sobra. . .

Sarah:

Mas você está falando sobre uma raça que é superior a nós em tecnologias. Como pode-lhes faltar insights criativos?

Dr. Neruda:

Isso é muito importante. Veja bem, comparado com todos os outros humanos, os Corteums são criativos e visionários. Mas há princípios formativos de física que residem em uma matriz dimensional que são completamente estranhos a todos os seres, com exceção dos intelectos mais privilegiados. E Fifteen tem esse intelecto. Os Corteums estão esperando que Fifteen, e de uma forma geral, o Grupo Labirinto, possam desenvolver BST, pois eles têm uma aplicação específica para esta tecnologia.

Sarah:

Mas ontem à noite você disse que há outras raças dentro de nossa galáxia, que já tem a possibilidade de viajar no tempo. Por que os Corteums simplesmente não “negociam” com essas raças?

Dr. Neruda:

Como eu disse antes, as espécies que tem desenvolvida, por sua própria iniciativa, a viagem no tempo, vai estar pouco disposta a compartilhá-la com outra raça. Na verdade esta é a tecnologia mais bem guardada. E não se pode simplesmente pedir a tecnologia emprestada quando se precisa dela. Mesmo quando a necessidade parece ser urgente e verdadeira. É fácil demais se tornar dependente da tecnologia em si. Além disso, como eu tentei explicar na noite passada, há uma diferença considerável entre viagem no tempo e BST. Não conheço nenhuma espécie que possui o tipo de BST que o Grupo Labirinto está tentando desenvolver.

É mais ou menos assim, Sarah, BST requer um conjunto de tecnologias interdependentes, todavia distintas, que necessita de um provedor para aplicar teoremas novos, novas leis de física, que nunca tenham sido descobertas antes. E então construir esse conjunto de tecnologias baseado em uma nova matriz de como o mundo funciona. . . é uma tarefa assustadora. Tudo o que antes era considerado verdade absoluta precisa ser destruído, precisa ser reinventado, reformulado, e então se integrar nesta nova matriz.

Esta é a essência do BST, você começa com uma lousa em branco e reinventa, reformula, e recria a consciência de matéria.

Sarah:

Vamos devagar que me perdi. A consciência de matéria?

Dr. Neruda:

Lembra quando falei sobre objetos quânticos e como eles são influenciados pela consciência?

Sarah:

Sim.

Dr. Neruda:

Objetos quânticos se tornam crescentemente granulados ou refinados até se tornarem pura energia de luz e deixam de ter massa. Eles não são de uma realidade física, mas apenas uma energia em estado puro. Esta energia é segmentada mais adiante em oitavas de vibração. Em outras palavras, esta energia de luz vibra, e assim como música, tem musicalidade e sua nota fundamental. O som harmônico ressoa com a vibração da energia fundamental e todo pacote de energia canta como um coro. . . somente sua voz é luz.

Esse canto, se assim você desejar, é o equivalente de uma consciência que permeia toda matéria… cada objeto físico em todo universo. Fifteen tem provado com sucesso essa “consciência que a tudo permeia”, o que ele chama de Light-Enconded Reality Matrix ou LERM (Matriz de Realidade de Luz Codificada). De qualquer forma, LERM é apenas um dos novos teoremas que foram necessários a fim de esquematizar um caminho para provar que BST realmente era uma possibilidade, e não só uma visão excêntrica da mente de Fifteen.

Sarah:

Essa “consciência que a tudo permeia” que você citou, estaria por acaso relacionado com espírito ou Deus?

Dr. Neruda:

Exatamente.

Sarah:

Agora acho que é um pouco de exagero. Você está tentando me dizer que Fifteen descobriu Deus? Que ele tem prova de Deus?

Dr. Neruda:

De certa forma sim, mas. . . mas Deus não é aquilo que costumamos chamar. É LERM. E Fifteen foi bem enfático para que nós nunca nos referíssemos a LERM como Deus ou mesmo algo parecido com Deus. Ele preferiu pensar em LERM como “a sombra de Deus”. A luz que projeta a sombra, e o objeto da própria sombra, ele acredita que é impossível provar através da ciência ou de qualquer outra forma objetiva de investigação.

Sarah:

Certo. . . certo. Mas me escute por um minuto. Se LERM é “a sombra de Deus”, como você diz, então isso prova a existência de Deus. Está correto?

Dr. Neruda:

Para todos nós dentro do Grupo Labirinto que entendem o trabalho de Fifteen, a resposta é sim.

Sarah: Isso não seria algo muito mais importante que o projeto Ancient Arrow? Isto é, se alguém obteve provas da existência de Deus, não teria a responsabilidade moral de compartilhar essa informação com as pessoas?

Dr. Neruda:

Talvez, mas a única maneira de compartilhar essa informação com as pessoas seria revelando quem é o Grupo Labirinto, e isso é algo que Fifteen nem sonha em fazer. Ele tem medo do ridículo e dos desentendimentos que isso causaria, e firmemente acredita que de qualquer forma, ninguém acreditaria nele, pois existem muitas tecnologias escondidas que o conduziram para suas descobertas, e ele não tem nenhum interesse em revelar essas tecnologias para o mundo acadêmico, instituições do governo, ou para a imprensa. Ele se tornaria o próximo messias. . . ou diabo, dependendo do ponto de vista.

Sarah:

Então ele está preso na própria armadilha do segredo. . .

Dr. Neruda:

De certo modo, mas ele não se sente preso em uma armadilha. Ele simplesmente está tão distante da estrutura social e das comunidades científicas das universidades que, propositadamente eliminou qualquer possibilidade de relacionamento com essas entidades e não tem nenhum interesse de cruzar o abismo que o separa daqueles que ele deixou para trás.

Sarah:

Ele deve ser incrivelmente solitário.

Dr. Neruda:

Eu não penso assim. Ele parece ter uma energia fora do comum e é muito feliz. Ele faz exatamente aquilo que quer fazer, não posso dizer que alguma vez o vi deprimido. . . talvez desapontado, mas nunca deprimido.

Sarah:

Ainda não vejo a conexão entre LERM e BST. . .

Dr. Neruda:

Se a matéria no final das contas se dissolve em oitavas de luz, e a luz se dissolve em oitavas de consciência, e a consciência se dissolve em oitavas de realidade, então matéria, luz, consciência, e realidade são todos interdependentes como um ecossistema. E como um ecossistema, se você muda um elemento você afeta o todo. Portanto, isolando qualquer um dos elementos contidos dentro do LERM, e mudando isso, pode-se mudar a realidade. E isso é um elemento fundamental de BST. Isso responde sua pergunta?

Sarah:

Eu não estou certa. . . Eu não sei, talvez tudo isso não importa. Novamente, estou me sentindo fora de meu território. Acho isso interessante, mas ao mesmo tempo, é frustrante. Sinto-me muito mal vendo que todas essas coisas estão acontecendo no mundo em que vivo, e não sei nada sobre isso. . . isto é, não sabia nada até agora. Sinto-me injustiçada. É sempre aquela velha história dos que tem e dos que não tem, do rico e do pobre. . . Você consegue imaginar como alguém se sente. . . ouvindo tudo isso pela primeira vez, e se achando tão excluído?

Dr. Neruda:

Sim, eu imagino.

Sarah:

Para você, isso pode ser sem importância. Afinal das contas você conhece as coisas. . . Mas o resto de nós, a gente vai vivendo nossa vidinha pensando que o mundo é isto e aquilo, quando na realidade apenas estamos dando trombadas um no outro no escuro. Na verdade não temos pistas, não é?

Dr. Neruda:

Eu não sei. . . talvez. Talvez você tenha razão, não importa. Eu simplesmente sei o que sei e acredito no que acredito. Mais do que isso, é tão misterioso para mim como é para você. Seria um grande erro pensar que o Grupo Labirinto ou qualquer um de seus membros, incluindo Fifteen e os Corteums, entendam isso tudo. Eles não entendem. Mas trabalham duro para ter as respostas, Sarah. Eu quero dizer realmente duro. Dedicaram toda suas vidas nessa missão do BST. Todo esse conhecimento não veio por acaso. Tentaram e falharam centenas de vezes até descobrir a existência do LERM, e provavelmente falharão outras mil antes de encontrar uma solução para o BST. Mas acredite, esses indivíduos não chegaram ao conhecimento que hoje tem casualmente, ou porque ganharam de presente de uma força maior.

Sarah:

Não, eu não quis dizer isso. Fico feliz com a existência do Grupo Labirinto. Pelo menos alguém nesse planeta entendeu isso ou está tentando. Só é injusto que tão poucos tenham a prova. . . o conhecimento. . . a oportunidade de entender tudo isso. Suas vidas são tão diferentes, eles poderiam também estar morando em algum outro planeta. Eles poderiam também ser extraterrestres.

Dr. Neruda:

Só estou rindo porque este é um dos medos de Fifteen desde o início; que se alguém descobrisse sobre o Grupo Labirinto e seus objetivos, eles seriam considerados ETs. E agora você está confirmando esse medo.

Sarah:

De qualquer forma gostaria que você não me tivesse escolhido. Minha vida agora é tão diferente. Isto é tudo que posso pensar. Todas as minhas energias estão concentradas nisso. Não tenho a menor ideia como contar essa história. Não tenho a menor ideia.

Dr. Neruda:

Sarah, você se lembra da primeira vez que conversamos e eu mencionei os Corteums? Sua primeira pergunta foi: Como eles se parecem?

Sarah:

Sim. E seu ponto é?…

Dr. Neruda:

Estas são as perguntas naturais que as pessoas fazem. LERM pode interessar a alguns poucos cientistas, mas eu duvido. O que é retratado nessas entrevistas é tão superficial que eu duvido que qualquer cientista levaria a sério. E aqueles que levarem a sério, diriam que isto é um gesto nobre para autenticar o idealismo monista, e nada mais (N.T. A filosofia monista, ou monística, postula que tudo, incluindo a matéria, existe na consciência e é por ela manipulado). Portanto, você deveria confiar nos seus instintos iniciais. Faça as perguntas que seriam de interesse das pessoas, que poderiam estimular a curiosidade delas. E não se preocupe em como mudar o mundo com o que estou dizendo. Não preciso desse peso em meus ombros.

Sarah:

Certo, você tem razão. Você tem toda razão. Além disso, não estou segura sobre a verdade de tudo isso. Ainda não estou convencida do que você diz. . . só para registrar.

Dr. Neruda:

E eu não estou tentando convencer você ou seja lá quem for. Apenas estou respondendo suas perguntas da forma mais verdadeira que sei.

Sarah:

Touché.

Para o benefício daqueles que por acaso lerem esta entrevista, como se parecem os Corteums?

Dr. Neruda:

Eu pensei que você nunca iria perguntar. Eles têm aproximadamente três metros de altura e a cabeça muito alongada. A pele deles é muito fina. . . quase translúcida, assim como alguém que mora em uma caverna. Seus olhos são relativamente grandes e, assim como nós, tem várias cores, e que mudam de acordo com a idade, e em alguns casos, conforme o estado emocional.

O que é único nos Corteums é que eles têm um sistema nervoso incrivelmente articulado que os permite processar virtualmente tudo o que acontece dentro do ambiente deles, inclusive os pensamentos dos outros. O que significa que quando você está na presença deles, você tem que ter controle sobre seus pensamentos, caso contrário sentem-se muito ofendidos. Eles são emocionalmente muito sensíveis.

Sarah:

Como eles se comunicam com vocês?

Dr. Neruda:

Eles falam um perfeito inglês, francês, italiano, espanhol, ou a maioria dos outros idiomas. Eles são uns linguistas muito talentosos e podem aprender um idioma medianamente em questão de poucas semanas, e fluentemente dentro de alguns meses. Suas mentes são como esponjas, mas como eu disse antes, enquanto possuem um incrível poder mental para absorver informações novas e sintetizá-las com informações anteriores, eles não necessariamente tem a habilidade de criar novas informações que não estejam relacionadas com as informações existentes. Isso é o que Fifteen tem sobrando e que os impressionou demais.

Sarah:

Qual o interesse deles no projeto Ancient Arrow?

Dr. Neruda:

Acredito que não seja nada diferente do de Fifteen. Eles estão completamente absorvidos nos esforços para criar BST, e esperam que haja alguma tecnologia ou teorema dentro do Ancient Arrow que possa ajudar a agilizar o desenvolvimento do BST.

Sarah:

E o que os Corteums querem fazer com BST?

Dr. Neruda:

Os Corteums têm um sistema planetário que está em um estado muito frágil, pois sua atmosfera protetora está se degenerando em um nível alarmante. A atmosfera deles os protege, da mesma maneira que somos protegidos pela nossa, de ondas de luz prejudiciais que são geradas pelo sol local, e, em menor extensão, pelas estrelas mais próximas. De qualquer maneira, esta condição tornou-os noturnos, só se aventurando a sair durante à noite , e mesmo assim, somente por um curto espaço de tempo, quando necessário. Depois de muitas gerações, isto os deixou cada vez mais suscetíveis para a real condição que estão tentando resolver. A pele deles vai ficando cada vez mais sensível a medida que a atmosfera de seu planeta vai ficando menos protetora.

Seus cientistas prognosticam que durante um período entre 10 e 20 anos terão que ficar em comunidades subterrâneas durante o ano todo. Isto teve um grande impacto no padrão de vida deles, na economia, na estrutura social, todos os aspectos possíveis de sua sociedade foram afetados, e principalmente de um modo negativo, pelo menos pela própria avaliação deles. Eles esperam que o BST lhes de condições de instalar uma tecnologia que recentemente descobriram, para prevenir a deterioração de sua atmosfera.

Sarah:

Por que eles não podem simplesmente usar essa tecnologia agora?

Dr. Neruda:

Não é uma tecnologia regenerativa, é uma tecnologia preventiva. Tecnologias regenerativas são impossíveis quando um sistema atinge uma certa trajetória contrária. No cenário deles, só BST restabeleceria o ambiente deles.

Sarah:

Obviamente eles têm tecnologia de viagem espacial, por que não escolhem outro planeta e o colonizam?

Dr. Neruda:

Eles tentaram, mas todos os planetas que acharam satisfatórios para sua espécie estão ocupados. E não estão interessados em ser assimilados em uma cultura ou sociedade existentes. Eles querem a sua própria identidade e estrutura social. Também, o que julgam satisfatório para habitação é extremamente particular. Por exemplo, eles têm o mesmo problema com a Terra, como eles têm com o seu próprio planeta. . . na realidade, aqui é pior. Eles têm que viver em nossa base subterrânea para poder sobreviver em nosso planeta. Foi necessário que tivéssemos construído um lugar especial para guardar a espaçonave deles.

Sarah:

Eles querem interagir com nossos governos e com os humanos de uma forma geral?

Dr. Neruda:

Acho que no início eles fizeram isso. Pelo menos tentaram, mas rapidamente foram escoltados até o ACIO e nós convencemos a NSA e todos os outros órgãos interessados que os Corteums tinham ido embora da terra, temerosos por suas vidas. Assim. . . no que diz respeito aos nossos informantes dentro da NSA, os Corteums há muito deixaram a terra, e felizmente a NSA estava preocupada na ocasião com outros tipos de ETs, os Greys.

Sarah:

Eu quero voltar aos Wingmakers por um momento. O que os Corteums acham da cápsula do tempo dos Wingmakers? presumo que tenham visto tudo.

Dr. Neruda:

Sim, eles foram envolvidos desde o início. Os Corteums são parte integrante do Grupo Labirinto assim como qualquer membro humano, portanto nada é escondido deles. O líder da missão Corteum para a terra é chamado — em inglês — de Mahunahi (N.T.: importante notar que na sessão de Perguntas e Respostas, James diz que seu nome em sua “realidade dominante” também é Mahunahi. Questionei James sobre essa “coincidência”, mas até o momento não obtive resposta), e primariamente é um artista, e ser cientista é sua natureza secundária. Ele sempre ficava muito excitado ao ver e ouvir sobre nossas descobertas. Ele perguntou se podíamos construir uma base especial para eles junto ao Ancient Arrow, para que pudessem visitar o local, mas não foi viável, pois chamaria muita atenção.

Sarah:

Tenho algumas perguntas excêntricas, portanto pediria que você fosse compreensivo. Primeiro, toda vez você menciona um membro do ACIO, Grupo Labirinto, ou Corteum, sempre é uma referência masculina. Existem mulheres nessas organizações? E depois, por que um artista seria o líder da missão espacial do Corteum? Isso me parece muito estranho.

Dr. Neruda:

Em resposta a sua primeira pergunta, é verdade que o Grupo Labirinto é composto principalmente de homens. Eu não saberia dizer se é proposital ou acidente. Um dos diretores é uma mulher, ela é responsável por comunicações, e como diretora tem nível 14. Nós também temos talvez 9 mulheres nos níveis 12 ou 13, todas elas são extremamente brilhantes e capazes, e dividem responsabilidades com seus pares masculinos sem qualquer tipo de discriminação. . . pelo menos até onde sei. Temos até um casal. Todos, independentemente de sexo, têm o mesmo salário e os mesmos privilégios. . . não há nenhuma distinção, seja lá qual for o grau dentro do Grupo Labirinto, e Fifteen faz questão disso.

Com relação aos Corteums, todos eles são homens. Na cultura deles os papéis são muito melhor definidos do que na nossa. Isto não quer dizer que as mulheres sejam tratadas como se fossem inferiores. . . não, na realidade talvez seja exatamente o contrário, somente que as viagens espaciais e a interação com outras espécies é de responsabilidade do sexo masculino, até serem chamadas para procedimentos de interações de espécies. Dessa forma suas crianças podem ficar mais perto da mãe e suas famílias permanecem mais protegidas. A maioria, se não todos, dos membros do contingente Corteum é casada.

E respondendo a sua segunda pergunta, os Corteums olham a ciência, religião, e arte como três elementos iguais de um sistema de crença unificado em que se baseia a ordem social deles. Até onde entendo, a liderança varia entre cada um desses três elementos de sua ordem social, dependendo do tipo de contato que é feito com uma raça alienígena. Assim que estabeleceram contato com humanos, foi decidido que a liderança deveria vir dos graus do lado artístico, pois sentiram que estávamos mais nessa linha, portanto o líder poderia entender melhor nossas motivações e desejos.

Sarah:

Isso é interessante. Eles na verdade pensaram que nós pendíamos mais para o lado artístico do que científico ou espiritual. Acho que, pensando bem, posso entender isso. Como uma raça, nós provavelmente estamos mais inclinados para esse lado do que para os outros.

Dr. Neruda:

De qualquer forma, essa foi a avaliação deles.

Sarah:

Gostaria de voltar para os artefatos por um minuto. Onde estão os artefatos baseados em tecnologia?

Dr. Neruda:

Após a descoberta do local do Ancient Arrow, todos os artefatos físicos que podiam ser removidos do local, foram cuidadosamente empacotados em engradados e enviados para o ACIO no seu laboratório de pesquisa da Virgínia, e são mantidos pelo Grupo Labirinto em seu próprio laboratório. Pelo que sei, é onde eles ainda estão.

Sarah:

E só a bússola, ou o dispositivo de correção de rumo, achada fora do sítio arqueológico e o disco ótico foram decifrados?

Dr. Neruda:

Exatamente.

Sarah:

Algo que você disse antes algo que não faz muito sentido para mim. Se os Wingmakers representam uma versão futura da humanidade, e digamos que estão tentando dar a receita completa para o BST através da cápsula do tempo, por que simplesmente não aparecem na sua sede em Virgínia e acabavam logo com isso. Todas essas outras coisas. . . as pinturas, poesia, música, artefatos enigmáticos, filosofia, até mesmo o próprio local, por que simplesmente não deram uma cópia para Fifteen e o que fazer com isso?

Dr. Neruda:

De fato é uma boa pergunta, e eu estava esperando para ver se perguntaria isso. Existem poucos fatos que sabemos com certeza. Os Wingmakers podem viajar no tempo e também podem interagir fisicamente com o tempo e o espaço que visitam. . . isso é claro, considerando o que fizeram com o Ancient Arrow. No entanto, nós não sabemos se eles têm todos os cinco elementos do BST. Você lembra-se do elemento pertinente aos pontos de intervenção?

Sarah:

Sim, é o que define quando intervir no ponto quando o tempo é causal e que provoque o menor efeito possível nos eventos relacionados, porém distintos. Certo?

Dr. Neruda:

Só está faltando uma coisa na sua definição, pontos de intervenção são co-dependentes em tempo e espaço. Em outras palavras, BST requer um encaixe preciso no tempo e coordenadas de espaço de um evento quando estivesse em sua fase conceitual, ou a fase que precede a manifestação física do acontecimento. O componente espaço normalmente é uma pessoa física ou um evento de natureza que é focada no espaço. Esta é uma tecnologia muito ardilosa, e acredito que os Wingmakers descobriram a viagem no tempo interativa, mas ainda falta a tecnologia para definir os pontos de intervenção com precisão.

Sarah:

Ou talvez eles apenas gostem de quebra-cabeças

.

Dr. Neruda:

Ou talvez eles apenas gostem de quebra-cabeças. . . exatamente.

Sarah:

Então nós não sabemos realmente se o BST é possível?

Dr. Neruda:

Nós sabemos que é possível, mas é como qualquer coisa que é extremamente complicado e interdependente, primeiro precisa-se de um mínimo de entendimento do todo que cerca o problema antes que se possa modificar ou alterar o ambiente para resolver o problema. Para isso é necessário uma compreensão de LERM que ainda está evoluindo dentro do Grupo Labirinto, e ouso dizer, talvez seja necessário outra década de experiências antes que se aprenda o suficiente para identificar os pontos de intervenção e o tempo de fusão (time-splice), de tal forma, que minimize ao máximo efeitos indesejáveis.

Sarah:

De novo voltamos para a discussão sobre a sombra de Deus. . . ou LERM como vocês chamam afetuosamente. Por que a compreensão de LERM é tão fundamental para conseguir BST?

Dr. Neruda:

Porque LERM é o equivalente da genética para a consciência, e consciência é o equivalente de formulação de realidade para os seres que são capazes de sentir ou perceber. Assim, se LERM for compreendido, se entende o sistema causal que opera em não-tempo e não-espaço que basicamente constrói a moldura da realidade de espaço, tempo, energia, e matéria. Objetos Quânticos operando na construção de LERM tem uma existência que é completamente diferente de objetos macros como esta mesa ou cadeira.

Objetos Quânticos — em estado puro — nunca foram vistos por um humano. Cientistas testemunharam os efeitos e algumas das propriedades de objetos quânticos, mas sua natureza causal não é visível por instrumentos científicos. . . não importa quão poderosos sejam, pois os instrumentos científicos são físicos e portanto têm uma relação com espaço e tempo. Enquanto que objetos quânticos não têm nenhuma relação com tempo e espaço, a não ser através de um observador.

Sarah:

Você está dizendo então que os blocos de construção da matéria (Building blocks of matter) –esses objetos quânticos — não existem a menos que alguém os observe. . . que a consciência os torna reais e fixos no tempo e espaço? É isso que você está dizendo?

Dr. Neruda:

De certo modo, mas não exatamente. Deixe-me explicar da seguinte forma. Consciência nasce ou se origina do não-tempo e não-espaço como uma forma de energia que é um bloco de estrutura básica do LERM. Consciência torna-se localizada assim que se torna física. Em outras palavras, consciência torna-se humana, ou animal, ou planta ou algum objeto que têm características físicas. Você está me acompanhando até agora?

Sarah:

Sim.

Dr. Neruda:

Bom. Como consciência se torna um objeto físico localizado, basicamente dirige o LERM para moldar uma matriz de realidade que foi codificada em propriedades genéticas ou físicas do objeto que se transformou. Em outras palavras, consciência se move do não-espaço e não-tempo para se transformar em matéria, e então dirige o LERM para produzir uma realidade física consistente com as propriedades genéticas codificadas do objeto físico que se transformou. Se aquele objeto for um ser humano, então os gatilhos genéticos que são exclusivamente humanos se tornam as ferramentas da consciência que constrói sua realidade.

LERM é basicamente um campo infinito de possibilidades, ou, como Aristóteles se referiu a isso, Potentia. Esta Potentia é como se fosse uma terra fértil na qual são criados objetos físicos. Aqueles que são capazes de dominar o LERM pela aplicação da consciência, podem manifestar realidade e não simplesmente reagir a ela. Esta manifestação pode ser instantânea porque, novamente, objetos quânticos se originam no não-tempo e não-espaço. . .

Sarah:

Não querendo ser místico demais, mas o que você está falando é o que Jesus e outros profetas fizeram. . . basicamente manifestar coisas, como transformar água em vinho ou curar doentes. Certo?

Dr. Neruda:

Sim. É o mesmo princípio, só que eu descrevi em vez de executar. É muito mais fácil executar do que descrever.

Sarah:

Então agora vai me dizer que você pode transformar água em vinho?

Dr. Neruda:

Na realidade nunca tentei isso antes, mas sim, todos os membros do Grupo Labirinto podem manifestar objetos físicos a partir do LERM. De fato, isto é um dos resultados da descoberta de Fifteen: o processo de conduzir LERM e manifestar objetos na hora, instantaneamente.

Sarah:

Certo, agora definitivamente você conseguiu minha atenção, mas estou me sentindo um pouco culpada, pois, tinha jurado que iria ficar no assunto dos Wingmakers e do projeto Ancient Arrow. Você poderia me ensinar como manifestar coisas do nada?

Dr. Neruda:

Sim, mas levaria algum tempo. . . provavelmente algumas semanas ou algo assim.

Sarah:

Você pode me mostrar alguns exemplos de como você faz isso?

Dr. Neruda:

Como funciona?

Sarah:

Para o benefício daqueles que lerão essas transcrições, Dr. Neruda acabou de fazer uma bola de barbante aparecer do nada. Da mesma forma fez desaparecer. Agora reapareceu novamente. Isso é incrível. Ele não a está segurando, portanto não é como um mágico que tira algo da manga ou por trás das mãos, ou seja lá como for. Está aparecendo e desaparecendo em uma mesa a mais ou menos um metro dele e aproximadamente dois metros longe de mim. Eu posso ver tudo muito claramente.

Estou apanhando a bola de barbante e definitivamente é um objeto físico. . . não simplesmente uma miragem ou. . . ou um holograma. Tem todas as propriedades normais. . . peso. . . textura. . . é ligeiramente morna ao toque, e em todas as outras características, é exatamente como eu esperaria que uma bola de barbante fosse.

Você poderia fazer alguma outra coisa aparecer. . . algo mais complicado, como um milhão de dólares em dinheiro?

Dr. Neruda:

Sim.

Sarah:

Certo, então vamos ver.

Dr. Neruda:

Como você pode ver, esse é o problema com essas descobertas e capacidades. Se eu produzisse um milhão de dólares agora, em dinheiro, você teria um dilema. O que fazer com um milhão de dólares? Você suportaria me ver fazer isso desaparecer (um milhão de dólares) tão facilmente quanto fiz aparecer?

Sarah:

Você está louco? Desde o primeiro momento que o encontrei, nunca acreditei no que você tem dito até agora. E nem mesmo agora estou dizendo que acredito totalmente, mas estou quase chegando lá. Eu. . . não, as pessoas em geral, precisam ver as coisas com seus próprios olhos. Nós precisamos acreditar em o que nossos olhos nos dizem, porque eles, de todos os sentidos, parecem determinar a realidade. E você finalmente me mostrou algo que é tangível… que meus olhos relacionam. Somente estou pedindo mais uma confirmação de suas habilidades. Isto é, uma bola de barbante não me parece uma grande coisa. . . não que eu não tenha ficado impressionada. Mas se você pudesse fazer aparecer um milhão de dólares em dinheiro. . . isso sim seria algo impressionante.

Dr. Neruda:

E o dilema?

Sarah:

Certo, eu tenho uma proposta para você. Eu vou precisar deixar meu trabalho durante pelo menos alguns meses para publicar essa história e talvez até mesmo me mude ou me esconda em algum lugar. Que tal se eu tivesse. . . US$10.000 que me ajudaria nos próximos dois meses? Você compraria essa ideia?

Dr. Neruda:

Sim, eu poderia fazer isso.

Sarah:

Agora estou olhando para uma pilha de notas de US$100 que parecem ser réplicas perfeitas. Eu as estou tocando. . . novamente, parecem ligeiramente mornas quando eu as toco, mas definitivamente passariam como reais. . . fantástico. . . Eu não posso acreditar nisso. Mas não pode ser um milhão de dólares, você só manifestou US$10.000, não foi?

Dr. Neruda:

Sim, um pouco mais, um pouco menos.

Sarah:

Percebe que você acabou de arruinar sua própria credibilidade junto as pessoas que lerem essa transcrição? Você acabou de se tornar uma pessoa em quem não se pode acreditar. Nem mesmo estou segura se deveria incluir isso, pois de qualquer forma ninguém vai acreditar, e pode arranhar sua credibilidade em todas as outras áreas de nossa discussão. Esta verdadeiramente não é uma experiência fácil de acreditar, a menos que se veja com os próprios olhos. O que eu deveria fazer?

Dr. Neruda:

Sarah, se alguém vai me acreditar ou não, não é importante. De qualquer forma ninguém acredita em nada a menos que experimente, e mesmo assim, a maioria das pessoas fica em dúvida. Crença tem vida curta e sempre é questionada; como deve ser. Até mesmo os mais crentes ficam em dúvida na maior parte do tempo, independentemente do que dizem. Portanto não se preocupe se isso vai prejudicar minha credibilidade ou não. Eu não me preocupo. Não importa porque não estou tentando convencer ninguém seja lá do que for. Eu só estou tentando trazer informações sobre os Wingmakers para que as pessoas possam fazer a sua própria avaliação do que é verdade e acreditável.

Sarah:

  1. . . então acaba aqui minha preocupação. Será a última vez que me preocupo com a sua credibilidade.

Se você pode manifestar dinheiro assim tão fácil, por que você precisa ter salário? Quero dizer, porque trabalhar para ganhar dinheiro?

Dr. Neruda:

Quando esta tecnologia foi descoberta, só foi compartilhada dentro do Grupo Labirinto, e só era usada para experiências aprovadas por Fifteen. O mesmo princípio seria aplicado a BST ou a qualquer outra tecnologia descoberta pelo Grupo Labirinto que pudesse ser usada para ganho pessoal ou benefício próprio.

Sarah:

Cara, vocês devem ser um grupo muito disciplinado. Eu não acho que resistiria.

Dr. Neruda:

Para ser honesto, tenho certeza que todos os membros do Grupo Labirinto experimentam, de vez em quando, essa tecnologia na privacidade de suas casas.

Sarah:

Por que você chama isso de tecnologia? Parece mais uma coisa mental. Você estava usando algo mais além de sua mente?

Dr. Neruda:

Só é uma tecnologia do ponto de vista de entender o processo mental. Não há nada eletrônico ou mecânico se é isso que você quer dizer. Mas é mais do que o controle da mente. Na realidade é uma convicção em LERM e seu infalivelmente perfeito processo de criação — transportar objetos quânticos do não-espaço e não-tempo para o mundo da matéria em nosso tempo e espaço. Está mais relacionado com fé do que com tecnologia… (grifo do tradutor) por mais estranho que isso possa parecer.

Sarah:

De fato, eu estava imaginando que se Jesus e outros que andaram por aqui na terra, poderiam fazer isso a centenas de anos atrás, não deve ter muito a ver com tecnologia. Mas quando você vê isto acontecer com seus próprios olhos, você tem uma tendência para achar que há um pouco de tecnologia por atrás daquilo que estão fazendo. Que não fosse apenas um poder natural dos humanos. . . não me parece possível por alguma razão.

Dr. Neruda:

Eu entendo, mas realmente é uma questão de perspectiva, e uma vez que você tem a visão panorâmica do LERM e isso se torna uma estrutura fundamental de seu sistema de crença ou convicção, isso fica incrivelmente fácil de fazer. É um pouco como uma sofisticada ilusão ótica baseada em um holograma que te toma vários meses de concentração para ver o quadro que está sutilmente turvo, mas no momento que você vê, vai poder vê-lo instantaneamente o resto de sua vida, sem esforço. É assim que isso funciona. Algumas pessoas podem conseguir isso em questão de poucos dias, outros precisam de centenas de horas, mas o que todo o mundo tem em comum é que, uma vez que conseguiu, fica tão natural quanto respirar.

Sarah:

E você acha que poderia me ensinar em questão de algumas semanas, quando alguns de seus colegas — com QI de gênio — levaram centenas de horas para aprender a técnica?

Dr. Neruda:

Isto não está relacionado com QI. Está relacionado com entendimento e convicção (crença). O entendimento vem de ver a existência do LERM e entender como opera em seu nível básico. Se você tem uma inteligência comum ou é um gênio, não importa, contanto que você entenda e acredite naquilo que você entende.

Sarah:

Como você faria para eu acreditar no LERM?

Dr. Neruda:

Bem, no fundo você já acredita. É sua mente consciente que rejeita sua convicção mais profunda e o entendimento. Assim eu a ajudaria a entender conscientemente o que você já sabe em um nível mais profundo de seu ser. E faria isto lhe mostrando LERM.

Sarah:

E como você faria isso?

Dr. Neruda:

Você precisaria ir para o departamento de pesquisa do Grupo Labirinto na Virgínia. É o único lugar no mundo onde eu posso lhe mostrar a indiscutível evidência de LERM.

Sarah:

Sob essas circunstâncias, acho que isso nunca vai acontecer. Deve haver alternativa. . . ou melhor, o que é que eu veria nesse centro de pesquisa que eu não poderia ver em outro lugar… ou por outros meios?

Dr. Neruda:

Eu não estou dizendo que é a única maneira para conseguir esta habilidade é vendo LERM em ação, mas é muito convincente. O Grupo Labirinto tem uma tecnologia — projetada pelo próprio Fifteen — que literalmente permite um indivíduo experimentar LERM. Também há meios místicos ou xamânicos, mas estes estão longe de funcionar em um período de duas semanas. Estes métodos parecem independentes de circunstância e mais dependentes de algo mais profundo, predestinado ou um despertar pré-codificado do qual o indivíduo não tem conhecimento conscientemente, mas que de qualquer forma aciona um despertar que os permite transformar o seu entendimento. Em alguns casos, este despertar inclui uma habilidade para manifestar objetos físicos, mas geralmente, é feito sem um conhecimento consciente de como é feito. Apenas funciona.

Sarah:

Certo, digamos que eu não reúna condições para ser um xamã ou um místico, o que eu veria com esta tecnologia que me convenceria de minhas habilidades para fazer o que você acabou de fazer?

Dr. Neruda:

Na realidade não saberia lhe dizer. É uma dessas experiências que palavras são completamente inadequadas para descrever ou explicar. O que posso lhe dizer é que LERM é acionado por esta tecnologia, e isto basicamente como resultado da experiência, reinstala seu sistema elétrico interno. Neste processo, circuitos novos são gravados no seu sistema nervoso, e estes circuitos novos permitem a utilização do LERM como uma consequência da sua experiência.

De qualquer forma eu duvido que esta explicação lhe satisfaça. Eu nunca tentei explicar isto antes, e eu posso ver por sua expressão que infelizmente falhei. . .

Sarah:

Não, não é isso. Só estou cansada de sempre sentir como se eu estivesse vivendo em um planeta diferente toda minha vida. Que eu perdi tudo isso. . . realmente fico angustiada quando penso nisso.

Lembro-me quando li uma biografia de Einstein e ele foi citado dizendo algo como nós, humanos, somente usamos por volta de 2% de nossa capacidade intelectual. Bem, é dessa forma que me sinto agora. Que tenho vivido minha vida nesse nível de 2% — se tanto — e acabo de perceber o que ele queria dizer. Eu nunca tive uma comparação até agora que me permitisse ver o que os outros 98% poderiam ser. Não é muito agradável ver o que tem sido omitido ou negligenciado. . . ou subestimado.

Dr. Neruda:

Eu entendo.

Sarah:

Uma coisa mais. Você disse antes que determinadas tecnologias como LERM e BST, não podem ser usadas para ganhos pessoais pelos membros do Grupo Labirinto. Ainda, se BST existisse, eles não se colocariam em fila e pediriam para usá-lo? Eu faria isso. Há muitos fatos em minha vida que eu mudaria se pudesse. Uma vez aberta a comporta, como BST poderia ser mantido secreto?

Dr. Neruda: Como tudo, há implicações tanto morais quanto éticas que devem ser ponderadas. Uma das coisas que Fifteen, e de uma forma geral o Grupo Labirinto são bons, é considerar estas implicações na maior amplitude possível dentro da ordem social. Fifteen muito cedo percebeu que as tecnologias de BST e LERM só deveriam ser concedidas para aquelas organizações que corretamente honrassem as considerações éticas que foram elucidadas pela própria tecnologia.

Isto é uma das leis fundamentais do Grupo Labirinto, e todos seus membros levam isto muito a sério. Quando uma tecnologia nova está sendo desenvolvida, tem sempre membros da equipe que estão preocupados com as implicações éticas da tecnologia e é responsável pelas regras do uso e do desenvolvimento. Esta é uma parte integrante do desenvolvimento de qualquer projeto.

Sarah:

É bom ouvir isso, mas essa lei não poderia ser usada para prevenir a disseminação dessas tecnologias para um público mais amplo?

Dr. Neruda:

Sem dúvida. Uma tecnologia como BST — uma vez desenvolvida e testada — com o tempo poderia se tornar uma tecnologia de consumo. Mas desde que o Grupo Labirinto existe, a intenção é proteger BST de toda e qualquer força externa. Dentro do Grupo Labirinto há um comitê chamado Technology Transfer Program ou Comitê TTP (Programa de Transferência de Tecnologia). Este comitê tem duas missões, a primeira é avaliar as tecnologias que são assimiladas dos ETs, e a segunda é que eles são responsáveis por tais tecnologias e em qual estado de adaptação são transferidas para nossos parceiros da indústria privada, NSA, ou o exército.

O Comitê TTP tem o controle das tecnologias em estado puro que são desenvolvidas pelo Grupo Labirinto. Estas tecnologias, em estado puro, nunca são transferidas para organizações externas. Mesmo os membros do staff no ACIO que não fazem parte do Grupo Labirinto, não têm conhecimento dessas tecnologias em estado puro, e quando. . .

Sarah:

Mas se eu coloco essas entrevistas na Internet ou em outro tipo de mídia, não vão ser só os membros do staff no ACIO que vão saber sobre tudo isto. Você não acha que isso acabaria com todo o segredo sobre o Grupo Labirinto?

Dr. Neruda:

Não. O Grupo Labirinto é mais que uma organização secreta. De forma prática, o Grupo Labirinto não existe. O ACIO não existe. Ninguém vai conseguir rastrear o ACIO e muito menos o Grupo Labirinto. Suas tecnologias de segurança são tão imensamente superiores, que são completamente invulneráveis. Nada que eu disser, ou você publicar, os fará vulneráveis. Como eu disse antes, a única preocupação deles será o precedente de minha deserção e como isso poderia criar mais deserções com o passar do tempo.

Sarah: Por que, por que alguém iria querer sair. . . entendo seu caso. . . você não queria que suas lembranças ou memórias fossem mudadas ou removidas. Mas normalmente eles não fazem isso. Ou fazem?

Dr. Neruda:

Não frequentemente, mas eu certamente não seria o primeiro em ser apontado para passar por sessões de implante de memória ou outras medidas de segurança invasivas. Isso faz parte da cultura do Grupo Labirinto e do ACIO. Todos que entram em qualquer um desses mundos sabem a que estão sujeitos. Está muito claro por que a paranoia deve fazer parte da cultura. Mas com o passar do tempo, isso passa a ser sufocante para algumas pessoas. E existe um grande risco que essas pessoas possam ver a minha deserção, no mínimo, como um estímulo à suas próprias deserções.

Posso estar totalmente errado, mas acredito que há entre 10 e 20 indivíduos que deixariam o ACIO ou o Grupo Labirinto, caso se lhes fosse dada a escolha.

Sarah:

Mas eu pensei que você tinha dito ontem à noite que estas pessoas gostavam de seu trabalho em função do acesso privilegiado a tecnologias e laboratórios de pesquisas, que estavam anos luz na frente de qualquer coisa existente! Se é assim, o que eles fariam na sociedade “normal”?

Dr. Neruda:

Eu descobrirei. Eu serei o primeiro a experimentar a sociedade normal. . . como uma pessoa normal.

Sarah:

Bem, pelo menos você não terá nenhum problema para arrumar emprego. . . o que estou dizendo, é que você nem mesmo vai ter necessidade de trabalhar. Eu havia esquecido que você pode ganhar seu próprio dinheiro.

Dr. Neruda:

Você ficaria surpresa em saber que levo uma vida bem simples. Eu tenho um Honda Accord 92 e moro em uma casa modesta de três quartos, em um bairro suburbano, de casas também modestas. . .

Sarah:

Você está brincando?

Dr. Neruda:

Não.

Sarah:

Você ganha US$400.000 por ano, livres de impostos e… e tem uma árvore de dinheiro em sua mente, e você vive como eu? Sem querer ser indiscreta, mas o que você faz com todo seu dinheiro?

Dr. Neruda:

Contribuo com algumas entidades de caridade, e o resto eu coloco em fundos que geralmente estão relacionados com o meio ambiente.

Sarah:

Todos os membros do Grupo Labirinto fazem como você?

Dr. Neruda:

Você quer dizer com respeito a dinheiro e posses?

Sarah:

Sim.

Dr. Neruda:

A maioria tem um padrão de vida superior ao meu, mas faz parte da nossa cultura viver modestamente e nenhum dos membros tem um estilo de vida ostensivo. Fifteen paga para as pessoas o que elas valem, não porque deseja que desperdicem dinheiro e vivam ostensivamente, mas porque quer que seus colegas façam doações, ou construam novas instituições para ajudar nossas comunidades locais. Ele acredita muito nisso, e ele, até mesmo mais que eu, vive muito modestamente.

Sarah:

Acho isso realmente difícil de acreditar. De tudo que você me disse até agora, essa é uma coisa muito difícil de acreditar! Estou atônita. . .

Dr. Neruda:

Eu posso imaginar, mas o que eu estou contando a você é a verdade.

Na verdade, o grande apelo para recrutar pessoas novas para o ACIO está relacionado com os incentivos monetários. São pessoas extremamente brilhantes, capazes e que facilmente poderiam conquistar posições em universidades ou indústrias privadas, ganhando US$200.000 por ano. O ACIO os atrai no mínimo dobrando seus salários e lhes oferecendo contratos de emprego vitalícios. Mas aqueles que definitivamente ganham o direito para entrar no 12º nível, são introduzidas então no Grupo Labirinto, e quando se chega nesse estágio, dinheiro vai ficando cada vez menos importante. . . principalmente depois da experiência com o acelerador de inteligência Corteum. . . depois da experiência com LERM, diminuiu ainda mais.

Provavelmente você acharia interessante saber que Fifteen mora em uma pequena casa de 3 quartos em uma comunidade comum, onde o valor da propriedade é de mais ou menos US$200.000. Isso não é muito para uma casa nos padrões da Costa Leste. Seu carro deve ter pelo menos 100.000 milhas, não tem ar condicionado, e ele está totalmente satisfeito com sua situação. Os novos recrutas do ACIO sempre ficam pasmos com a frugalidade de Fifteen. . . acho que confusos é uma melhor forma de colocar. Mas com o passar do tempo, aprendem a respeitá-lo não como um excêntrico, mas como um gênio extremamente dedicado que simplesmente gosta de viver como as outras pessoas e conviver com elas.

Sarah:

Ok. . . tenho que entrar em um campo pessoal, e sei que estou fugindo totalmente do programa estabelecido, mas você tem que me contar algumas coisas sobre. . . assim como, o que seus vizinhos acham que você faz ?

Dr. Neruda:

Não conheço muito bem meus vizinhos. Eu tenho trabalhado 80 horas por semana desde quando tinha 18 anos. Quando me socializava, geralmente era com meus colegas. Há muito pouco tempo para estabelecer outras relações. Mas para responder sua pergunta diretamente, eu não sei o que eles pensam sobre o que faço. Só lhes falei que sou um cientista de pesquisa que trabalha para o governo. Isto é suficiente para matar a curiosidade deles.

Sarah:

Mas e se você conhecer uma mulher e se apaixonar por ela? Ela iria querer saber o que você faz, quanto dinheiro você ganha e assim por diante. . . o que você diria a ela?

Dr. Neruda:

Eu trabalho para a NSA. Sou um cientista de pesquisa envolvido em linguística e decodificação, e ganho US$85.000 por ano.

Sarah:

Então você mentiria?

Dr. Neruda:

Faz parte da cultura do Grupo Labirinto. Nós não podemos contar a verdade, e se fizéssemos, a grande maioria das pessoas pensaria que somos loucos. Essa é a razão de nos resguardarmos e somente falarmos a verdade entre nós mesmos.

Sarah:

Quando pela primeira vez você falou sobre o ACIO e a sua missão secreta, e que você estava fugindo e temendo por sua vida. . . pensei que o ACIO era algo diabólico, um tipo de organização que queria controlar o mundo. Então fico sabendo da quantidade de dinheiro que vocês ganham e começo a imaginar um bando de intelectuais esnobes, dirigindo um Mercedes Benz à prova de balas e vivendo em mansões suntuosas. . . e você acabou de desmantelar essa minha imagem. Você a destruiu completamente. Então do que você tem medo?

Dr. Neruda:

O Grupo Labirinto, por causa de sua ligação com o ACIO, ainda é muito conectado com a rede secreta das organizações que controlam o mundo financeiro e os ativos dos recursos naturais. Esta rede saberá sobre minha deserção no momento que estes materiais que lhe dei ganharem visibilidade na imprensa ou na Internet. Eles reconhecerão sua autenticidade simplesmente lendo estas duas entrevistas. Eles não podem fazer nada contra o ACIO ou Grupo Labirinto, mas podem tornar minha vida muito difícil.

E eles definitivamente tentarão. Sei tudo sobre suas tecnologias e como as utilizam. Sei quem são as pessoas atrás dessas organizações e sei como operam. O que lhe contei é uma parte insignificante, mas o suficiente para que pessoas muito poderosas se sintam incomodadas. É extremamente raro, mas quando executivos desertam, são caçados como cães até que são achados e eliminados, ou, se ainda forem úteis, suas memórias são seletivamente limpas. Esta uma das realidades terríveis por ter lidado com essas organizações.

Sarah:

Mas você foi apenas um cientista. . . um linguista. Pelo amor de Deus. Como isso faz com que você seja uma ameaça para estas organizações secretas?

Dr. Neruda:

Fui eu quem criou a Tecnologia de Criptografia para seu sistema de segurança que oculta seus softwares de modelos de prognósticos para as bolsas de valores do mundo. Você pode me ver como um simples cientista, mas meus talentos para linguística não são os únicos que tenho. Eu também sou talentoso no campo da criptografia (codificação). E dentro do mundo da economia, sou simplesmente o melhor. E este talento foi usado para ajudar certas organizações, e nesse processo, aprendi muito sobre essas organizações e como operam. Isto me torna um risco para a segurança deles.

Sarah:

Por que, se o ACIO e o Grupo Labirinto têm tanto dinheiro. . . por que trabalhar com esses grupos nefastos?

Dr. Neruda:

Em primeiro lugar, eles não são maus ou nefastos. Estas organizações são compostas por elitistas bem-educados que talvez estejam preocupados apenas com eles mesmos, mas não são maus. Eles olham para o mundo como uma experiência biológica onde o forte sobrevive, o poderoso prospera, e o discreto controla. Eles gostam de estar no controle da experiência. Eles são altamente controladores, mas não por causa de adulação ou engrandecimento dos seus próprios egos, mas para a causa que acreditam genuinamente, ou seja, que são os melhores para tomar decisões sobre políticas que afetam a economia e a segurança do mundo.

Portanto, não confunda controle com más intenções. Necessariamente não é nenhuma coisa nem outra. Esse é o jogo que escolhem jogar. O fato de ganharem somas incríveis de dinheiro, simplesmente faz parte do jogo, mas esta não é a razão porque dirigem a economia do mundo… eles querem proteger seu tipo de vida, assim como qualquer um. Só que estão na posição de fazer isso. Eles garantem sua segurança estando no topo da “cadeia alimentar econômica”.

Sarah:

Mas estão manipulando as pessoas e estão escondendo informações. Se isso não é mau… o que é então?

Dr. Neruda:

Pela sua definição, nosso governo nacional, nosso governo local, virtualmente todo negócio e organização, são maus. Todo mundo manipula e mantém informação escondida. Governos, organizações e pessoas.

Sarah: Você está distorcendo minhas palavras. É uma questão de grau, certo? Uma coisa é se eu não lhe falo a cor verdadeira dos meus cabelos, e é outra coisa se, como parte desta rede secreta, eu retenho informação sobre como estou manipulando a economia mundial. São completamente diferentes em magnitude. Não são coisas comparáveis. Ainda penso que é mau quando organizações manipulam e controlam coisas em seu próprio benefício.

Dr. Neruda:

Acredite em mim, eu não tive a intenção de ser o defensor destas organizações, mas você precisa entender que é importante e pode afetar você daqui para frente. Esta rede secreta de organizações poderosas está mais alinhada com as metas do Grupo Labirinto que os governos de nosso mundo e, em particular, nossos líderes militares. Se você estiver preocupada com alguma coisa, seria de bom alvitre que se preocupasse mais com quem administra, assim como o Congresso e o Departamento de Defesa. . . não só nos Estados Unidos, mas em qualquer país.

Sarah:

Como você pode dizer isso? Você está dizendo que nosso governo e líderes militares estão tentando nos causar danos e estas organizações manipulativas secretas estão tentando nos ajudar?

Dr. Neruda:

O que estou dizendo é que a liderança da comunidade das nações do mundo é inepta, e pode ser comprada com o santo dólar. E esta não é a rede secreta que eu tenho falado que está manipulando nosso governo e as lideranças militares, para investir quantias enormes de dinheiro em forças destrutivas como armas nucleares e biológicas. Isto, eles estão decidindo por si mesmos. As organizações secretas que eu estou me referindo se opõe a esses armamentos militares porque eles causam um certo grau de incerteza nos seus modelos de controle, tanto econômico como social.

Os políticos e líderes militares são os que estão investindo tempo, energia, e dinheiro em armas de destruição em massa. Estes sim podemos considerar como maus.

Sarah:

Certo, entendo seu ponto. Mas você insinuou que estas organizações secretas tentariam e nos matariam se publicarmos e tornarmos tudo isso conhecido. Ainda não vejo como isso os faz tão nobres.

Dr. Neruda:

Eu não acho que tem que se preocupar com essas organizações secretas. Você não sabe o bastante para ser um perigo para eles. Além disso, estão acostumados a jornalistas bisbilhotando e tentando expô-los. Nenhum teve sucesso de forma significativa. Muitos livros foram escritos sobre eles. Portanto, não vão incomodá-la. O interesse deles será em por mim e só por mim. Essa é uma das razões que tomo cuidado com que lhe conto. Eu sei que eles vão ler essas transcrições assim como também a NSA, CIA, ACIO, e todo Grupo Labirinto. Eu estou permitindo gravar estas conversações porque sei que quem irá ouvir estas exatas palavras, e gostaria que eles soubessem precisamente aquilo que compartilhei com você, e através de você, para o público em geral. Eu não estou fazendo um julgamento de valor se estas organizações secretas são nobres ou não. Eu somente estou mostrando que eles não são os que desperdiçam somas enormes de dinheiro e capital intelectual em armas de destruição em massa. Eles são significativamente mais competentes para governar que nossos políticos e líderes militares. Simplesmente esta é minha opinião.

Sarah:

Eu ainda não entendi. Se o Grupo Labirinto, o ACIO e esta rede secreta de organizações são todos tão nobres e benevolentes, por que você teme por sua vida? E por que se escondem como ratos?

Dr. Neruda:

Para responder sua primeira pergunta, eu temo por minha vida porque tenho informação que poderia causar danos irreparáveis a uma variedade de organizações secretas. . . embora eu não tenha nenhuma intenção de fazer isso.

Sarah:

Mas simplesmente porque você sabe estas coisas que eles vão caçá-lo e matá-lo? Parece um grupo simpático. Certamente não mau. . .

Dr. Neruda:

Lembre-se. . . eles são extremamente controladores. Eles não querem ninguém livre que possa lhes causar problemas. Se eu quisesse, eu poderia derrubá-los. Eu sei muito sobre os algoritmos de seus computadores e tecnologias de codificação.

Sarah:

Mas como você teria acesso ao sistema deles? A meu ver você estaria se colocando em uma situação muito difícil, caso tentasse entrar no sistema deles.

Dr. Neruda:

Eu não preciso entrar no sistema deles para causar problemas, preciso entrar no sistema deles para prevenir problemas. Eles vão me convidar para ingressar no sistema deles.

Sarah:

Eu não entendo. . .

Dr. Neruda:

Quando inicialmente desenvolvi o sistema, havia certos algoritmos previstos para serem acionados em tempos específicos, e se não forem mantidos adequadamente, o programa basicamente vai se autodestruir. Algo que estas organizações não podem deixar acontecer.

Sarah:

Por que eles aceitaram isso?

Dr. Neruda: Faz parte dos honorários do Grupo Labirinto junto a seus clientes. Mais importante, é garantir que nossas tecnologias, até mesmo as em estado de adaptação, sejam operadas de acordo com o que foi acertado e que não haja abuso. Eu tenho os códigos de acesso para este sistema e a chave de manutenção que não permitirão seu colapso. Fiz de tal forma que apenas eu sei como funciona.

Sarah:

Você está me dizendo que com todas essas memórias fotográficas que circulam no Grupo Labirinto, você é o único que sabe o código?

Dr. Neruda:

Eu não informei o número correto quando fiz minha última atualização do sistema. . . dessa forma, sim, eu sou o único que sabe o código correto. Fiz assim para garantir minha segurança. . .

Sarah:

Mas com todos os gênios do Grupo Labirinto, você está me falando que eles não podem resolver este problema?

Dr. Neruda:

Não sem empregar muito tempo. . . que é algo que Fifteen não vai concordar. É muito desperdício e um grande desvio da pesquisa de BST.

Sarah:

Eles já sabem sobre isso?

Dr. Neruda:

Oh, sim. Eu os informei logo após minha deserção.

Sarah:

Eles devem ter ficado enfurecidos.

Dr. Neruda:

Diria que não foi uma conversa agradável.

Sarah:

Eu estava pensando em todas essas tecnologias sofisticadas que o Grupo Labirinto tem, e não consigo entender uma coisa. Como vocês fabricam isso? Presumo que a Intel (N.T. Intel – Maior fabricante de chips do mundo) não está fazendo a fabricação. Correto?

Dr. Neruda:

Correto. Não há ninguém neste planeta que pode fabricar estas tecnologias. Elas são todas baseadas na tecnologia dos Corteums, que está aproximadamente 150 gerações à frente de nossas melhores tecnologias de computadores aqui na terra. Por exemplo, o projeto LERM usou apenas uma tecnologia doméstica de um total de 200 tecnologias diferentes, e era uma parte relativamente insignificante do projeto. . .

Sarah:

Qual foi?

Dr. Neruda:

É um derivado de uma tecnologia de telemetria a laser que o ACIO desenvolveu mais ou menos 20 anos atrás, mas preencheu as necessidades específicas do projeto LERM, pois era baseado em protocolos analógicos que foram necessários para a aplicação naquela parte específica da experiência.

Sarah:

Assim os Corteums fazem toda a produção daquilo que o Grupo Labirinto projeta. O que aconteceria se os Corteums decidissem repentinamente, por qualquer razão, não compartilhar estas tecnologias? O Grupo Labirinto não deixaria de existir?

Dr. Neruda:

Talvez. Mas Fifteen é muito astuto e colocou certas contingências para que isso jamais aconteça. Tenha em mente que os Corteums estão tão ansiosos quanto nós para desenvolver esta tecnologia, talvez mais. Eles têm um tremendo respeito por Fifteen e por todos os membros do Grupo Labirinto. Porém, quando o Grupo Labirinto foi inicialmente formado, Fifteen negociou com os Corteums para compartilhar todo código de fonte para os projetos que saíssem da pesquisa de BST. Todas as tecnologias de base foram reproduzidas em dois laboratórios de pesquisa distintos. Há uma total redundância, inclusive o próprio fornecimento de energia.

Sarah:

Os líderes dessas organizações secretas tentarão pressionar Fifteen para encontrá-lo. . . com a tecnologia de visão remota, eles não o acharão facilmente?

Dr. Neruda:

Os líderes dessas organizações secretas sabem muito bem que não têm nenhuma força com Fifteen. Depois que eles lerem essas informações, saberão que vão ter menos força ainda. Fifteen e o Grupo Labirinto projetaram e desenvolveram todos os seus sistemas de segurança. Todos, sem exceção. Eles sabiam que ficariam sempre endividados com o Grupo Labirinto com relação a certas tecnologias que os tornaram — falando metaforicamente — invisíveis. Não podem pressionar Fifteen. Na realidade, é exatamente o oposto, Fifteen é que pode pressioná-los. . . embora ele nunca o fará. Para Fifteen, essas organizações simplesmente representam a melhor alternativa do que deixar nossos próprios governos tomarem o controle da economia e da ordem social da infraestrutura mundial. Consequentemente, ele simpatiza com eles e tenta ajudá-los à medida que pode dispor de tempo e energia.

Sarah:

Então como você vai se esconder deles?

Dr. Neruda:

Iniciei este processo de deserção quase um ano atrás. Como eu lhe falei antes, comecei sistematicamente a me livrar das precauções invasivas de segurança do ACIO. . . que incluem sensores eletrônicos implantadas debaixo da pele na parte de trás do pescoço. Livrei-me eficazmente desses dispositivos, assim teria uma oportunidade de permanecer oculto até que uma solução razoável pudesse ser negociada.

Sarah:

Presumo que não há nada que a polícia ou FBI possam fazer para ajudar?

Dr. Neruda:

Nada em que eu esteja interessado.

Sarah:

Mas o que você vai fazer para se proteger?

Dr. Neruda:

Como você pode imaginar, Sarah, há certas informações que não posso compartilhar com você, dada a natureza destas entrevistas. Este é um exemplo e eu não posso contar mais do que já contei.

Sarah:

Você poderia ficar um pouco mais, pois, tenho mais algumas perguntas?

Dr. Neruda:

Eu posso ficar tanto quanto for necessário.

Sarah:

Bom, não acho que vai levar muito tempo.

Gostaria de voltar para os Wingmakers novamente. Normalmente não sou assim tão dispersa. É que você acabou me dizendo coisas que me levam a centenas de direções e eu não consigo me manter focada. Desculpe. . .

De qualquer forma, me conte mais sobre suas experiências com os Wingmakers. Você disse anteriormente que teve visitas deles. . . correto?

Dr. Neruda:

Sim.

Sarah:

Então como eles são e o que disseram?

Dr. Neruda:

Bem, suponho que a melhor maneira de descrevê-los é que eles estavam como em um sonho lúcido. A primeira vez que eu interagi de fato com eles, eu estava tirando uma soneca no laboratório e acordei de repente como se alguém tivesse me batido no ombro para me acordar, e quando me virei, não havia ninguém lá. Eu não dei muita importância, achando que era um sonho, e continuei meu cochilo. Uma outra coisa que lembro é que acordei e vi dois objetos luminosos do tamanho de um ser humano e com a aparência de um corpo. . . embora eles fossem muito luminosos para olhar diretamente para eles. . . inicialmente não estava realmente seguro do aparecimento deles.

A luz tinha uma qualidade de pulsação rítmica e esse pulsar parecia absorver minha própria consciência. Era como. . . como se estivesse sentindo algo que era ao mesmo tempo extremamente poderoso, mas igualmente suave… o efeito polarizante era muito incomum. Emocionalmente, não senti medo, mas mentalmente, me senti em conflito com minha confiança, como se eu devesse sentir medo. Devo ter permanecido semiconsciente com esta experiência por talvez dez segundos ou algo assim, e então percebi que minha mente estava unida à mente destes seres.

Eles me falaram que eram os Wingmakers e que tinham entrado em meu tempo para me ajudar. Eles só estavam interessados na abertura de suas mensagens codificadas porque sentiam que a cápsula do tempo tinha caído em boas mãos. Eles codificaram suas mensagens por duas razões: primeiro, assegurar a segurança da cápsula do tempo e seu conteúdo, e segundo, estarem certos que quem a descobrisse, a utilizaria para atingir os objetivos dos Wingmakers e não os próprios objetivos.

Sarah:

Você está dizendo que eles sentiam que o Grupo Labirinto não iria aplicar o programa dos Wingmakers? Se este era o caso, eu não acho que esses Wingmakers têm uma boa imagem do Grupo Labirinto.

Dr. Neruda:

Exceto por um pequeno detalhe. Os Wingmakers são o Grupo Labirinto. . . só que 750 anos no futuro.

Sarah:

Você está brincando. Como isso poderia ser?

Dr. Neruda:

Isso é quase exatamente o que eu disse na ocasião, somente que expressei com mais ênfase. Nós tínhamos considerado a possibilidade como uma de nossas hipóteses, mas nunca foi levado seriamente porque nunca tivemos provas ou evidências, além das representações simbólicas.

De qualquer maneira, isso era essencialmente o que quiseram me comunicar na primeira interação consciente. Eles, por qualquer razão, tinham me escolhido para ser a ligação deles e estavam dispostos a me ajudar para levar os conteúdos da cápsula do tempo para o domínio público, e mais especificamente, para a Internet. Isso era a essência de suas instruções.

Assim quando. . .

Sarah:

Eu ainda não entendo como eles poderiam representar o Grupo Labirinto. . . Se eles têm BST então por que não o utilizam como eu disse antes? Qual é a preocupação deles?

Dr. Neruda:

Como a maioria das coisas relativas a BST, você tem que se desfazer de todos seus preceitos convencionais de como as coisas funcionam, antes que você possa entender a natureza de BST.

Os Wingmakers são o resultado de uma total nova evolução da humanidade. Eles não estão presos ao tempo. Eles podem separar seus egos físicos e não-físicos e, em um estado posterior, viajar pelo tempo vertical e interagir com ele. Eu não sei se é exatamente essa forma de BST que Fifteen têm em mente. . . parece mais como uma bilocação, só que em períodos de tempo diferentes em vez de espaço. Enquanto no tempo diferente eles podem re-materializar seus corpos físicos e interagir com o ambiente físico se quiserem. Eles podem até trazer objetos com eles e transferi-los para um tempo diferente, como fizeram no caso do Ancient Arrow.

Mas fornecer BST, ou qualquer aspecto dele, para qualquer pessoa, organização, ou governo, você tem primeiro que entendê-los completamente e através dessa compreensão, confiar neles. Isso leva tempo e muita experiência observacional. Também é necessário testar. E eu penso que isso é o que os Wingmakers estão fazendo com suas cápsulas do tempo. Eles estão testando o Grupo Labirinto, e Fifteen em particular, para ver quais são suas verdadeiras intenções.

Sarah:

Eu sei que isto vai parecer uma pergunta capciosa, mas os Wingmakers estão 750 anos à frente de nós. Certo?

Dr. Neruda:

Sim.

Sarah:

E no futuro deles, eles representam o Grupo Labirinto. Certo?

Dr. Neruda:

Sim, isso está correto.

Sarah:

E eles não confiam nos atuais membros e/ou liderança do Grupo Labirinto. Certo?

Dr. Neruda:

Aparentemente não o suficiente para simplesmente entregar suas tecnologias.

Sarah:

Portanto essa é a razão que colocaram seus conhecimentos de BST dentro de sete cápsulas do tempo e as plantaram dentro ou debaixo de formações de pedra ou onde quer que seja. Mas li em um dos memorandos do ACIO ou. . . talvez você tenha me falado. . . que a cápsula do tempo final não seria descoberta até o ano 2023. E que é depois que a raça alienígena tomará a terra. Não faz sentido.

Dr. Neruda:

Eu entendo sua linha de questionamento. Infelizmente, minhas interações com os Wingmakers têm sido em tópicos diferentes. Talvez, mais tarde eu aprenda mais sobre o plano deles até as eleições de 2018 e sobre a vinda desses alienígenas hostis. Eu tive somente três interações com eles, e todas as três foram encontros breves, e principalmente comunicações unilaterais. . . eles que passam mensagens para mim.

Sarah:

Eu estou sentindo necessidade de terminar esta nossa sessão. Minha cabeça está estourando. Eu acho que se agora você me contasse qualquer coisa um pouco mais profunda, entraria por uma orelha e sairia por outra. Nós podemos nos encontrar novamente na quarta-feira e talvez voltar para esses encontros que você teve com os Wingmakers?

Dr. Neruda:

Sim, está bom para mim.

Sarah:

Certo. Por esta noite, chega.

 

Fim da Segunda Entrevista.

 

5 – TERCEIRA ENTREVISTA ==>