Os Wingmakers (Os Criadores com Asas) ou Pleiadianos

7 – Quinta Entrevista com Dr. Neruda, por Sarah

Introdução à quinta entrevista 

A quinta entrevista do Dr. Neruda expõe um engano fundamental que afeta a humanidade através de todas as dimensões da vida. Esse engano é que a nossa realidade tridimensional e a consciência humana têm sido programadas para serem percebidas como reais, quando elas, na verdade, não são. Esta é, claramente, uma afirmação muito ousada, mas não é feita de forma leviana.

Nesta quinta entrevista, Dr. Neruda explica as forças que estão por trás dessa fraude, e qual é sua agenda, como a humanidade foi escravizada desde o seu início até hoje, e o que podemos fazer sobre isso. Trata-se, compreensivelmente, de uma narrativa inquietante. Afinal de contas, ela expõe uma realidade onde os seres humanos são hospedeiros biológicos de seres infinitos, reprimidos por programas enganosos projetados por entidades de outra dimensão. A humanidade não tem consciência de que vivemos em uma realidade projetada, e que essa realidade projetada inclui… tudo.

Ao longo dos últimos quinze anos, tem havido pessoas que têm escrito e falado sobre certos aspectos deste engano. Na comunidade científica, indivíduos como Herman Verlinde, Dr. Robert Lanza, Leonard Susskind, Gerard t’Hooft e James Gates. No campo técnico, o engenheiro da NASA Thomas Campbell. A partir de uma perspectiva mais filosófica, autores como Nick Bostrom e Anthony Peake. Artigos científicos, também, têm sido lançados neste campo emergente de definição da realidade, como: Restrições sobre o universo como uma simulação numérica por Beane, Davoudi e Savage. Estas pessoas, e outros como eles, estão levantando a hipótese de que nosso universo foi projetado através da matemática ou de código de computador.

Este tema está relativamente fora dos nossos limites, estando reservado para os pensadores teóricos e heréticos. Ele é capaz de chocar as pessoas mais significativamente do que as discussões sobre OVNIs ou conspirações do governo, porque é muito mais fundamental. É a nossa realidade, e a única conclusão lógica que podemos tirar disso tudo é que somos prisioneiros de uma realidade ilusória. Isto torna a realidade semelhante a um laboratório, e nós somos os desavisados ratos deste laboratório.

Do lado espiritual, muitos de nossos místicos e fundadores religiosos relataram que tanto a nossa percepção do universo, quanto o próprio universo, são uma ilusão. Este tema é consistente nos escritos religiosos e espirituais ao longo de todos os tempos. Embora aos místicos faltasse o vocabulário científico para definir o escopo dessa ilusão, eles, no entanto, entenderam que nós, como indivíduos, levamos nossas vidas através de um mundo ilusório que os cientistas estão cada vez mais descrevendo como uma realidade programada. A questão que sobe a superfície é: “Quem ou o que está programando a nossa realidade, e por quê?”.

É a esta pergunta que a Quinta Entrevista do Dr. Neruda procura responder e explicar em termos leigos. É compreensível que as pessoas com formação científica ou religiosa acharão esta divulgação difícil, se não impossível, de acreditar. O Dr. Neruda não está tentando convencer ninguém, ele apenas apresenta uma narrativa de como isso aconteceu, por que aconteceu, onde isto está tentando levar a humanidade, e, mais importante, como nós podemos sair da programação – todos nós.

Esta entrevista não está concentrada no âmbito científico. A ciência por trás do Holograma de Engano não se baseia na matemática ou na física do nosso espaço-tempo. Sua complexidade e sofisticação estão bem além da nossa compreensão atual, portanto, qualquer tentativa de defini-la em termos científicos seria uma tarefa impossível. E mesmo se fosse possível, iria apenas confundir a real importância desta informação em um vocabulário misterioso e matemático.

O verdadeiro foco da quinta entrevista não é a definição científica do Holograma de Engano, e sim como nós podemos nos libertar de sua presença penetrante e ilusória. O processo do Soberano Integral é definido nesta entrevista em detalhes, mas você pode ter que ler atentamente para ouvir e entender. Este processo é realmente o ponto central da quinta entrevista. Seja qual for a perspectiva filosófica que você desejar anexar a esta informação, tenha em mente que ela é compartilhada com o espírito de unidade e igualdade, e que o processo do Soberano Integral é uma prática decididamente experiencial.

Apesar de parecerem intrigantes bastidores do tabuleiro de xadrez da realidade – tal como são aqui descritos – são os ajustes comportamentais que são o verdadeiro objetivo desta divulgação. Os materiais WingMakers não estão focados em conhecimentos ou experiências espirituais; eles são dedicados aos novos comportamentos que suportam o desdobramento contínuo do processo do Soberano Integral na Terra e dentro da espécie humana.

É este processo que você está realmente lendo e experimentando nesta entrevista. Se você acredita na existência do holograma de engano ou não, de qualquer forma o processo do Soberano Integral permanece disponível como uma ferramenta para ser utilizada em sua vida diária.

 

 

O que segue é uma sessão que gravei com o Dr. Neruda em 2 de Janeiro de 1998. Ele permitiu que eu gravasse a entrevista. Esta é a transcrição desta sessão. Esta foi uma das cinco conversas que tivemos e que gravei. Preservei estas transcrições exatamente como ocorreram. Não foi feita nenhuma edição e fiz o máximo para colocar as palavras, o estilo e a gramática rigorosamente da mesma forma que foram usados pelo Dr. Neruda.

Nota do Editor: Esta entrevista esteve inédita até o dia 4 de Março de 2014. A razão para isto está baseada no timing do Dr. Neruda, e as razões específicas para esse timing não foram informadas.

  

Sarah: O que discutimos na Quarta-Feira à noite provocou um turbilhão em minha cabeça. Acho que fiquei um tanto quanto obcecada com tudo isso… que para mim, de qualquer forma, é uma informação nova. Estou tentando o meu melhor para processar tudo isso na minha mente, e tenho que admitir que não sei se está funcionando.

Dr. Neruda: Entendo. Deixei de passar algumas outras informações exatamente por isso – não só para você, mas também para aqueles que, no fim das contas, irão ler esta entrevista.

Sarah: Quando acabamos a última sessão concordamos em explorar mais O Grande Portal. É sobre isso que está falando ou é sobre algo mais?

Dr. Neruda: Está tudo relacionado. É um espectro muito vasto, e uma enorme sequência de ocorrências ao longo do tempo.

Sarah: Você pode compartilhar isto agora?

Dr. Neruda: Vamos por partes. Com suas perguntas espero que tudo fique claro, mas tenho que avisá-la que vai parecer um tanto quanto incômodo ou estranho até o momento em que tudo tenha sido informado.

Sarah: OK. Por onde você quer começar?

Dr. Neruda: Penso que precisamos voltar para o início a fim de entender o verdadeiro contexto do Grande Portal.

Sarah: Ok.

Dr. Neruda: A Terra era e é um planeta sem paralelo. Originalmente era formado totalmente de água. Mas o que o tornou interessante para os seres foi o fato de que seu núcleo tinha uma força gravitacional que sustentava manifestação.

Sarah: O que você quer dizer com manifestação?

Dr. Neruda: Que começou a transitar de um planeta interdimensional de frequências sonoras para um planeta de matéria – de matéria física. Seu gerador de gravidade ou núcleo era capaz de literalmente criar as condições que lhe permitiram materializar-se ao longo do tempo.

Sarah: Como você conhece essa história?

Dr. Neruda: Há registros sobre isso no disco que foi encontrado na 23ª câmara no local do Ancient Arrow. Mas algumas coisas já conhecíamos através de outros documentos que havíamos recuperado do registro Sumério que não foram amplamente distribuídos. Também tínhamos discutido sobre isso com os Corteums, que confirmaram.

Sarah: Então a Terra começou como um planeta de água e não era físico?

Dr. Neruda: Exato. Isto foi quando os Atlantes viviam dentro do planeta. Eles eram a raça dos seres que habitavam a Terra nesta época de sua formação. Os Anunnakis vieram até eles e negociaram um acordo que permitisse a eles minerar uma substância perto do núcleo do planeta que seria basicamente aquilo que hoje chamaríamos de ouro.

Sarah: Ouro? Por quê?

Dr. Neruda: Eles precisavam disso. A exata razão é desconhecida, mas tinha algo a ver com a forma com que o ouro modulava a frequência de seus corpos. Ouro era algo essencial para sua raça. Continha uma propriedade que era vital para sua sobrevivência. Os documentos são um pouco vagos quanto à sua importância exata. Mas estes documentos mencionam que o planeta inteiro tinha doze grandes cidades e todas elas tinham sido feitas de ouro semitransparente. Mesmo o livro das Revelações faz menção a isso.

Sarah: Quem eram esses seres? Isto é, eu ouvi sobre os Atlantes, mas nunca sobre os Anunnakis.

Dr. Neruda: Eram uma raça de seres não físicos, etéreos, seres interdimensionais. Uma vez que os Atlantes eram a única raça de seres na Terra naquela época, eles – os Anunnakis – pediram permissão para instalar uma mineração aqui, com o que os Atlantes concordaram.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: Eles não viam mal algum em ajudar essa raça. Eles não eram um concorrente, já que os Atlantes eram mais numerosos. Os Atlantes queriam fazer um acordo com os Anunnakis apenas para ajudá-los em sua tecnologia. Além disso, a mineração de ouro seria em uma parte da Terra de pouca relevância para eles.

Sarah: Não vejo como isso se relaciona com O Grande Portal.

Dr. Neruda: É uma longa história, e nós estamos apenas começando, mas prometo chegar lá rapidamente.

Sarah: Ok, serei paciente.

Dr. Neruda: A Terra começou a se materializar cada vez mais. De certa forma, começou a se solidificar. A Terra e tudo que existia nela foram se solidificando. A mineração de ouro logo tornar-se-ia impossível para os Anunnakis, pois eram incapazes de minerar o ouro à medida que este se tornava denso, em estado físico.

Sarah: Porque não?

Dr. Neruda: Seus corpos eram etéreos. Não poderiam garimpar o ouro se este fosse físico. Precisariam ter corpos que possibilitassem operar na Terra para fazer esse trabalho.

Sarah: Com que rapidez isso aconteceu?

Dr. Neruda: Não sei. Nossos registros não determinam a escala de tempo, mas presumo que foi ao longo de dezenas de milhares de anos. O ponto é que precisavam criar um recipiente, uma cápsula, assim como um astronauta necessita de um macacão espacial para viver no espaço. Tentaram centenas de experimentos e eram ajudados tanto pelos Atlantes como pelos Sirius.

Sarah: Posso assumir que este recipiente é o corpo humano?

Dr. Neruda: Sim, às vezes o chamamos de uniforme físico. Os WingMakers referem-se a eles como instrumento humano.

Sarah: Então os Anunnakis criaram um corpo físico para garimpar ouro. Isso significa um robô? Você está dizendo que estes eram humanos?

Dr. Neruda: Não. Eram o equivalente ao homem-macaco; foram os pré-humanos de forma extremamente primitiva. Mas foram nossos predecessores. Referimo-nos a eles como humanos 1.0.

Sarah: Mas eram robôs ou biológicos?

Dr. Neruda: Eram totalmente biológicos, mas humanos 1.0 não eram completamente físicos. Eram parcialmente etéreos. Veja, os Anunnakis e os Sirius os projetaram para que sincronizassem com a evolução da densificação da Terra. À medida que a Terra se solidificava, o mesmo acontecia com o instrumento humano.

Sarah: Se eram biológicos, eles tinham uma alma?

Dr. Neruda: Nós não os chamaríamos de humanos se eles não fossem. Lembra que mencionei os Atlantes?

Sarah: Sim.

Dr. Neruda: Os Anunnakis e os Sirius os colocaram dentro desses uniformes humanos. Os Atlantes eram seres muito avançados, mas aparentemente ingênuos.

Sarah: Eles queriam estar nesses… corpos de homem-macaco e minerar ouro?

Dr. Neruda: Não, definitivamente não tinham interesse algum nisso. Na verdade, eles permitiram que os Anunnakis garimpassem seu ouro, mas como a Terra começou a se solidificar, os Atlantes disseram a eles que se projetassem um recipiente ou uma cápsula que os capacitasse a continuar garimpando seu ouro, que aceitariam, mas em uma escala menor.

Os Anunnakis tinham algum desentendimento com os Atlantes, e começaram a conspirar com os Sirius e com outra raça conhecida como Serpentes. Estas três raças estavam interessadas em descobrir como incorporar planetas físicos. Viam a Terra como um laboratório que poderia servir para esta empreitada. Os Anunnakis já tinham um protótipo humano; precisavam simplesmente ligá-lo a uma fonte de energia ou alma.

O grande problema era fazer com que os Atlantes incorporassem essa vestimenta e permanecessem dentro. Na verdade, estas três raças conspiravam para escravizar os Atlantes dentro desse protótipo pré-humano. Os Atlantes foram os geradores de vida para esses protótipos.

Sarah: Você está dizendo que esses primitivos homens-macaco tinham almas poderosas dentro deles? Não entendo como isso seja possível.

Dr. Neruda: É um assunto muito complicado. Os WingMakers escreveram sobre a implantação de programas dentro desse recipiente humano – mesmo na versão 1.0. Os Sirius, na sua maioria, acreditavam nessa invenção, mas foram os descendentes de Anu que realmente aperfeiçoaram esses implantes, programando-os.

O protótipo humano versão 1.0 foi projetado pelos Anunnakis, os implantes foram projetados pelos Sirius, e o programa dos implantes foi desenhado e desenvolvido pelo ser conhecido como Marduk.

Sarah: Mas isso não responde minha pergunta sobre como uma alma poderosa fosse de repente ‘plugada’ em um recipiente de homem-macaco e se comportasse como… como um Neandertal.

Dr. Neruda: Bem, primeiramente, esses foram muito mais primitivos que os Neandertais. Mas a resposta está nos implantes. Veja, a entidade biológica ou homem-macaco, como você se refere a isso, não foi capaz de operar no mundo físico. Precisavam ter habilidades para sobreviver, como comer, caçar, como se limpar, e mesmo como mover seus corpos. Todas essas funções fundamentais teriam que ser incluídas ou programadas no recipiente… que era o objetivo dos implantes operacionais.

Os implantes eram parecidos com o cérebro do humano 1.0, mas isto não estava apenas no cérebro. Os implantes foram colocados dentro do corpo em várias partes – como na área do peito, no meio das costas, pulsos, tornozelos, etc. Os principais estavam no crânio. Mas geralmente esses implantes estavam conectados em rede para operar a partir da cabeça ou da área do cérebro.

Sarah: Porque você diz cabeça ou área do cérebro e não simplesmente o cérebro?

Dr. Neruda: Porque não estava no cérebro. Lembre-se que o humano 1.0 ainda era parte etéreo e parte físico. Os implantes também precisavam de uma consistência similar ou uma vibração sonora. Eles foram implantados principalmente nos ossos ou na estrutura do esqueleto e alguns no tecido muscular. Esses implantes operacionais fundiram-se aos músculos e ossos, incluindo o DNA. Os WingMakers colocam isso desta forma: a integração do DNA era a inteligência do plano; o tecido muscular permitiu que a essência de vida impulsionasse o implante operacional.

Havia um ponto de coordenação central e este ponto era o cérebro, mas os implantes foram alocados ao longo do corpo. Este era um sistema integrado que foi instalado no recipiente humano para permitir que fosse controlado, monitorado e programado o tempo todo. Era o ‘evolucionário’ sistema do chicote e a cenoura.

Isto permitiu que os primeiros humanos garimpassem ouro, o que, como havia dito, era o objetivo principal inicialmente.

Sarah: Desculpe parecer repetitiva, mas ainda não consigo entender como uma raça tão avançada como os Atlantes poderiam… dar vida à esses homens-macaco e tornarem-se escravos. Isto não faz sentido para mim.

Dr. Neruda: Você tem que entender que a operacionalidade implantada era para fazer com que o Humano 1.0 e sua fonte de energia – a essência vital do Atlante – funcionassem eficiente e efetivamente como mineradores. Que na verdade era o objetivo principal. O segundo objetivo, contudo, era anular, esconder a fonte de energia, que neste caso, eram os Atlantes dentro dos recipientes humanos.

Fizeram isso de tal forma que a fonte de energia passou a desconhecer suas origens e sua verdadeira expressão como um ser infinito. Quando os Atlantes foram colocados dentro do recipiente humano, estavam essencialmente cem por cento focados na sobrevivência física e na performance operacional. Não havia relacionamentos, casamento ou reprodução. Eram basicamente seres clonados. Todos eram exatamente iguais tanto em aparência como em habilidades. Drones humanos pilotados por um implante operacional com o qual os Atlantes se integraram como se não fossem nada mais do que isso. O ser infinito dentro do corpo acreditava que era o corpo e o implante operacional, nada mais do que isso.

Sarah: O que acontecia quando eles morriam?

Dr. Neruda: Deixe-me ser claro, estes seres – os Atlantes – eram infinitos, o que significa que não estavam subjugados às regras do espaço-tempo. Eles viviam depois que o corpo morria. No entanto, os Anunnakis criaram um conjunto de planos ou dimensões de experiências equivalentes a uma Incubadora, como os WingMakers o chamavam, onde seriam reciclados.

Sarah: Reciclados… como uma reencarnação?

Dr. Neruda: Sim, exatamente. Esta foi a base da reencarnação. Permitia que os Anunnakis reciclassem os Atlantes. Alguns aspectos do implante operacional eram interdimensionais, o que equivale a dizer que podiam ajudar no retorno dos seres para o local apropriado dentro da Incubadora de consciências, que ajudava na sua reencarnação em um novo recipiente.

Sarah: Mas você não havia dito que eles… os homens-macaco não se reproduziam?

Dr. Neruda: Não na versão 1.0. Estes eram básicos. Mas os Anunnakis podiam criá-los em larga escala e quando um recipiente humano expirava – digamos que tinha tido um acidente na mineração – outro seria feito. Estes eram clones. A possibilidade de reprodução veio na versão 2.0, e isto foi feito porque tudo isso requeria um esforço enorme por parte dos Anunnakis, o gerenciamento do processo era muito dificultoso. Eles queriam criar um sistema automatizado, algo que não os obrigasse a orquestrar todas as variáveis. Foi então que os Sirius os ajudaram a criar implantes de reprodução e a possibilidade de automatizar a reciclagem dos seres da Incubadora para nascerem na forma física como um bebê.

Sarah: Portanto, tudo isso era automatizado… por um programa… tecnologia? É difícil entender, é muito estranho.

Dr. Neruda: O universo é composto de dimensões que são resultado de equações matemáticas. É construído através da matemática. Alguns seres entendem como aplicar estas equações matemáticas para organizar e planejar o espaço-tempo. Tudo é criado. O mundo é criado, não é real. É uma realidade programada.

Quando digo planejar, também pode ser interpretado como controle do espaço-tempo. É o mesmo que dizer que é uma realidade do espaço-tempo programada. Uma vez que você pode programar uma realidade de espaço-tempo dentro de uma espécie como a humanidade, você pode programar no nível individual de uma pessoa, até mesmo quando ela deve coçar o nariz, se você quiser. Tudo são equações matemáticas.

Sarah: Não sei… não sei o que dizer. Por enquanto vamos caminhando, mas isso realmente parece ficção para mim. E o que aconteceu com o homem-macaco?

Dr. Neruda: Já mencionei Marduk. Ele estava intimamente envolvido na evolução das espécies. Este era seu trabalho. De todos os Anunnakis, ele era o que estava mais perto dos humanos 1.0. Ele os entendia e mesmo admirava certos aspectos deles. Talvez inconscientemente, começou a alterar seus programas para que os humanos 1.0 se comportassem de forma similar aos Anunnakis.

Quando começaram a assumir as características dos Anunnakis, Anu e seus filhos, Enki e Enlil, começaram a ficar preocupados. Marduk estava programando emoções e sentimentos. Ele estava evoluindo os humanos rápido demais, mas lembre-se, esta era uma evolução dos implantes operacionais, a interface entre a fonte de energia – os Atlantes – e o corpo físico humano. Portanto, era a interface que estava sendo aprimorada, e que permitia ao corpo humano mostrar emoção, se comunicar, sentir mais do mundo tridimensional chamado Terra, etc.

Outra coisa que estava acontecendo era que como a Terra continuava a se tornar mais um sólido tridimensional, o mesmo acontecia com o humano 1.0 e seus implantes operacionais. Esta crescente densificação fez com que ficasse mais fácil controlar e anular a fonte de energia Atlante dentro dos recipientes humanos. Era como se estivesse ocorrendo uma compressão no plano terrestre, e estivesse intensificando o foco na sobrevivência.

Sarah: Anotei a palavra ‘Serpentes’. Você está falando sobre o réptil serpente?

Dr. Neruda: Não… Serpentes como uma raça de seres. Eles simplesmente eram outra raça de seres que tinham como base o DNA reptiliano, mas diferente dos Anunnakis. Pode-se dizer que eram parentes. Eram conhecidos como portadores de vida. Eles semeavam planetas. Construíam cadeias alimentares. Você poderia dizer que eram os donos das mercearias do planeta.

Sarah: Mas eles não estavam envolvidos na criação do Humano 1.0?

Dr. Neruda: Não no sentido técnico. O trabalho deles era mais providenciar alimento e sustento para isso.

Sarah: Entendo como os Atlantes foram suprimidos/anulados no humano 1.0 por conta dos implantes, mas como chegaram nisso? Se não foram voluntários como você sugere, como foram levados à escravidão se eram seres poderosos e soberanos?

Dr. Neruda: Não sabemos exatamente como isto aconteceu. O documento que lemos não era específico quanto a isto. Mas o tom, ou a palavra que foi usada era que os Atlantes foram ingênuos. Não tinham razão para pensar que poderiam ser escravizados. Este era um conceito que nunca tinha sido usado em sua cultura. Ninguém jamais tinha feito isso… muito menos eles. Você não pode escravizar um ser infinito, a menos que o tranque em um recipiente humano. Este foi o estratagema dos Anunnakis e de seus parceiros Sirius. Eles atacaram de uma forma tão bizarra, que os Atlantes não puderam vê-los chegando. Acho que foi uma emboscada ou um ataque surpresa.

Sarah: Anteriormente você havia dito que o humano 2.0 poderia se reproduzir. Qual é o tempo entre o 1.0 e o 2.0, e quais eram as principais diferenças?

Dr. Neruda: O Humano 1.0 foi para um patamar elevado a ponto de falar e se comunicar. Estas foram as características principais que foram acrescidas no humano 1.0 por Marduk. No entanto, o estado psicológico de ser um clone era um fardo muito pesado para o humano 1.0. Todos eles eram iguais e tinham os mesmos pensamentos, por isso a comunicação foi útil até determinado ponto, por exemplo, na coordenação das tarefas, mas na verdade não tinham ideias individuais. E isso os levou à depressão e a estados psicológicos que, de acordo com os WingMakers, os deixaram literalmente loucos.

Esta falha foi um grande problema. Anu decidiu exterminá-los, e esta é a história do grande dilúvio. Marduk tratou de salvar alguns humanos 1.0 do dilúvio, assim como parte da flora e da fauna, mas foi o fim do humano 1.0.

Foi então que o humano 2.0 foi criado. Este estava em um estágio onde os humanos podiam se reproduzir. E quando isto acontecia, alguns Anunnakis fecundavam humanos do sexo feminino e introduziam sua linhagem na espécie humana. Foi então que começaram as variações. Iniciou-se a ideia de que os humanos não eram mais clones. A preocupação, no entanto, era que o humano 2.0 poderia se tornar poderoso demais e autoconsciente. O que aconteceria se a fonte de energia Atlante se tornasse consciente de que era um ser infinito?

Foi aí que Anu decidiu que deveria ser Deus. Os humanos precisavam ter um senhor ou alguém que os governasse, para deixar claro que eram inferiores a um soberano externo. Isto foi a chave de seu programa de doutrinação. Trabalhando com Marduk e os Sirius, criaram o ambiente do Éden e o paradigma de Eva como os responsáveis pela queda da humanidade. Isto foi, pode-se dizer, o 1º Ato de Anu como Deus. Isto foi encenado para que ficasse claro que havia uma autoridade externa ao humano 2.0, e que tinham sido expulsos do paraíso por que tentaram ser autossuficientes.

Foi como repreender a humanidade com o punho de um criador irado que queria que sua criação permanecesse identificada com o recipiente humano. Seria como dizer: ‘não pense nem por um minuto que pode ser igual a mim’.

Sarah: E os WingMakers escreveram que isto na verdade aconteceu mais ou menos como a Bíblia diz?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Logo o Deus da Bíblia é o Senhor Anunnaki, chamado Anu?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Porque você está me dizendo isto tudo agora? Dá a impressão que essa informação muda alguma coisa no que você compartilhou anteriormente.

Dr. Neruda: Para realmente entender O Grande Portal, você tem que entender o processo evolucionário, e a única forma de fazer isso é voltar para o começo da raça humana.

Sarah: Então, porque Anu quis ser Deus?

Dr. Neruda: Lembre-se que o objetivo original era conseguir ouro. Mas quando os Atlantes rejeitaram Anu, ele começou a conspirar com os Sirius. Foi somente antes do Dilúvio que Anu descobriu que o ouro que tinha conseguido já era suficiente. Não precisava de mais. No entanto, a ideia de ser um Deus para os Atlantes era sedutora. Os Sirius e Serpentes sentiram que a ideia de escravizar seres infinitos em ecossistemas no planeta era invenção deles. Tinham algo que era totalmente inédito. Eram deuses-criadores, e qualquer outra raça poderia ser aprisionada em um recipiente similar.

E foi exatamente isso o que começaram a fazer.

Sarah: Você quer dizer escravizar outras raças?

Dr. Neruda: Veja, a Terra tinha uma característica única em seu núcleo. Este núcleo era de extremo interesse dos Anunnakis quando visitaram a Terra pela primeira vez. Foi esse núcleo que criou o campo gravitacional que possibilitou ao planeta tornar-se totalmente físico, de tal maneira que permitisse a vida física. Evidentemente que outras condições precisavam estar presentes também, mas era esse núcleo que era a verdadeira chave. Trabalhando com os Sirius e Serpentes, começaram a fazer o mesmo, ou seja, escravizar outros planetas. Eles replicavam o núcleo da Terra e criavam um método para implantar este núcleo em outros planetas. Criavam um planeta aos moldes da Terra clonando e instalando este núcleo.

Sarah: Então imagino que a real questão seja, caso acredite nisso, o que são os humanos hoje? Simplesmente somos mais do mesmo? Somos humanos 2.0?

Dr. Neruda: Quando disse que o recipiente humano evolui, realmente evolui, mas esta evolução vai em uma determinada direção, uma direção pré-programada. O objetivo era o retorno de Anu em uma ‘nuvem’, a Segunda Volta seria uma encenação da reentrada de Anu. A Humanidade evoluiria de tal forma que sua reentrada em nossa consciência seria entendida como uma coisa boa. A salvação da Humanidade. Seríamos todos seus filhos, e a glória de deus estaria sobre a Terra. Este era o plano. Desde antes de Jesus, este era o plano. Marduk programou tudo.

Sarah: Quanto tempo esses seres podem viver?

Dr. Neruda: De novo, esses seres como Marduk ou Enki ou Anu não tem sua base no espaço-tempo. São seres infinitos, o que significa que não tem fim. Eles não têm uma idade. Assim como nós.

Sarah: Estou tentando colocar toda minha força mental nisso tudo, mas estou achando muito difícil acreditar que seres humanos são simplesmente recipientes para uma existência programada.

Dr. Neruda: Deixe-me voltar à sua pergunta anterior sobre o que a humanidade é agora. Os implantes operacionais da interface humana estão perfeitamente integrados dentro do recipiente humano. Operam de forma integrada. Tão perfeitamente que não sabemos que eles não são nós. De certa forma não temos escolha. Achamos que nossos pensamentos e emoções são nós, que este espaço-tempo é onde estão inseridos nossos pensamentos e nossas emoções. Até mesmo a ideia de um Deus, paraíso, inferno, alma, mestres, todas essas coisas, fazem parte do programa.

Estão integrados tanto na dimensão do plano da Terra como na vida depois da morte. A vida depois da morte faz parte da ilusão, da farsa.

Sarah: Fale-me mais sobre esta interface e seus implantes operacionais.

Dr. Neruda: O cérebro-olho foi o elemento chave que os Anunnakis precisavam para fazer com que os implantes operacionais funcionassem. Isto foi no humano 1.0. No humano 2.0 foi o DNA. Uma vez isto alcançado, os Sirius poderiam projetar o esboço da consciência – a consciência humana. A consciência humana é a chave para anular um ser infinito. A consciência humana, ou a tríade da consciência, é composta de três camadas interativas.

A primeira camada é a mente universal ou inconsciente, que é o elo entre o humano como indivíduo e toda a espécie. Esta camada é o que possibilita todos nós vermos aquilo que todos veem, sentir o que todos sentem, saber aquilo que todos sabem. É a maneira perfeita de unificar a espécie na separação, na divisão. Na verdade, esta é a forma como sentimos a unificação, através da mente inconsciente.

A próxima camada da consciência é a mente genética, como os WingMakers a chamam, ou subconsciente, no caso de Sigmund Freud. Esta é o elo entre o indivíduo e sua árvore genealógica ou genética. Esta camada é onde a linhagem se manifesta.

E então vem a mente consciente. Esta é a percepção pessoal única e sua manifestação – o que a maioria de nós chama de personalidade e caráter, é construída nessa camada.

A mente consciente do indivíduo é fortemente influenciada pela mente genética, especialmente entre o nascimento e a idade de sete ou oito anos. Nesse período de vida a influência é total. Lembre-se que os Anunnakis criaram o modelo biológico – o corpo, os Sirius criaram os implantes operacionais, e Marduk executou o programa desses implantes operacionais, o que fazia com que evoluíssem gradativamente dentro de um padrão programado, sempre levando em consideração a volta de Anu. Isto se manifestava na estrutura hierárquica da humanidade que fala de deus e mestres nas religiões e nos textos esotéricos.

Tudo isso fazia parte do projeto, criar várias religiões e cultos esotéricos que dariam suporte para uma vasta hierarquia e ordenasse a espécie humana em relações de mestre-aluno, e então criar uma vida pós-morte de vários níveis que premiaria aqueles que acreditassem e fossem obedientes ao seu deus ou mestre.

Entenda que o que estava por trás de todo esse trabalho poderia ser resumido em uma palavra: separação, divisão. Tudo existe na separação dentro do plano terrestre, assim como nos planos pós-morte. Mas, de acordo com os WingMakers, o que é real é que estamos todos impregnados de igualdade e unidade – não através da mente inconsciente, que apenas nos liga na separação, mas pela essência da vida que nós somos. E esta essência de vida é soberana e integral. É o EU SOU NÓS SOMOS. Ninguém está acima, ninguém está abaixo. Ninguém é superior, ninguém é inferior.

Sarah: Mas você está dizendo que tudo é uma mentira? Tudo… quero dizer tudo aquilo que nos tem sido ensinado a acreditar é uma fraude! Como isso é possível… ou… é quase impossível acreditar.

Dr. Neruda: Isto é possível, pois os seres que tem escravizado a humanidade projetaram um mundo no qual nos adaptamos ao longo de eras, e evoluímos de tal maneira que nos perdemos no nosso mundo. Os véus que foram colocados sobre nós são opacos. Tanto é isso que as pessoas que operam como recipientes humanos não percebem que tudo à sua volta é ilusório. É uma realidade programada que não é real.

Os WingMakers dizem que tudo é simplesmente som holograficamente organizado para parecer real.

Sarah: É deprimente…

Dr. Neruda: Somente quando você considera o tamanho da farsa e a forma como a humanidade tem permitido que isto domine seus comportamentos. A boa notícia é que você está ouvindo sobre isso agora.

Sarah: Não sinto como uma boa notícia.

Dr. Neruda: Qualquer pessoa pode sair fora da ilusão. Não há mestre aqui. Nenhum deus vai descer e fazer as coisas acontecerem para nós. Nenhum ET. Nenhum. É cada um de nós. Isto é o que significa EU SOU. EU… é como Um – eu. Um – eu, e um – todos nós unificados. SOU significando existindo agora. Neste momento. Não na história ou nas lembranças. Não em algum tempo ou objetivo futuros. Agora!

Sarah: Não sinto isto como real. Eu fui educada na religião Cristã. Não tenho motivos para acreditar que Jesus tenha sido parte dessa farsa –

Dr. Neruda: Não estou dizendo que tenha participado. Muitos daqueles que vieram para a Terra como mestres humanos tentaram mostrar a profundidade, a abrangência e o tamanho da construção desta farsa, desta ilusão. Está tão distante quanto o limite do universo e tão próximo quanto seu DNA. Tudo que está entre esses dois pontos é ilusão. Jesus veio para revelar muitas dessas coisas, mas os escritores da Bíblia decidiram o que seria aceitável dentro do paradigma da vida como a conhecemos. Eles escolheram fazer de Jesus parte deste engodo. Viram que havia chegado a hora para uma redefinição de Deus, para acomodar um humano 2.0 em evolução. De repente Deus tornou-se um pai amoroso e, os humanos, todos eram irmãos.

Sarah: Portanto, você está dizendo que Jesus sabia sobre o engodo, mas suas palavras não foram incluídas na Bíblia?

Dr. Neruda: Nossa opinião era que suas palavras iam de tal forma de encontro às crenças estabelecidas que as pessoas não conseguiam entender. Então, ao longo do tempo, eles traduziram as palavras para a forma que hoje você conhece. Os textos bíblicos escritos carecem da potência original daquilo que ele pregava.

Além disso, há duas coisas que tornam essa ilusão um problema extremamente difícil.

Sarah: O que você quer dizer?

Dr. Neruda: A primeira é que o sistema da mente inconsciente está dentro de todos. É como um campo de informação que todos podem acessar. Isso pode afetar ou infectar a todos. Uma ideia original pode ser passada para um pequeno número de pessoas, mas não tem força suficiente para gerar um despertar em massa. Portanto, a ideia original fica em estado de inércia na mente inconsciente.

O outro ponto, e este é mais pernicioso, é que os implantes operacionais são programados, e, assim como qualquer programa, podem passar por um upgrade ou até mesmo podem ser apagados.

Sarah: À medida que ouço esta… história, sinto-me um tanto… atordoada e não sei como continuar a entrevista. Não tenho certeza do que perguntar ou que rumo seguir. Se olho minhas anotações, vejo que escrevi ‘Deus não existe’, realmente é isto que você está dizendo?

Dr. Neruda: Os WingMakers dizem que a tríade da consciência tem a consciência de deus instalada dentro dela – na camada da mente inconsciente – mas também dizem que conforme o indivíduo se desenvolve entre seis e sete anos, começa a construir sua personalidade individual a partir dos elementos da camada subconsciente, e entre 12 e 14 anos, tem sua personalidade já formada, e neste momento, alguns rejeitam a existência de um Deus.

Sob a ótica de Anu, não há problema. Ele provavelmente aprecia que haja ateus e agnósticos. É mais separação. Mais diversidade. Na verdade, quanto mais diversidade na família humana, maior será a divisão. Quanto maior a divisão, mais fácil será manter o programa de escravidão intato. Escolha um lado e discorde de seus oponentes. Compita. Isto alimenta guerras e instabilidade social.

Quanto à existência de deus, nós, coletivamente, somos a coisa mais próxima disso. Esta é a mensagem clara dos WingMakers. Existe uma Primeira Fonte, um ponto central na existência que criou o modelo de existência através do som.

Sarah: E o que você me diz daqueles que são iluminados ou mestres espirituais – são invenções?

Dr. Neruda: Não, não é que são invenções. Eles existem. Somente que sua existência está dentro da interface humana ou nos implantes operacionais. Eles existem lá. Nós, o ser que é EU SOU, este ser não é dessa realidade. Realmente não existe dentro do palco holográfico que foi criado por seres interdimensionais milhões de anos atrás; ao contrário, está sendo usado como uma fonte de energia que anima a interface humana ou recipiente. Com o tempo, temos penetrado cada vez mais profundamente dentro deste mundo criado, com sua vida após a morte e os diferentes planos de existência.

Você pode olhar tudo isso da seguinte forma: Anu instalou um programa dentro do humano 2.0 e neste programa, humanos evoluiriam para tentar conhecer deus, sem saber absolutamente nada sobre seu mundo. Humanos foram projetados para ter a consciência de deus – isto é, ter o mesmo entendimento e consciência que Anu. Porém, Anu pegou essa linha evolucionária e posicionou a consciência de deus em um futuro bem distante, de tal forma que os humanos ficariam caçando esta consciência de deus para sempre. Estariam caçando sombras, pois até despertarem dessa ilusão, o único deus que existe neste mundo é Anu.

Uma vez que tenha tomado consciência como EU SOU NÓS SOMOS ou o Soberano Integral, um ser humano vive como uma expressão dessa consciência. De acordo com os WingMakers, não há ninguém que tenha conseguido esse estágio neste momento. Isto vai acontecer no nosso futuro.

Sarah: Se ninguém conseguiu isso… você quer dizer em nenhum lugar?

Dr. Neruda: Neste plano, Terra, ninguém conseguiu. Mas lembre-se, os WingMakers são humanos em um tempo futuro. Voltaram para o nosso tempo para abrir uma fenda nesta concha e abri-la um pouco. Eles viajaram para nosso tempo para lembrar-nos o que descobriram. Deixaram de ser escravos, portanto nós também faremos isso.

Sarah: Mas você mesmo disse que o espaço-tempo é uma ilusão.

Dr. Neruda: É verdade. Mas é difícil imaginar que o universo no qual existimos realmente é uma projeção holográfica que foi programada dentro da nossa mente inconsciente e que realmente estamos dentro deste holograma, vestindo um recipiente humano que foi equipado para perceber apenas esse holograma. Os WingMakers dizem que o mundo real é som. Tudo é som e reverberação de som. Tudo que temos em nosso recipiente humano para sentir nosso universo são milhões de anos de projeto evolucionário para entrar em sintonia com este holograma e somente este holograma.

Sarah: Então como que este holograma se estende além do mundo físico? Você disse que mesmo a vida pós-morte faz parte disso?

Dr. Neruda: Há muitos aspectos com relação à vida pós-morte. Antes de tudo, Deus existe. Há a Luz da iluminação espiritual. Tem o espírito universal e a alma individual. Tem uma hierarquia de anjos e mestres. Existe o conceito de Karma e reencarnação ou pecado e salvação. O conceito de paraíso e inferno. A ideia da escolha. A ideia de um caminho ascensional. O conceito do Livro dos Registros ou Registros Akashicos. Todos esses conceitos foram projetados em um upgrade da interface do humano 2.0. Certos humanos estão programados para encontrar esses conceitos em sua camada da mente inconsciente e compartilhá-los. O resultado disso é que começam a aparecer religiões. Filosofias aparecem, às vezes para apoiar as religiões, às vezes para contradizer. Florescem cultos esotéricos.

Durante todo o tempo o ser humano permanece perdido. Fica confuso em sua ilusão. Tudo amarrado em uma promessa vazia de uma crença, e em todas essas crenças, uma coisa permanece constante: separação.

O programa tem um grande alcance, e os Anunnakis, uma vez já tendo extraído ouro suficiente, tinham uma raça inteira escravizada. Anu, juntamente com seus aliados Sirius e Serpentes, decidiram que seria melhor transformar o humano 2.0 em uma criatura inútil que estaria sempre em busca da iluminação através da crença. E quem você imagina que iria fornecer os elementos para a crença? Anu e Marduk.

Tudo se tornou lições a serem aprendidas. A Terra era a escola. Se você aprender suas lições, não terá que continuar reencarnando. Aprenda, aprenda, aprenda. Mas o que você está aprendendo? Você está aprendendo a acreditar na vida após a morte, assim como foi descrito e prescrito por Anu e seus projetistas. Você está aprendendo a vestir seu recipiente humano passivamente. Você está aprendendo a discernir as diferenças da humanidade. Você está aprendendo a associar toda autoimagem que você tem com o mundo tridimensional, esperando que haja mais depois da morte.

A realidade aguardada é que depois que você morre, o ser dentro de você é aguardado por um guardião que o levará ao seu destino, baseado principalmente nos seus atos durante a vida. No entanto, a maioria dos seres é levada a fazer uma revisão da vida, onde encaram suas vidas em cada detalhe, e baseado nisso uma figura com autoridade prescreverá suas próximas opções de vida para reencarnar. Basicamente você é reciclado no mesmo programa com uma nova mãe e família, e um padrão de vida programado é colocado para que você o siga.

O programa pós-morte e o processo fazem parte do programa máster para manter a escravidão dos seres. Lembre-se, somos seres interdimensionais – o que significa existirmos em 3D e em planos superiores. O problema é que estes planos superiores são projetados pelos Anunnakis. Não são dos planos dimensionais reais. Caso contrário, morreríamos, descobriríamos quem realmente somos e nunca mais reencarnaríamos, ou se fosse o caso, diríamos a todos na Terra que tudo isto é uma ilusão.

Sarah: Por quê? Porque isto é feito dessa forma? Não faz sentido.

Dr. Neruda: O que começou como um experimento de exploração tridimensional de uma realidade dimensional superior tornou-se isto que está aqui. Todo ser humano vai chegar a um momento em que vai confrontar esta realidade. Isto não pode ser evitado. Podemos sofrer com a falta de justiça, ou perguntar a razão disso tudo, mas se isso faz sentido para você não muda o fato de que vivemos em um mundo de separação e divisão projetadas. Dividir e conquistar.

Os WingMakers escrevem em um tom vibracional de igualdade (neste momento Dr. Neruda pega alguns papéis). Aqui estão as exatas palavras escritas pelos WingMakers: “Quando todas as manifestações de vida são genuinamente percebidas como expressões fragmentadas da Primeira Fonte, a vibração de igualdade que subjaz em todas as formas de vida torna-se perceptível pra o instrumento humano. A princípio, vida aparece como uma extensão da Realidade Fonte, e só então, como uma frequência de energia individualizada colocada dentro de uma forma. Isto vibra, em seu mais puro estado eterno, exatamente o mesmo para todas as manifestações de vida. Esta é a base que todas as formas de vida compartilham. Este é tom vibracional de igualdade que pode ser observado dentro de todas as formas de vida que une todas as expressões de diversidade para o alicerce da existência conhecida como Primeira Fonte.”

Sarah: Isso é muito abstrato. Como isso ajuda?

Dr. Neruda: Talvez não ajude. Eu não sei. Mas a verdade é que para mudar, a fim de sair dessa ilusão, é preciso que cada de um nós desperte e se mantenha desperto. Não vai ser lendo palavras que isto mudará, vai ser a profunda natureza dos novos comportamentos, pois estes comportamentos vão sinalizar que as camadas de nossa consciência são percebidas como separadas de quem nós somos. Temos que operar como EU SOU NÓS SOMOS.

Sarah: Onde entram a Incunabula ou os Illuminati nisso tudo?

Dr. Neruda: Respondo isto mais tarde. Quero avançar um pouco mais na história.

Sarah: Ok.

Dr. Neruda: Humanos 2.0 e a Terra continuam densificando. Tornamo-nos cada vez mais tridimensionais. Na verdade estamos mais densos do que nunca estivemos – em termos físicos. Houve um tempo, por volta de 30 anos atrás, quando pensávamos que as raças alienígenas estavam abandonando suas espaçonaves propositalmente, e o que descobrimos mais recentemente, é que a maioria dos alienígenas não eram seres físicos. Eles estavam observando a Terra, e suas espaçonaves foram arrastadas pelos circuitos gravitacionais do núcleo da Terra, que fez com que essas naves se materializassem no espaço tridimensional. Muitos dos materiais usados na construção das naves tinham propriedades químicas que eram propensas a densificação quando expostos à atmosfera terrestre.

Sarah: Você mencionou que o núcleo da Terra é o que causa tudo isso. O que isto tem de especial?

Dr. Neruda: Os campos magnéticos associados com o núcleo terrestre são únicos. São, nas palavras dos WingMakers, ‘vivos’. Apenas podemos assumir que vivos é um aspecto da inteligência. Mas o importante nisso tudo é que tudo está densificando. Está comprimindo. Está comprimindo por uma razão: os velhos sistemas podem cair simultaneamente quando a densidade alcança uma determinada massa crítica. E isto é o que vai acontecer.

Sarah: Quando?

Dr. Neruda: Tudo que posso dizer é que é em breve. Não gostaria de colocar datas ou associar épocas com isso -…

Sarah: Mas você sabe?

Dr. Neruda: Sabemos mais ou menos.

Sarah: Mais do que dez anos?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Mais do que vinte (anos)?

Dr. Neruda: Tudo que direi é que o prazo dos WingMakers para isso é a RSI, ou a Rede do Soberano Integral. RSI é a definição do novo sistema. Eles dizem que pode acontecer instantaneamente desde que as condições corretas estejam posicionadas. O que não está claro é como a RSI se desenvolve depois do Grande Portal e do humano 3.0.

Sarah: É a primeira vez que você menciona o humano 3.0. O que é isso?

Dr. Neruda: Se os seres humanos estão trancafiados em uma prisão de ilusão, como humanos 2.0, e sua interface para o universo holográfico é a razão de estarem aprisionados, então um novo modelo precisa dar um passo à frente. O Humano 3.0 é o novo modelo. É a fórmula da auto realização. É sair do universo construído ou realidade, e viver como uma auto manifestação do EU SOU NÓS SOMOS. O humano 3.0 é o Soberano Integral. Chamo isto de humano 3.0 SI.

Veja, O Grande Portal é o caminho para sincronizar a humanidade para um novo ponto de inserção (porta de entrada) onde está vivendo a manifestação da unidade e igualdade, soberano e integral, EU SOU e NÓS SOMOS. É uma forma de a humanidade sair fora da separação – que era seu ponto de inserção anterior, e que gerou os humanos 1.0 e 2.0. O Humano 3.0 SI terá um novo ponto de inserção, e a razão para O Grande Portal foi possibilitar a sincronização, pois, como você pode ter uma rede de igualdade e unidade se os seres não estiverem sincronizados?

Sarah: O que é a alma, então?

Dr. Neruda: Alma é uma ideia ou paradigma que faz parte do programa da realidade humana. Alma é a parte de você que contém toda a memória de sua existência como humano 1.0 e 2.0. Para a maioria de nós, é um enorme depósito – grande demais para o sistema da consciência operar. Portanto, a alma guarda a informação de cada ser individual. Alma é um paradigma da expressão infinita dentro de uma realidade finita. Mas você não pode ser infinito em uma realidade finita se esta realidade é uma realidade programada. Portanto, a alma não é a energia da vida que alimenta a consciência humana. Quem faz isto é o Soberano Integral. Isto é o que todos nós somos quando estamos despidos de toda ilusão, de toda farsa, de todas as limitações, de todos os véus, de todos os implantes operacionais – inclusive a alma.

É a redefiniçao da identidade humana e a manifestação como EU SOU NÓS SOMOS. Sob uma perspectiva humana, os WingMakers não veem os humanos como entidades inferiores, mas simplesmente seres com pontos de inserção que os escravizam. Não se trata de um julgamento que os humanos não tem valor, ou sejam maus, pecadores, fracos ou carentes. Nenhuma dessas coisas. A Humanidade precisa de um novo começo. Um ponto no qual possam sincronizar em uma compreensão, e que seja a expressão do EU SOU NÓS SOMOS. Viver essas palavras como comportamento.

Sarah: Onde está o criador de Anu… o Deus real? Porque permite que vivamos e operemos neste tipo de ilusão?

Dr. Neruda: Os WingMakers falam sobre o modelo transformação/mestre… espere um pouco. (Dr. Neruda pegou uma página de sua pasta.) Eles falam sobre isto da seguinte forma: Chegou o momento de integrar o modelo dominante da hierarquia (evolução/salvador) com o modelo dominante da Inteligência Fonte (transformação/mestre). Esta integração só pode ser alcançada ao nível da entidade. Não pode ocorrer dentro do contexto do instrumento humano ou de um aspecto da hierarquia. Somente a entidade – a totalidade da soberania interdimensional impregnada com a Inteligência Fonte – pode facilitar e experimentar em toda plenitude a integração destes dois modelos de existência”.

Sarah: E o que isso tem a ver com minha pergunta?

Dr. Neruda: Todo ser individual é responsável por isto. Deus ou Inteligência Fonte não vão descer dos céus e corrigir as imperfeiçoes humanas e os obstáculos. Os Humanos precisam assumir a responsabilidade por isso –…

Sarah: Mas, como? Estamos cobertos por tantas camadas de ilusão –…

Dr. Neruda: Não é fácil. Os WingMakers escrevem sobre as virtudes do coração como o comportamento concebido para este tempo. Como estas palavras podem ser aplicadas e vividas. Não simplesmente guardadas na cabeça como um conceito valioso.

Sarah: Acho que você não falou sobre isto antes. Quais são essas virtudes?

Dr. Neruda: Agradecimento ou gratidão, compaixão, humildade, perdão, compreensão e destemor ou coragem. Esta é a combinação de um ser renovado no agora – e aplicando essas palavras no seu comportamento. É ser impecável nesta prática.

Sarah: O que acontece se você praticar?

Dr. Neruda: A mente inconsciente é uma porta de entrada para todos os seres. Este comportamento atinge todos os seres. É o alicerce da Rede do Soberano Integral do humano 3.0, que é a substituição da consciência de separação do humano 2.0. Portanto, esta é aplicação do comportamento assertivo, o que equivale a dizer, vou inserir este comportamento no meu agora. Essas virtudes se tornarão a plataforma da minha escolha comportamental.

A outra metade desta equação são os comportamentos que resistem, e que procuram retirar e parar os comportamentos que suportam a separação e a ilusão. Estes são resistências ativas que dizem “não” para seus comportamentos e dos outros, sem julgamento.

De novo, se você operar no modelo comportamental de resistência, você estará afetando o todo. Ou você apoia a unidade e igualdade, o EU SOU NÓS SOMOS, ou apoia a separação e a ilusão, também conhecida na nossa realidade como o status quo.

O ponto inicial do comportamento ou expressão está no agora. Este é o centro do ponto nevrálgico. Cada momento do agora é um potencial que dá suporte à unidade e igualdade neste mundo, e ajuda o nascimento do humano 3.0 e da Rede do Soberano Integral.

Sarah: Quanto tempo? Quer dizer, quanto tempo isso vai levar?

Dr. Neruda: O Grande Portal torna possível a Rede do Soberano Integral. Os WingMakers sugerem que lá por 2080, as condições deverão ser ideais para este humano 3.0 aparecer. Mas também disseram que poderia ser um pouco mais cedo ou mais tarde.

Sarah: Porque Anu, já que ele é Deus, simplesmente não para com isso? Ou, se Marduk pode programar com tanta precisão, como poderia surgir um ser humano 3.0? A menos que ele queira isso.

Dr. Neruda: Houve várias intervenções. Enquanto Anu e seu bando de Sirius estavam focados no recipiente humano 1.0 e 2.0, não deram muita atenção para a interação entre a Terra e este recipiente humano. A Terra por si só é uma anomalia. Lembre-se que os campos gravitacionais da Terra interagem com toda a vida. Mesmo os seres não físicos – caso cheguem perto o suficiente – podem ser materializados neste plano de existência. Anu não queria ser materializado nesta dimensão, e só poderia aparecer neste plano de existência por curto espaço de tempo, talvez um dia ou dois. Hoje em dia, nesta época, agora, os Anunnakis não podem entrar neste plano. Estão fechados por fora. O plano terrestre é denso demais. Portanto, esta é uma razão. A capacidade de Anu de interagir diretamente com sua criação foi cortada.

O segundo ponto de intervenção é que os seres não físicos despertaram para essa questão da escravatura. Perceberam como isso afeta a todos. Em parte era permitida, pois os Anunnakis e seus aliados eram fortes e uma ameaça para muitas outras raças e seres. No entanto, esta noção de escravizar seres infinitos, como um conceito ou um ponto de inserção, estava infectando toda a existência. Era uma ideia que tinha como princípio o medo, a separação, e os seres começaram a ver como uma força degenerativa para a existência. O estado original da existência, que inclui manifestações no espaço-tempo e no não-espaço-tempo, é a unidade e igualdade. Obviamente, escravidão só é possível no paradigma baseado na separação.

O terceiro ponto de intervenção são os WingMakers. Eles eram um segmento da humanidade também conhecido como Atlantes, mas mesmo antes da raça Atlante, existiam em um modelo genético em estado puro, e eventualmente este modelo genético foi usado por Anu para criar – parcialmente – o humano 1.0 e o 2.0. Embora com a versão 2.0, que era menos pura, pois a genética dos Anunnakis e Sirius, entre outros, tinha sido introduzida. Mas o ponto que estou tentando trazer aqui é que os WingMakers, como uma expressão futura do humano 3.0, tem entrado em nosso espaço-tempo e começaram a quebrar os muros desta realidade prisão.

O quarto ponto de intervenção é cada um de nós, praticando o processo do Soberano Integral.

Sarah: Imagino que a Incunábula e os Illuminati tem algo a dizer sobre todo este plano do humano 3.0. Estou certa sobre isso?

Dr. Neruda: Sim. A Tríade do Poder, seja lá como queira definir isto em termos de título, tem como objetivo criar seu próprio humano 3.0. Esta versão terá como base a confluência de tecnologia na forma de melhorias biológicas que tornam o recipiente humano um ambiente ainda mais acolhedor aos implantes operacionais. O objetivo é fazer um humano infinito no plano terrestre… infinito por conta da imortalidade. O objetivo é a fusão de humano e tecnologia ou, o que alguns chamam, trans-humanismo. Portanto, o humano 3.0 para a Tríade do Poder é muito diferente do humano 3.0 SI, imaginado pelos WingMakers.

Veja, trans-humanismo é separação. É dito que somos frágeis, fracos, finitos, estúpidos, doentes… incompletos. Todas essas ideias de implantes biológicos e aprimoramento cognitivo faziam parte dos objetivos do ACIO.

Sarah: O ACIO estava construindo o humano 3.0?

Dr. Neruda: Sim, determinadas características chave do modelo trans-humanista. Não a versão SI. Veja, a ideia total da transcendência está ligada ao ponto de inserção da separação. É o modelo principal do EU SOU. Digamos, o recipiente humano pode ser e deve ser melhorado de tal forma que os implantes operacionais possam viver para sempre. Conforme os WingMakers, várias coisas estão faltando. Primeiro, a mente inconsciente não pode armazenar continuamente o fluxo de dados de uma espécie, e em segundo lugar, a busca por quem nós somos, como a verdadeira fonte de vida, só vai ser obscurecida pela melhoria tecnológica. A compreensão do EU SOU NÓS SOMOS não é uma compreensão tecnológica, nem é sua manifestação acelerada por ou através de tecnologia, a nível individual. É um processo de autoconhecimento e comportamental. Nem mais, nem menos.

Sarah: Então os trans-humanistas querem acabar com o sofrimento humano, a ignorância e a mortalidade através da tecnologia, e o ACIO estava fornecendo tecnologia para que isto fosse feito. Mas quem teria acesso à tecnologia?

Dr. Neruda: A elite, sem dúvida. Isto somente aceleraria e acentuaria a separação. É, ao mesmo tempo, dar e retirar poder. Os modelos econômicos para a difusão do trans-humanista, como era chamado no Grupo Labirinto, não foram aprovados por todos. Com exceção da Incunábula.

Sarah: Na verdade você está dizendo que eles queriam montar um plano em que as tecnologias para a transcendência fossem disponíveis para todos?

Dr. Neruda: Eles viam isso de duas formas: a primeira, se a tecnologia fosse introduzida no nascimento, isto diminuiria os problemas de custo com a saúde e educação, compensando os custos de difusão. Mas, isto teria que ser implementado pelo governo. Nenhuma empresa privada garantiria a confiança necessária. Portanto, um componente crítico era fazer as Nações Unidas a organização mundial com credibilidade para introduzir o trans-humanismo no palco global.

A segunda forma era permitir que diferentes classes sociais e o mercado livre tornassem a tecnologia irresistível, e assim fazer com que o governo subsidiasse para baixar os custos o suficiente para possibilitar a dispersão.

Tudo isso parece muito altruísta, mas a qualidade das tecnologias seria variável. As classes mais elitizadas seriam capazes de garantir implantes de qualidade superior associadas a uma genética mais sensível. Teríamos então uma civilização humana que tentaria eliminar os descontentes e a insubordinação em favor da participação em um sistema de governo dirigido por uma elite de trans-humanos.

A tecnologia irá do externo-impessoal para o externo-pessoal, para o integrado-pessoal, para o interno-pessoal. Trans-humanismo é a última fase, e é a fase para onde a elite está se movendo. O interno-pessoal está baseado exatamente no mesmo paradigma do que está hoje a condição humana – ou seja, os humanos tem uma interface programada que é parte integrante do seu corpo humano, e é alimentada por uma fonte infinita daquilo que eles verdadeiramente são.

Involuntariamente os humanos estão tentando ser Anu por eles mesmos. Isto faz parte do programa, de acordo com os WingMakers. A humanidade fará o papel de Deus para ela mesma. Tentarão projetar um humano e uma civilização melhores.

Farão isso porque não podem imaginar como a humanidade pode se salvar através de comportamentos simples e a percepção do que podem ganhar com isso. Farão isso porque estão programados para tornarem-se integrados com tecnologia. Esta é a direção que os WingMakers procuram evitar. Dizem que os seres humanos são completos caso consigam sair fora de seu modelo de consciência e perceber o que na verdade está impulsionando seus sistemas, suas realidades artificiais, sua existência programada. A integração da tecnologia internamente, somente tornará essa percepção mais difícil.

Sarah: Acho que no Sábado você disse que havia profecias de uma raça sintética conquistando a humanidade… o que você diz parece muito com o que esses profetas viram.

Dr. Neruda: Fifteen sentiu da mesma forma. Ele nunca assumiu que eram alienígenas de fora do planeta. Esses profetas poderiam ter visto humanos 3.0 trans-humanistas em alguma linha do tempo em um futuro distante e assumido que fossem alienígenas.

Sarah: E o Exército?

Dr. Neruda: Assim como você pode imaginar, é aí onde será testado em primeiro lugar. Há todo um campo de tecnologia psicológica que abriu terreno para tecnologias internas reais desaguarem nos militares. Será liberado aí inicialmente, a fim de que possa ser protegido devidamente para fins de teste. Uma vez provado, trabalhará em sinergia com os programas de tecnologia do integrado-pessoal da elite corporativa.

Sarah: Quando você diz integrado-pessoal, o que exatamente quer dizer?

Dr. Neruda: A miniaturização da tecnologia permitirá que funcione como um enfeite para o corpo. Ainda não será interno, mas fazendo parte do corpo humano como uma roupa ou óculos, relógio ou uma joia.

Sarah: Seja paciente comigo e veja se estou entendendo. O humano 1.0 foi uma criação de um ser que é Deus…

Dr. Neruda: Não. Anu é como nós ou os Atlantes. Ele não era mais inteligente ou um deus. Era um mentiroso, enganador. Esta é a única diferença.

Sarah: Ok… mas Anu criou o humano 1.0 e percebeu que eram muito semelhantes a ele mesmo nas suas capacidades, e temia que um dia pudessem descobrir que eram Atlantes escravizados pelos Anunnakis. E estava preocupado com as consequências dessa descoberta. Então, acabou com eles através de um dilúvio planetário.

Dr. Neruda: De acordo como os WingMakers, o dilúvio foi uma parte do programa de extinção, mas havia também armas nucleares que foram usadas no planeta – e a maioria delas tem sido explicada como impactos de meteoritos. Mas os WingMakers dizem que eram armas avançadas que foram usadas contra populações de humanos que tinham evitado o dilúvio.

Sarah: Ok. Seja qual for a forma como os humanos 1.0 foram eliminados do planeta, eles foram substituídos pelo humano 2.0, e estes já incluíam melhorias como a possibilidade de reprodução e programas mais avançados. E o programa mais importante era a noção que Anu era Deus e retornaria para sua criação. Está correto?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: E a melhoria seguinte no humano 2.0 bifurca-se em dois caminhos. Uma versão do humano 3.0 vai para o caminho da integração da tecnologia… ou trans-humanismo. A outra versão, 3.0 SI, é um processo mais orgânico, utilizando o comportamento como meio para sustentar este processo de transformação para um humano 3.0 ou Soberano Integral, e assim tornar-se parte da rede destes Soberanos Integrais. Correto?

Dr. Neruda: Sim, você deu uma ideia geral.

Sarah: E a Tríade do Poder quer que o humano 3.0 vá para o caminho da integração tecnológica, pois foi dessa forma que eles programaram… para imitar seu deus, Anu. Certo?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Portanto, é como se a humanidade estivesse sentada em uma encruzilhada. De um lado está a Tríade do Poder que está programada para desenvolver o humano 3.0 como um… um cyborg, e do outro lado está a futura existência da humanidade insistindo que façamos isso internamente, individualmente, através de um processo comportamental. Acho que a parte que está faltando para mim é o papel do Grande Portal, que não parece muito claro. Pensei que fosse uma tecnologia que provasse a existência… a existência científica irrefutável da alma humana. Como se explica isso?

Dr. Neruda: Existem pessoas aqui que são projetistas da nova mente consciente que unirá todas as populações humanas em todo planeta para sentir e expressar a igualdade e a unidade. A humanidade será conectada na consciência do EU SOU NÓS SOMOS, em lugar da consciência da separação. Isto não estará baseado em hierarquia. Esta ilusão está se desvanecendo.

Uma das coisas que nunca foi revelada nos materiais – incluindo minhas quatro entrevistas anteriores – é que certas informações não eram para serem divulgadas. Algumas informações eram para serem mantidas veladas a fim de não levantar a ira da Tríade do Poder. Esta informação, a quinta entrevista, não será divulgada na mesma época das quatro anteriores.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: Os projetistas da nova camada da consciência do humano 3.0 estão no planeta no momento. Eles estão fazendo alguns dos preparativos para fazer a humanidade – que continuará sentada na encruzilhada da estrada nos próximos 40-50 anos – avançar para escolher o caminho do EU SOU NÓS SOMOS.

Sarah: Isto quer dizer que não posso divulgar esta entrevista?

Dr. Neruda: Não. Quando for o momento, eu entro em contato com você.

Sarah: Você disse que algumas informações estão veladas. De que forma?

Dr. Neruda: Os WingMakers somente vão liberar algumas informações agora, em 1998. Que são as informações que não pareçam revolucionárias demais. Muito radicais. É preciso, de acordo com suas próprias palavras “atravessar a interface humana e ativar a concordância” para que ouçam a voz deles. Por exemplo, eles usam o termo WingMakers para se descreverem, sabendo que isto teria uma conexão com um apelo angélico.

Sarah: Mas você havia dito que os WingMakers eram uma representação futura dos seres humanos – e depois de tudo que você já disse – parecem ser uma versão 3.0. Certo?

Dr. Neruda: Sim, mas existe um programa dentro da interface humana onde os implantes operacionais estão conectados a uma rede como um sistema que ignora certas informações. A pessoa ouve, mas não reage, não contesta. Ouve, mas não compartilha. Todos esses programas foram criados – não originalmente, mas podem ser melhorados… o programa pode ser atualizado com novas instruções. Isto cria uma ruptura nesta realidade – expondo a verdade como realmente é – uma proposta muito difícil.

Esta é a razão de ter que haver certo grau de discrição. O engano é tão grande e obscuro nesta realidade, a ponto de que aqueles que estão tentando entrar na prisão e criar uma fenda no muro… eles também tem que usar uma forma de fraude.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: A programação Sarah. Se a informação em estado puro for dada e contradisser tudo o que tem sido dito para as pessoas acreditarem; se for exatamente o oposto do que era lógico e aceito neste mundo, quem ouviria? Os WingMakers precisam despertar certas pessoas para dentro de seu campo de informação como uma forma de “aquecê-los” para a verdade. Isto será feito aos poucos para a maioria das pessoas.

Sarah: E eu, como fico nisso tudo?

Dr. Neruda: Você não está entre a grande maioria, mas é a única até então a saborear um pouco disto tudo.

Sarah: Todos dentro do Grupo Labirinto sabem sobre isso também?

Dr. Neruda: Em diferentes graus.

Sarah: Mas eles estavam caminhando para o trans-humanismo. Esta informação mudou o modo de pensar deles?

Dr. Neruda: Não. Esta é a razão de eu estar aqui.

Sarah: Você acabou de dizer que eu sou a única que está tendo a oportunidade de saborear um pouco dessa informação, logo ainda tem mais material a ser divulgado mais tarde?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Mas você não vai me dizer quando… certo?

Dr. Neruda: Correto.

Sarah: Apesar do Grupo Labirinto ser inteligente e estar informado, porque esta informação não mudou o modo de pensar deles?

Dr. Neruda: Eu tive o privilégio de ter interações diretas com os WingMakers. Nenhum dos meus colegas teve. Isto fez diferença no meu desejo de agir sobre esta informação, e não simplesmente considerá-la inconsistente com a minha realidade conhecida.

Sarah: Isto parece muito confuso, muito embaralhado… sem muito sentido.

Dr. Neruda: Qual parte?

Sarah: Tudo isso. É tudo muito confuso e ainda sabendo que fomos nós que fizemos toda essa bagunça…

Dr. Neruda: Seja lá o que for que isto possa significar, é importante saber o que está por trás da ilusão… para olhar a verdade com olhos isentos. Na verdade, pode não ser uma bela imagem, mas de que outra forma você pode visualizar sua própria verdade se não consegue ver o quadro como um todo? Portanto, por mais confuso que pareça, é um ponto de inserção ou um ponto de partida para uma redefinição da pessoa.

Você preferiria ficar na ilusão de que a alma humana será salva por Deus e subirá ao paraíso nos céus para ficar com os anjos tocando harpa? Toda essa ideia torna-se repulsiva uma vez que você conhece a verdade. Esta pintura está fundamentada na separação, no egoísmo e na ausência de empatia e compreensão. Ou, pode-se simplesmente dizer que tudo isso é um grande devaneio, inclusive a noção de que somos seres infinitos, e que quando se morre, tudo acaba.

A parte desse novo quadro que é promissor, é que nós existimos infinitamente apesar de termos sido anulados e escravizados. Podemos também desempenhar um papel apoiando esta redefinição do ser humano através de nossos pensamentos e comportamentos. E, talvez mais importante ainda, temos os WingMakers – nós mesmos no futuro – nos mostrando a evidência de que o EU SOU NÓS SOMOS prevalecerá.

Quando comecei a ler esses materiais, foram estas coisas que transmitiram algum sentimento de esperança, e compartilhá-los com você, acho que vale a pena.

Sarah: Obrigada. Todas as coisas que você me disse nas primeiras quatro entrevistas… com esta nova informação, as coisas não mudam?

Dr. Neruda: Sim. Tudo é afetado por isto.

Sarah: Dê-me um exemplo.

Dr. Neruda: Domingo à noite falei sobre o LERM ou Matriz de Realidade de Luz Codificada (Light-Encoded Reality Matrix). LERM era o que o Grupo Labirinto pensava que era Deus – em termos de prova. Mas o que realmente se descobriu foi a essência de Anu operando nesta realidade como um campo de observação abrangente, que está dentro da interface da nossa consciência para esta realidade de existência chamada Terra. LERM é Anu projetado.

Sarah: E os ETs? Eles não têm conhecimento disso tudo? Não podem intervir e nos salvar desta situação?

Dr. Neruda: Lembre-se, todos dentro deste universo fazem parte desta ilusão, caso saibam ou não. Existem quatro classes de seres: os primeiros são aqueles que sabem sobre a ilusão e estão ativamente apoiando tal situação; o segundo grupo é aquele que sabe sobre a fraude, mas não está disposto a fazer alguma coisa a respeito; o terceiro é aquele que não sabe e inconscientemente está apoiando a fraude; e o quarto grupo é aquele que sabe sobre a farsa e está tentando ativamente sair da farsa e planejar uma forma para que todos façam o mesmo. É isso aí. Não importa se o ser é físico ou não. Todos estão dentro de uma dessas quatro categorias – em qualquer lugar do universo de existência.

Os seres no grupo três estão despertando. Alguns deles entendem que a farsa em uma parte do universo contagia a todos. É necessária uma ação corretiva. É preciso um entendimento coletivo para garantir que isto nunca mais aconteça.

Sarah: Como pode ser que todos no universo façam parte dessa farsa, dessa ilusão? Não consigo entender.

Dr. Neruda: Nosso universo inteiro é criado. Não estou dizendo que isto é o universo. Estou dizendo que o que chamamos de universo, tão distante quanto podemos observar, faz parte do holograma implantado dentro da nossa estrutura de consciência e da interface humana. Nossa consciência mental estabelece relações espaço-temporais para tudo que vemos, e como disse, isto faz parte do nosso programa. E isto inclui o universo.

Porque você acha que nossas melhores mentes no planeta não podem definir a consciência, e muito menos a mente subconsciente e inconsciente? Está programado desta forma. Anu não quer que conheçamos. Olhamos para a informação neural e decidimos em quantas partes podemos cortar, mas ainda assim isso não explica como isso é experenciado.

Como Aristóteles disse cerca de 2.300 atrás: ”Estar consciente que estamos percebendo, é estar consciente de nossa própria existência”. Esta é uma boa descrição de EU SOU. Portanto, somos uma forma de vida isolada que enfrenta nossa realidade exterior? Não, estamos conectados com todos. Isto é porque o EU SOU NÓS SOMOS é um ponto de inserção crítico para nossa identidade. Qualquer ser que não acredita nisto, não está consciente da realidade. Não importa onde existam ou que tipo de recipiente ou corpo vistam. Não importa se querem salvar a humanidade. Primeiro devem agir desta inserção, deste princípio. O universo, tão imenso quanto parece, é um holograma dentro de uma existência programada na qual todo ser humano entende que seja realidade. Este entendimento informa a mente inconsciente – novamente, a parte da interface humana que Anu criou – e coletivamente todos nós vemos nosso mundo mais ou menos da mesma forma.

Tem-nos sido dito que há trilhões de planetas com vida. Que o universo é abundante de formas de vida em várias dimensões, mas o que conhecemos está aqui. Na Terra. A tangível e visível Terra. Existem outros seres? Lógico. Eu os vi. Salvarão a humanidade? Não podem. Podem apenas apoiar. Não se trata de alguém ou alguma coisa nos salvar. O problema é o processo de redefinição que só pode ocorrer dentro de cada um. Não se trata de se iluminar e ascender para dimensões superiores e protegidas. Isto será feito no corpo físico como seres humanos, por seres humanos, para os seres humanos.

Sarah: Sei que a entrevista no papel não vai conseguir passar a força e a emoção dessas palavras que acabou de proferir, mas gostaria que conseguisse. Penso que isso ajudaria a entendê-lo melhor.

Dr. Neruda: As palavras são suficientes.

Sarah: Porque você? Porque você acha que pode interagir com os WingMakers e lhe pediram que essas informações fossem divulgadas? Porque não interagiram também com Fifteen?

Dr. Neruda: Primeiramente, não é apenas comigo. No entanto, dentro do Grupo Labirinto, eles me selecionaram porque tinha certa ressonância com essas informações que outros dentro do Grupo não tinham. Em termos de divulgar as informações, talvez porque eu fosse o único que iria ao extremo de desertar do ACIO a fim de tornar esta informação disponível.

Não me vejo como especial no sentido que sou o único envolvido em obter a informação. Existem outros, muitos outros, tanto físicos como não físicos que estão ajudando neste processo de transformação. Os WingMakers falam sobre isso em seus documentos filosóficos como os dois portais.

Sarah: Só tenho ouvido você falar do Grande Portal; assumo que seja um dos dois portais…

Dr. Neruda: Sim. O Grande Portal será liberado nas publicações dos WingMakers como a descoberta científica irrefutável da alma humana, e de certa forma, isto é verdade, mas não é história completa.

Os dois portais são definidos como “a fenda, a ruptura” e “a queda do muro”.

Sarah: Espero que você explique…

Dr. Neruda: Sim, a fenda ou ruptura é o primeiro portal. É o portal entre mundos. É um humano, e isto é tudo que sei neste momento.

Sarah: Um ser humano que faz o que?

Dr. Neruda: Que pode andar entre mundos. Sei que centenas de pessoas, até pessoas famosas, têm declarado ter visitado o paraíso, mas de acordo com o que escreveram os WingMakers, isto não é verdade. Elas têm perambulado pelo mundo astral, que tem muitas dimensões, mas este mundo astral faz parte da criação de Anu, em termos da nossa programação. A nossa existência dimensional verdadeira não é da criação ou das fórmulas de Anu. O portal humano será um portal de comunicação entre nossas origens, como uma raça de seres infinitos e este mundo – o holograma da ilusão.

Sarah: E sobre a queda do muro, como você chamou?

Dr. Neruda: O Grande Portal é a queda do muro, a demolição da muralha. Vai ser quando a muralha vier abaixo através dos esforços de todos os seres que estão experimentando o processo do Soberano Integral. E isto torna possível para todos os seres humanos avançar para seu infinito self ou a essência da vida.

Sarah: Então a sequência seria primeiro o portal humano e depois O Grande Portal? E sob a perspectiva de tempo, o que você pode dizer sobre isso?

Dr. Neruda: O portal humano fixa o ponto de inserção na Terra para O Grande Portal. Isto chegará em mais ou menos 10 anos (Convém lembrar que esta entrevista foi feita em 1998. N.T.). O Grande Portal, cerca de 70 anos depois disto. Estes foram os prazos que me informaram, mas sempre podem mudar.

Sarah: O que a ciência diz sobre isso?

Dr. Neruda: Ciência… em termos de quê?

Sarah: Quero dizer sobre a noção de que o universo é um holograma ou ilusão criada dentro de nossa cabeça.

Dr. Neruda: A ciência não é capaz de explicar isto. É contra a lógica do universo – em termos de comportamento quântico – é impossível explicar. Alguns cientistas tem tentado explicar tudo isso através da teoria das variáveis ocultas (a mecânica quântica por definição deve ser uma descrição incompleta da realidade. Para alguns físicos este grau de indeterminação é um fato objetivo. Uma teoria assim é conhecida como teoria das variáveis ocultas. A maioria acredita, porém, que não há uma realidade mais profunda na mecânica quântica — e, de fato, os experimentos tem mostrado que variáveis ocultas são incompatíveis com observações – Wikipédia. N.T.). Mas, na verdade, o que os WingMakers têm explicado é que estamos criando o universo através da interface humana que Anu nos forneceu, reinterpretando as vibrações sonoras pelas vibrações sonoras dos nossos cinco sentidos.

Sarah: Mas isso não faz sentido… como posso ver a lua da mesma forma que uma criança de dois anos?

Dr. Neruda: Não, isto é o que a mente inconsciente proporciona à interface do humano 2.0 que reúne a interpretação da vibração do som da lua, baseada em bilhões e bilhões de visões ao longo do tempo. Isto evolui e se modifica de acordo com as condições ambientais, mas geralmente a noção de que a lua é prata e também o seu tamanho, é armazenada e compartilhada no DNA e no sistema da mente inconsciente e reforçada pela cultura, família e educação. Este é o campo coletivo universal. É um efeito de campo (magnetismo) que transfere informação através de campos vibratórios que interconectam os humanos.

Sarah: Talvez vá demorar um pouco para eu entender. Ouvi sua explanação e não faz sentido para mim. Deixe-me mudar levemente o assunto. Se a vida de todos é pré-programada, porque você e eu estamos falando sobre isso? Ou seja, porque somos capazes de discutir isso? Porque o programa de Marduk nos permite até discutir essa informação?

Dr. Neruda: É uma boa pergunta. Talvez a melhor forma de entender isto seja considerá-lo um experimento mental. Imagine que nosso universo seja uma bolha. E que foi criada por um grupo de entidades que usaram de fraude contra seus iguais que nunca haviam tido tal experiência do mal da separação, da desunião, e por isso não poderiam ter concebido uma defesa contra isso. Este universo bolha parecia completo e sempre em expansão. De muitas formas, era uma plataforma ideal para a vida, e ainda assim somente uma forma de vida senciente parecia existir em um pequeno planeta dentro de um vasto e quase infinito universo.

Dentro desta mesma bolha, existiam dimensões vibratórias que se tornaram conhecidas dentro dos círculos religiosos como céu e inferno, e nos círculos espirituais e psíquicos, como planos etéreos e astrais. Estes planos existiam dentro da bolha, mas não eram visíveis com a interface humana ou os cinco sentidos. Chamaremos isto de bolha 1.

Fora da bolha 1, imagine que há um outro universo ou dimensão de existência que é enorme e inclui a bolha 1 totalmente. Dentro desta segunda e maior bolha está a dimensão na qual nossa essência de vida se originou antes de sua inserção na bolha 1. Agora, seres na bolha 2 podem entrar na bolha 1 e experimentá-la na sua plenitude. No entanto, se eles chegarem perto demais do planeta povoado chamado Terra e permanecerem por muito tempo, irão manifestar-se e não mais serão capazes de retornar para a bolha 2.

A Terra é o ponto focal (Um ponto focal nos estudos da óptica é uma área onde os diversos ráios luminosos que passam por algum refrator estão mais próximos e capazes de formar uma imagem mais clara e definida. N.T.). As entidades que se imaginam como deuses, criam mais bolhas. Prendem outras raças no mesmo paradigma da ilusão e lançam seres da bolha 2 para as novas bolhas que são similares à bolha 1. Estas entidades basicamente planejam tomar a bolha 2 para eles mesmos, enquanto tornam seus iguais, que antes compartilhavam a bolha 2, crentes escravizados que olham para os governantes da bolha 2 como seus deuses. Enquanto isso, existe um bolha maior que cerca a bolha 2. Chamaremos de bolha 3. Até agora tudo bem?

Sarah: Acho que sim.

Dr. Neruda: Ok. Portanto a bolha 3 circunda a bolha 2 e todas as bolhas menores em relação à bolha 1. Existem seres na bolha 3 que estão conscientes da fraude perpetrada nas bolhas e os seres dentro delas, mas os seres infinitos são pacientes e curiosos. Queriam ver o que esta ideia de separação criaria. Nas dimensões que tinham somente conhecido a unidade e igualdade, o conceito de divisão na forma material era interessante.

Sarah: E toda a miséria humana, é apenas uma experiência?

Dr. Neruda: Lembre-se que a máquina humana não é real. É o equivalente a um macacão espacial com inteligência artificial e um sistema sensorial sentir-e-responder. O astronauta – nós – é infinito. Não pode ser morto, machucado ou destruído. Por mais que o experimento pareça miserável sob a perspectiva humana, ele é vibrante como aprendizagem em muitos outros níveis, um dos quais é criar a consciência em todos os seres de nunca permitir que esta farsa aconteça novamente.

O sistema da mente inconsciente do ser humano existe em uma forma similar, mas em um modus operandi significativamente mais avançado nos seres interdimensionais que podem agir nas três bolhas. É o que permite que a igualdade e unidade sejam mantidas em inúmeros mundos de espaço-tempo e de espaço-tempo quântico.

Agora, dentro deste experimento mental você pode ver que as dimensões do espaço-tempo são mais dimensionais que um universo. Que entidades existem nessas várias bolhas, fazendo experiências com sua criação. Às vezes, nesta experiência, decidem escravizar através da ideia de separação e ilusão. Isto ocorre com as questões que os seres humanos podem relacionar com escassez, preservação da raça, consequências impensadas de decisões, servir a si e não à verdade. Todos esses elementos estavam nas equações comportamentais de Anu e de seus cúmplices Sirius.

A certa altura, são tiradas conclusões. O experimento todo se solidifica e se materializa a tal ponto que não consegue se compactar mais. Neste momento sua utilidade rapidamente diminui. Quando isso acontece, seres vão intervir. No nosso caso, vamos intervir no retorno da humanidade para alertar sua realidade, consequentemente a intervenção dos WingMakers. Esta é a razão de porque estamos discutindo toda essa informação, é simples. Marduk não é o único que pode programar.

Sarah: O que você quer dizer com isso?

Dr. Neruda: No mundo de hoje temos programadores que podem escrever um código que leva o usuário de uma experiência para a seguinte. Isto vai do ponto A para o ponto B. Programação é um aspecto de tempo. É um processo direcional. Você sabe sobre os hackers. Eles estão em todas as faixas etárias. No início deste ano um garoto de 15 anos ‘hackeou’ a Força Aérea Americana. Mesmo a Microsoft está descobrindo que é impossível proteger seu sistema NT OS. A mentalidade do hacker é, de novo, uma manifestação de desunião. É a polaridade. Um tipo de jogo mental, associado com o ego e às vezes com ganância. Na maioria das vezes, é um lembrete para dizer que qualquer fortaleza é vulnerável. O programa que Marduk criou é parecido conceitualmente aos nossos programas, mas infinitamente mais complexo e avançado. Mas, como qualquer hacker iria lhe dizer, qualquer programa pode ser “hackeado” com habilidade e a tecnologia certa.

Nossos programas têm sido “hackeados”. Nós temos sido alterados. Não estamos conectados da mesma forma com as linhas da rede que gerenciam este holograma que chamei de bolha 1, um pouco antes.

Sarah: Quem… quem ”hackeou”?

Dr. Neruda: Não posso lhe dar um nome. Eu não sei. Foi-me dito que existem vários recursos que estão sendo usados para abrir uma fenda no muro, e aí então, de dentro – nós, a humanidade –coletivamente colocaremos o muro abaixo e sairemos da prisão. Somos parte desse processo de derrubada do muro.

Sarah: Não me lembro de ter sido voluntária.

Dr. Neruda: Se lhe conforta, nem eu.

Sarah: Ok… vou mudar um pouco de assunto. Nas minhas anotações de Sábado, você havia dito o seguinte: ‘Que os WingMakers tinham dito que a área dos cinco sentidos tridimensionais que os humanos adaptaram era a razão de usarmos somente uma fração de nossa inteligência. Disseram que a cápsula do tempo seria a ponte entre a área dos cinco sentidos tridimensionais para a área dos sete sentidos multidimensionais.’

Como isso se relaciona com o que estamos conversando esta noite, e o que é a cápsula do tempo exatamente?

Dr. Neruda: A cápsula do tempo é o teor do projeto WingMakers. É chamada de cápsula do tempo porque é uma intervenção cujo objetivo é mudar o tempo. É chamada de cápsula porque é um sistema de fornecimento de informação que se propõe ajudar as pessoas a se desvencilhar de suas redes – seus padrões de vidas pré-programadas onde são basicamente robôs humanos levando uma vida totalmente programada.

Até a revelação dos WingMakers destes aspectos de sua intervenção (anotação de Sarah: a Quinta Entrevista do Dr. Jamisson Neruda), eles não podiam revelar o significado real por trás de suas palavras. Novamente, ocultaram suas palavras em padrões aceitáveis para as regras do mundo relativo à Nova Era, nova ordem mundial, espiritualidade, religião, filosofia, etc. Isto proporcionou a eles um anonimato aceitável; e acima de tudo, isto foi apresentado como um mito. Não há nada em um mito que fizesse Anu censurar ou retaliar.

Eles testaram a clareza da linguagem, e decidiram colocar alguns elementos motivacionais em outros formatos como arte, poesia e música. Em outras palavras, quando não podiam declarar algo de forma clara, por conta de possíveis retaliações, codificaram em forma de arte.

Sarah: Mas você me pediu que esperasse um pouco para divulgar esta entrevista. E se nunca for divulgada?

Dr. Neruda: Talvez porque não tenha sido necessário.

Sarah: Mas isto não tornaria o resto dos materiais um pouco menos verdadeiros?

Dr. Neruda: Diria que os tornaria menos diretos ou claros, mas concordo com seu ponto, teria sua verdade minimizada sem o suporte desta divulgação.

Sarah: A quem você acha que este material pode interessar? Ou seja, agora posso lhe dizer que quando você estava dando-me as primeiras quatro entrevistas, eu podia contar nos dedos de uma única mão quantas pessoas ouviriam tudo isto com a mente aberta. Para a maioria dos meus amigos e família… não poderia nem mencionar esse assunto. Mas com esta entrevista, não consigo imaginar quem estaria aberto a ouvir. Para ser honesta, não consigo pensar em ninguém.

Dr. Neruda: Entendo. O número de pessoas que se apresenta para olhar através do buraco no muro será muito pequeno. Em termos da população como um todo, o número será insignificante. Mas a real definição do Grande Portal é que uma quantidade suficiente de pessoas irá olhar pelo buraco e identificar que há mais, muito mais realidade de vida, e trabalhar coletivamente para pôr abaixo o muro. Quando o muro cai, será quando os seres infinitos saem e operam o instrumento humano, não como algo separado, não como um recipiente ou algo que vestem como um uniforme, mas operando o corpo humano livre da interface e dos implantes operacionais.

Sarah: Quer dizer que não ascenderão para as Bolhas 2 ou 3?

Dr. Neruda: Permanecerão exatamente aqui. Mas permanecerão aqui, no corpo, como seres infinitos, não uma estrutura escravizada.

Sarah: Você disse que haviam outros seres envolvidos nesta intervenção. Pode dizer quem são?

Dr. Neruda: Prefiro não dizer nada por enquanto, mas isto será informado logo. Toda essa escravidão da humanidade é como os seis homens cegos apalpando um elefante. Muitas pessoas estão sentindo partes do elefante e descrevendo a parte que tocam, mas com olhos vedados é difícil descrever a farsa como um todo.

Sarah: Esses ‘homens cegos’ são os humanos?

Dr. Neruda: Sim, sem dúvida. Eles veem parte desta escravidão e percebem que algo está acontecendo. Alguma coisa não caminha bem. Você não pode ter seres divinos andando pela Terra juntamente com assassinos, estupradores, pedófilos e guerras, e que não sentem esta divisão e a farsa. Algo está terrivelmente errado. Porque estamos deixando isto acontecer?

De acordo com os WingMakers, existem pessoas que estão encarnadas agora que seriam o equivalente de outliers. Você está familiarizada com este termo?

Sarah: Não.

Dr. Neruda: O termo é tipicamente usado em estatística. Pense nisso como uma anomalia. Uma pessoa que tem o que é chamado de mau funcionamento temporário com sua interface, mas que nesse mau funcionamento, são capazes de ver através da fenda, do buraco no muro. Isto dura um ou dois segundos, mas conseguem dar uma olhadela naquilo que está por trás dos muros. E de novo, não estou falando sobre o plano astral – este é apenas um plano mais rarefeito do holograma da ilusão.

Pessoas com este mau funcionamento temporário, na maior parte das vezes acabam sendo diagnosticadas como autistas ou, em casos extremos, são consideradas esquizofrênicas, mas como o mau funcionamento é temporário, aos poucos voltam para o holograma humano e não conseguem contextualizar o que viram. Aprendem a esquecer. O programa os chama de volta para dentro.

Mas, antes de esquecerem, antes de voltarem para as crenças habituais, antes de serem drogados ou isolados, compartilham suas experiências com a mente inconsciente. E isto começa a se expressar em forma de cultura. Vai sair em filmes, livros, teatro, arte, poesia, e muitas dessas expressões ajudarão a alimentar a mente inconsciente e abri-la para a possibilidade de ver que o tamanho da nossa prisão abrange até mesmo a luz, a ciência, os anjos… e até mesmo deus.

Sarah: Estamos colocando um alvo em nosso peito quando tudo isto for divulgado? Isto é, Anu tentará nos destruir se isso sair?

Dr. Neruda: Acredite-me, tenho sondado esta questão. Há risco envolvido. Quanto, não sei. Os WingMakers explicam que os criadores deste plano passaram a aceitar a intervenção, mas seus equivalentes aqui na Terra não estão tão animados com essa perspectiva. Vai funcionar, mas levará algum tempo.

Sarah: O que acontecerá entre agora e O Grande Portal… quando os muros serão demolidos?

Dr. Neruda: Tudo o que posso dizer é que a Tríade do Poder continuará a se consolidar. O sistema financeiro continuará tirando o dinheiro das mãos de muitos para as mãos de poucos. Isto fazia parte da programação original—

Sarah: Está relacionado com a volta de Anu?

Dr. Neruda: Sim. Anu interviria e resolveria os problemas do mundo e seria ungido como Messias. Anu usaria a centralização do sistema financeiro para integrar tecnologia nos sistemas biológicos e assim eles estariam aptos a ter uma existência infinita na bolha 1 – a Terra. Desta forma, Anu considerou que seria deus para sempre neste mundo.

Mas como disse, este plano não era perfeito no que diz respeito à sua infinitude. Anu subestimou os seres na bolha 3 e além.

Sarah: Isto foi tentado antes?

Dr. Neruda: O quê?

Sarah: Esta fenda, este buraco nos muros, e sua queda total?

Dr. Neruda: Não. Não no nosso mundo. Este é o primeiro esforço coordenado para libertar a humanidade.

Sarah: Mas e Jesus ou Buda?

Dr. Neruda: De acordo com os WingMakers, todos os avatares que vieram a este planeta, foram convidados. Os humanos eram considerados ‘seres perdidos’. Literalmente é desta forma que somos definidos nos planos de existência fora de nosso planeta. Lembra o que disse sobre os seres de dimensões superiores que visitariam a Terra e se tornariam manifestos?

Sarah: Sim…

Dr. Neruda: Foi dessa forma que estes avatares vieram à Terra. Não chegaram através do processo de nascimento, literalmente eles se manifestaram no plano terrestre com suas consciências dimensionais intatas. Não precisaram nascer neste mundo e viver em um corpo humano, pois sabiam que poderiam dormir e esquecer. Avatares tem que se manifestar diretamente.

O problema era que as pessoas tinham medo deles e se afastavam, ou as pessoas agiam como guardiões do velho sistema e precisavam destruir o Avatar, ou algumas pessoas os procuravam para salvá-los. Foi isto que gerou o modelo evolução/salvação do universo. Evolução, como definido aqui, é o processo de ser salvo e absolvido de seus pecados. O pecador evolui sendo um adepto, e o adepto evolui para mestre, e o mestre evolui na hierarquia para pastor. Salvação significa que uma força exterior ou um avatar salvaria a pessoa de seus pecados ou de seus comportamentos indesejáveis, e os conectaria com a luz ou o espirito de deus. O salvador era um intermediário da Hierarquia que conectava a pessoa com a luz da espiritualidade.

Sarah: Então… esses avatares não ajudam a abrir uma fenda?

Dr. Neruda: De certa forma, mas na verdade era para mostrar o que estava dentro do recipiente humano. Não era para fazer milagres a fim de convencer as pessoas a segui-los ou criar uma religião. A ressurreição, por exemplo, não foi uma peça de teatro para salientar o porte sem igual de Jesus como o filho de deus. Ele não era isso. Isto foi escrito mais tarde. Como sua popularidade cresceu, entendeu-se que Anu e Marduk poderiam utilizar Jesus para fortalecer a posição de Anu na cultura humana, e reposicioná-lo como um Deus amoroso – o pai de grandes entidades como Jesus.

Geralmente Anu considerava os avatares um aborrecimento. Normalmente eram assassinados ou jogados em uma cela onde definhavam até morrer. Histórias foram criadas, ou para consolidá-los para a glória de Anu, ou para serem caluniados e considerados instrumentos de Satã. Não havia meio termo com os Avatares. Na verdade, Jesus foi o primeiro avatar que Anu decidiu abraçar e criar uma religião mundial em volta dele.

Todas as outras religiões foram criadas depois do Cristianismo, mesmo aquelas cujos fundadores não eram considerados tecnicamente avatares. Avatares foram muito raros. Eles queriam vir e derrubar os muros, mas precisavam de um número suficientemente grande de seguidores para eliminar de uma vez essas muralhas da prisão. Uma fenda ou um buraco não seriam suficientes. E se viessem apenas para mostrar a natureza do ser infinito dentro de cada recipiente humano, arriscariam a criação de uma religião em volta deles que os tornariam, ao longo do tempo, soldados defensores de Anu e do holograma, uma ilusão de múltiplas camadas que pairava sobre a humanidade como uma cúpula. Os WingMakers referem-se a um novo tipo de ser chamado Entidade Soberana. Estes são seres pré-Soberanos Integrais, mas estão inoculados com a capacidade de saírem da Hierarquia, e dessa forma, conseguem verificar informações que outros combateriam ou ignorariam. Infelizmente, a informação que vai libertar as pessoas é muito importante e elas são programadas para combater.

Sarah: Quando você usa o termo hierarquia, a que exatamente você está se referindo?

Dr. Neruda: Os WingMakers parecem usar este termo indistintamente com Anu no topo, sua liderança dentro das dimensões, ou bolha 2, e sua liderança na Terra na forma da Tríade do Poder. Coletivamente, isto é a Hierarquia.

Sarah: Você pode me ajudar a entender como é que ninguém sabe nada sobre isso… seis bilhões de pessoas que vivem na Terra agora e sei lá quantos mais em toda a história da humanidade, talvez uns cem bilhões, como poderiam ser tão enganadas?

Dr. Neruda: É assim com muitas expressões de vida, talvez, mas não os seres—

Sarah: Por causa da reencarnação, correto?

Dr. Neruda: Sim, mas para responder sua pergunta, isto é feito através da interface do recipiente humano. A interface é o que a maioria das pessoas considera como aquilo que elas são. Que (a interface) é sua consciência. A interface se funde com o corpo físico e o ser dimensional que lhe fornece energia e o vitaliza. Existe um velho ditado que diz que a última coisa que o peixe percebe é a água. É uma expressão que também cabe muito bem no nosso caso. Os humanos têm vivido com esta consciência de um corpo humano desde quando foram criados. É tudo o que sempre conheceram, e em função da sofisticação da tecnologia que subjaz a toda esta farsa, somos jogados de uma distração para outra indefinidamente para que nunca, nunca consideremos a possibilidade de que tudo faz parte de uma ilusão. Tudo.

Embora pareça impossível que cem bilhões de pessoas tenham existido e ninguém tenha olhado pela fresta do muro, seria a mesma coisa que ir até as profundezas do oceano onde vivem peixes luminescentes e tentar explicar para eles que existe um mundo de luz e calor. Talvez um ou dois se arriscassem saindo das profundezas indo até a tona e voltassem para informar o que tinham visto naquele mundo estranho e misterioso. Mas nunca imaginariam que todo um mundo de terra e ar existiria acima da superfície, no qual seres de natureza completamente diferente andavam na terra seca e respiravam ar e podiam olhar para estrelas a um bilhão de anos-luz de distância.

Os humanos são muito parecidos com esses peixes luminescentes.

Sarah: Ok, entendi a analogia, mas ninguém?

Dr. Neruda: Olhadelas passageiras através da fenda… isto é tudo. Os avatares que se manifestaram aqui operaram o mais próximo de nossa natureza neste planeta, mas aqueles que passaram pelo processo de nascimento e tem o DNA humano, estão presos na sua interface ou são rapidamente removidos.

Sarah: Terça-feira você falou longamente sobre Lúcifer e sua criação do Animus, onde isto entra nesta… nesta história.

Dr. Neruda: Até ontem eu nem mesmo sabia se esta entrevista iria acontecer. Eu sabia que você gostaria de falar com mais profundidade sobre O Grande Portal, mas eu não estava seguro até que nível seria-me permitido falar sobre esse assunto. Esta é uma informação muito bem protegida. É tanto um arrombamento e uma libertação. Arrombamento no sentido de que é difícil controlar a desinformação e a fraude que acontecem no planeta com relação aos humanos.

Lúcifer e os anjos caídos foram um aceno para os humanos que tinham sido expulsos do Éden. É a mesma história com o mesmo objetivo: colocar medo de rebelião nos sistemas de consciência dos humanos. Torná-lo forte e potente na mente inconsciente, e deixar claro que Lúcifer, Satã e o diabo refletissem a trindade do bem – o pai, filho e o espírito santo. Anu percebeu que a melhor forma de fazer sua criação humana inclinar-se para esse caminho era fazer com que esse caminho para seu reino parecesse virtuoso e moralmente aceitável. E como você faz isto? Você tem o mal encarnado em demônios que estão empenhados em escravizar os humanos, impedindo-os de seguir o caminho virtuoso.

Isto criou uma polaridade perfeita de seres humanos avançando para o Reino de deus enquanto demônios os seduziam e os iludiam. Anjos e mestres ascensos eram os guias que mostravam o caminho para o reino aguardado. Tradições orientais usaram semideuses, hierarquias de mestres, meditação, mas tudo isso estava baseado na mesma polaridade, que no seu nível mais básico era a luz como o bem e a escuridão como o mal.

Ok, depois de dito isto, deixe-me voltar para sua pergunta sobre Lúcifer e os Animus. A história de Lúcifer é como um ator secundário em um palco. Com Lúcifer atuando, o palco é mais perigoso. Você pode atribuir culpas. Você pode evitar a culpa e a responsabilidade dos humanos moralmente justos e tementes a deus. Você pode inferir que seus inimigos são escravizados por demônios a mando de Lúcifer ou Satanás.

Isto cria conflitos que levam a guerras. Isto cria histórias de conflitos que alimentam gerações e gerações que estão vivendo conflitos de seus antepassados. No meio disso tudo, deus cresce em estatura e importância. Todos alegam que deus está do seu lado.

Lúcifer foi um catalizador para aumentar a importância de Anu. Para tornar os humanos dependentes dele, embora nunca o tenham visto, ouvido, sentido, cheirado, ou tocado nele. Ele estava no plano universal em relação à mente inconsciente. Isto foi programado desta forma, e a cultura religiosa só fez isto parecer mais real.

Os Animus foram os humanos 3.0 na trajetória imaginada por Anu para dar suporte à sua infinita supremacia sobre a humanidade. Seu objetivo era sintetizar a humanidade com tecnologia. Os Animus eram nós em um futuro potencial. Existem organizações governamentais, corporações e instituições de pesquisa que compartilham este mesmo objetivo neste exato momento.

Sarah: Como foi tomada a decisão de não liberar toda a informação?

Dr. Neruda: Como tenho dito, o material sobre os WingMakers é bem extenso. Existem 24 documentos filosóficos, mas somente 4 serão divulgados. As quatro entrevistas que fizemos anteriormente, como havia dito, serão liberadas, possivelmente não todas de uma vez, mas somente aquelas que forem aprovadas.

Esta entrevista e os 20 documentos filosóficos restantes não serão liberados até que sejam encontradas determinadas condições. Quais são essas condições, eu não sei. Presumo que tenha a ver com a descoberta do portal – o portal humano que mencionei – e a rachadura no muro estabelecida neste mundo. Uma vez que a posição seja definida no ponto de inserção, talvez os outros materiais sejam liberados.

Quanto à decisão a ser tomada, deixe-me ser claro que não é minha a decisão. É determinada pelos WingMakers. Uma intervenção de viajantes no tempo é uma operação muito sensível. Muitas variáveis precisam ser pesadas e consideradas.

Sarah: Perdoe-me colocar aqui uma pergunta bem direta, mas como você sabe que os WingMakers não fazem parte desse esquema todo de fraude?

Dr. Neruda: Em algum momento você tem que confiar nos seus sentimentos e na sua intuição, de outra forma qualquer coisa é um exercício mental sem propósito. Não posso dizer que confio 100%. Como cientista, sou um descrente por natureza, mas tudo que tenho lido e estudado é consistente com o objetivo declarado, que é estabelecer um novo ponto de inserção para os seres humanos exatamente neste tempo.

Sua primeira revelação é uma mensagem camuflada de esperança; uma religação energética das filosofias espirituais deste planeta, longe de mestres, organizações, hierarquias e crenças. Está mais focada em tornar-se um ativista espiritual ou um praticante da inteligência comportamental. É ativando o pré-Soberano Integral que estamos aptos a entender o objetivo evolucionário do ser humano e ajudar para que isto vire na direção do Soberano Integral.

A próxima ou segunda revelação será a ativação do portal humano. Ainda não sei como isto será revelado, só sei que isto acontecerá brevemente.

A terceira revelação será a quinta entrevista e talvez outros materiais. Quando a quinta entrevista é liberada, isto sinaliza que o ponto de inserção já aconteceu. De acordo com os WingMakers, isto significa que O Grande Portal ocorrerá neste planeta. Uma vez o ponto de inserção estabelecido, isto desencadeará o plano.

Tomei a decisão que se a segunda revelação acontecer, vou me comprometer 100% com este plano. Até então, tenho dito aos WingMakers que estou com eles e agirei de acordo com suas percepções e orientações, mas sempre terei dúvidas em minha mente até ver acontecer a segunda revelação.

Sarah: E se ninguém acreditar nisso, Dr. Neruda? E se você liberar esta quinta entrevista em algum tempo no futuro e não fizer sentido para ninguém, ou, como você sugeriu atacarem tudo isto? E aí? O portal humano é suficiente para fazer toda essa coisa acontecer?

Dr. Neruda: Sim. Isto é o que me tem sido dito. Uma vez o ponto de inserção estabelecido, isto desencadeará o plano.

Sarah: Logo, ninguém precisa acreditar nisso… apenas vai acontecer? Isto não parece certo.

Dr. Neruda: Esta informação permanecerá secreta, mas a ciência, de acordo com os WingMakers, será a força que provará esta informação.

Sarah: Como?

Dr. Neruda: A ciência descobrirá as muralhas, os muros. Eles não vão expor a rachadura ou necessariamente ajudar na demolição, mas vão revelá-las.

Sarah: Mas você disse que LERM foi descoberto pelo ACIO, e eles acharam que isto era Deus ou uma inteligência universal, ou seja lá o que for.

Dr. Neruda: Sim. Não estou dizendo que a ciência definirá o Holograma da Farsa ou do Engano como um esquema traiçoeiro perpetrado contra a humanidade para escravizar seres infinitos para operarem como finitos, com medo de si mesmos. Não é isto que digo. Mas estas entidades soberanas que ficam ao redor da rachadura no muro precisarão de ajuda de fontes legítimas que validem a possibilidade do holograma. Não espero que a ciência rotule o holograma de bom ou ruim, ou que desenvolvam conceitos filosóficos como ilusão, polaridade, divisão, separação, etc.

Os WingMakers têm explicado que na época em que o portal for ativado, um cientista de renome virá com a teoria que fundamentará o ponto de inserção. Tudo está sendo facilitado pelo fato do programa deste e de outros indivíduos estarem sendo ‘hackeados’.

Sarah: Você sabe o nome desse cientista?

Dr. Neruda: Não.

Sarah: Você acha que é você?

Dr. Neruda: Não. Eu não sou renomado. Ninguém jamais ouviu falar de mim. Os WingMakers estavam falando de alguém com alto grau de credibilidade na comunidade científica.

Sarah: Ainda não vejo como isto acontecerá… quero dizer, o muro vindo abaixo. Se as coisas estão tão ruins como você diz, as pessoas seguirão suas programações. Eles vão ter muito medo de se libertarem de tudo que aprenderam ser real e verdadeiro. Apenas não acho que as pessoas possam fazer uma mudança radical.

Dr. Neruda: Concordo. Não podem, não em função do status quo. Pois o status quo faz parte da muralha que vai vir abaixo. Não se pode encobrir isto. Você não pode usar uma varinha mágica e fingir que não existem – as guerras entre raças, religiões, classes sociais, geografias, relacionamentos de todos os tipos, tudo isso não pode ser perdoado por um salvador ou uma raça de ET. Isto tem consequências, tem que ser resolvido.

O status quo – a velha normalidade, a distorção confortável – será removido, pois não se pode construir um paraíso na Terra simplesmente colocando uma nova camada de realidade sobre o status quo. Seria como colocar o Grand Cannyon no topo de um arranha-céu. O arranha-céu não aguentaria.

Sarah: A grandeza da mudança que está vindo parece assustadora.

Dr. Neruda: Se há uma coisa que aprendi nesta interação com os WingMakers, é que há um caminho para o programa, e um caminho para a super consciência – este último está envolvido com a forma como as membranas de realidade quântica se cruzam e podem criar reações em cadeia que se propagam por todas as dimensões. Esta reação em cadeia é guiada por cadeias de eventos desenhados por seres de dimensões superiores. Como disse anteriormente, todo ser tem a soberania do EU SOU, mas também possui a integração do NÓS SOMOS. Quando o EU SOU se consolida através da expressão de comportamentos, se desvencilha do programa, da interface do Humano 2.0. Começa a se reconectar com a frequência do NÓS SOMOS ou com o tom da igualdade, como os WingMakers se referem a isso. Transmite isso através da mente inconsciente ou do campo universal, tornando isto mais fácil para outro ser atuar na mesma perspectiva e adotar esses comportamentos.

Meu ponto é que os projetistas dos planos dimensionais superiores ou a humanidade como um todo poderiam, potencialmente, acelerar ou retardar O Grande Portal.

Sarah: E se houvesse uma disputa entre os seres superiores querendo mais cedo e a humanidade mais tarde?

Dr. Neruda: Não sei. Imagino que os seres de dimensões superiores ouviriam as motivações. Realmente não tenho uma opinião sobre isso.

Sarah: Um dia, espero que não em um futuro distante, alguém irá ler esta entrevista. Que conselho você daria a ele?

Dr. Neruda: Todos nós temos pensamentos e emoções. Todos nós compartilhamos uma realidade chamada Terra e um corpo humano. Todos nós estamos no mesmo palco, atuando em diferentes papéis, mas o palco nos une em um determinado grau. Nenhum de nós pode olhar para o outro lado do palco e ver um mundo maravilhoso de paz e harmonia, ou de boa vontade entre todos os homens. Esta não é uma realidade que nos inclui.

A questão é como vamos chegar mais perto de uma realidade que sustenta nossa verdade inata, que é EU SOU NÓS SOMOS? Como vamos criar um palco e escrever uma peça que sustente nossa transformação em Soberano Integral, o que de fato somos? A religião tem mostrado o caminho? A espiritualidade? E a ciência? O nosso sistema de educação? O Governo?

Meu ponto é que nada na peça atual está nos consolidando em igualdade e unidade. Se você olhar para tudo no seu mundo depois de ler esta entrevista, você verá que nosso mundo está desenhado para uma função específica, e esta função é experimentar a separação. Isto pode ser tão óbvio como a cor da pele, gênero e culturas diferentes, nas sutis diferenças entre religiões e espiritualidade, mas o desenho é fractal e leva tudo neste mundo para esta unidade comum que chamo de separação, divisão. Ironicamente, estamos unidos na separação.

Se você concorda, se você também vê ou sente esta separação, você pode também perceber que está avançando não na direção da unidade, mas cada vez mais para a diversificação e divisão, como se quanto mais a humanidade se torna granular em seu acesso à informação e expressão, mais se distancia em aglomerados de similaridade que simulam unidade dentro do aglomerado, mas expressam a separação com o todo.

Os líderes deste mundo, seja da área que for, política, economia, militar, religiosa ou cultural, sabem como falar a língua da unidade e da igualdade, mas suas ações são o resultado de programas que muitas vezes funcionam de forma contrária. Não se está falando de pensamentos ou linguagem. Estamos falando de comportamentos e ações. As pessoas sabem como se desconectar de seus pensamentos dizendo uma coisa e fazendo outra. Elas sabem como fingir cuidado, mas suas ações se revelam vazias.

Esta não é uma acusação para todas as soluções, mas nada tem funcionado. A falha das religiões deu origem a organizações niilistas e àquelas desiludidas de experiências nebulosas e ocultismo. Elas se alimentam mutuamente. É uma sobrevivência simbiótica. Mas, é a realidade que se perde nessa confusão e a alienação atinge as populações do mundo e torna estúpida nossa mente coletiva e nossos corações.

Existe esperança. A esperança reside no vácuo da unidade e igualdade que não estão alinhadas a nada neste planeta – ninguém é dono, controla ou administra isto. Não há mediação ou intermediário. É totalmente único, sem par. Para todos os efeitos, nunca foi vista ou ouvida. Está do outro lado do muro. É a nossa esperança, por mais estranho que possa parecer.

O que existe neste mundo não está funcionando, e é por causa da separação. Não me importo se você ler as informações mais esotéricas e espirituais deste planeta, faz parte da separação, da divisão. Eu li documentos espirituais esotéricos nos últimos vinte anos que fariam a maior parte das pessoas desmaiar ou dizer a si mesmos ‘esta informação vem de cima’ ou ‘esta informação é verdadeira porque é tão detalhada que ninguém poderia conhecer tantos detalhes caso não fosse verdade’.

A maior parte das informações esotéricas neste planeta não foi escrita por seres humanos, mas por seres humanos através de canalizações. As canalizações falam de realidades espirituais maravilhosas, de como humanos e alienígenas são um, de como a psicologia profunda dos seres humanos é elaborada, do ambiente cosmológico complexo no qual a humanidade vive. Todas informações maravilhosas, exceto que nenhuma fala como somos escravizados, ou porque, ou por quem. Nenhuma.

Se essas fantásticas fontes de informação soubessem sobre como a humanidade é escravizada, não iriam compartilhá-la? Não é esta a informação principal? O que os WingMakers chamam o ponto de inserção? Porque não há nenhuma menção a isto na literatura esotérica? Vou lhe dizer, é porque os seres ou estão dentro do holograma e não percebem, ou fazem parte da farsa e estão escondendo sua descoberta dos humanos. Eles não são diferentes de nós – nós, como seres infinitos. Eles estão perdidos neste Holograma de Ilusão tanto quanto nós.

Para aqueles que leem esta entrevista e estão inseguros com relação a tudo isso… só posso dizer, ótimo, você deveria estar. É um choque de realidade nos níveis cósmico, universal e individual. Você pode se banhar no esplendor da espiritualidade e matar sua sede com mestres, ou você pode aprofundar seu entendimento da realidade que nos confronta e se comprometer em por em prática a sua auto expressão a serviço da verdade. Viver na expressão de comportamentos persistentes e assertivos. Para ser soberano e integral. Isto não quer dizer emanar altos conceitos espirituais em pensamentos e palavras. Isto é o reflexo do sistema de consciência – é apenas tagarelice e atitude robótica. Viva o EU SOU NÓS SOMOS nos seus comportamentos e abandone a mente. A mente está programada para comparar e analisar, o que alimenta a separação do eu-você.

Desculpe, acho que fui longe demais na minha resposta.

Sarah: Não, foi bom ouvir sua paixão por isto. O que acho interessante é que os materiais dos WingMakers são esotéricos, pelo menos para mim, e parecem estar explicando os sistemas cosmológicos e as estruturas psicológicas. Qual é a diferença entre o que você acabou de dizer e as informações canalizadas?

Dr. Neruda: Em algum momento neste ano o site dos WingMakers será colocado na Internet (a entrevista foi feita em 1998. N.T.), pelo menos uma parte. Seu único objetivo, de acordo com os autores, é introduzir um conceito: o Soberano Integral. Esta é a semente fractal para o ponto de inserção. A segunda fase introduzirá práticas de comportamento para apoiar o ser soberano em sua desprogramação daquilo que significa ser uma pessoa espiritual. A terceira fase é estabelecer o ponto de inserção, e criar uma abertura no muro.

Sarah: Você tem falado sobre a fenda no muro como o ponto de inserção. Você pode elaborar um pouco mais sobre isso.

Dr. Neruda: Sem dúvida, mas antes me deixe declarar algo que gostaria de mencionar antes que esqueça.

Os jovens deste mundo são impressionáveis. Estão fazendo a transição dos implantes do subconsciente de seus pais e antepassados para a criação de suas próprias personalidades. Querem ser diferentes, querem se expressar com originalidade, e isso os deixa abertos a influências. De onde vêm essas influências? Cada vez mais são oriundas da tecnologia e dos formadores de cultura musical, entretenimento, jogos e livros. Levam as ferramentas para os jovens modelarem sua camada de personalidade original, que se funde com sua camada genética da consciência – o subconsciente.

Os modelos do glamour, como os WingMakers referem-se a eles, exalam elixires poderosos, como o egoísmo e o egocentrismo. Ser narcisista é ótimo. Niilismo é a filosofia. Isto é o que predomina e continuará se espalhando, pois este é o programa de Anu. Quando tecnologia é liberada na forma de plataformas globais, o jovem sugestionável informará suas camadas de consciência e personalidade por meio dessa crença filosófica subjacente no niilismo.

A forma como se infiltra na cultura através de tecnologia que ajuda a codificar a personalidade na nossa juventude é um dos mais claros exemplos de como a programação de Marduk se espalha. No entanto, mais sofisticada a tecnologia se torna, mais integral é para a pessoa, mais os criadores de cultura propagarão este sistema filosófico na humanidade.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: Porque niilismo é a crença no nada, e se as crianças constroem suas personalidades e sistemas de crenças com esses ingredientes, serão mais obedientes aos seus programas internos.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: Se você realmente não acredita em uma realidade superior do nosso mundo, você fica mais inclinado a desistir de sua soberania ou da consciência do EU SOU. A frase ‘vender minha alma ao diabo’, é simplesmente um código para: Rendo-me ao desejo de Anu e desejo que ele conduza minha vida como quiser. O objetivo não declarado desta renúncia ao EU SOU é que Anu me dará algo em troca pelo meu sacrifício. Mas a única coisa em troca é a escravidão para o sistema. Você leva sua vida de acordo com seu programa, e o programa lhe dá a certeza que continuará a ser um boneco – independentemente se for rico ou pobre.

Sarah: Fico contente de você ter mencionado as crianças. Você as vê conseguindo tudo isso e em que idade?

Dr. Neruda: Se você quer dizer se as crianças entenderão a informação que estou compartilhando com você esta noite, sim, com certeza. Em muitos aspectos, entenderão melhor que suas réplicas adultas cuja interface 2.0 Humana está mais solidificada ou amalgamada no uniforme humano. Mas os WingMakers têm escrito os materiais de tal forma que entenderão como estão dispostos, e a idade não é um fator chave. É a preparação.

Sarah: Como o quê? Quero dizer, o que constitui a preparação?

Dr. Neruda: Preparação é a disposição para mudar. É não ter medo de abraçar completamente o novo paradigma, e assim se livrar do antigo.

Se uma pessoa está pouco preparada para esta informação, vai defender que é uma informação extremamente violenta, e que pode acabar com tudo. Não está preparada para seguir no vácuo da mudança que esta informação traz em sua vida.

Sarah: Mas por quê?

Dr. Neruda: É preciso muita responsabilidade para aceitar esta informação. Ela é perturbadora, pois você fica por sua própria conta. Nós ficamos por nossa própria conta. Não há um salvador ou um exército de anjos ou ETs que estão vindo recolher os bons para levá-los para sua casa celestial. Isto também requer trabalho. É um ajuste comportamental. É impecabilidade. É autenticidade. É atenção. É cuidado. Não é uma festa. Não é algo superficial. É a jornada soberana para a auto realização, não importando como essa realização apareça. É um compromisso com essa ideia. Você não diz para si mesmo “Vou seguir esse caminho somente se for para o céu e descansar no paraíso com belas almas ao meu redor.” Este não é o caminho.

Aqueles que querem seguir esse caminho podem se juntar a uma religião ou culto de sua escolha que vai encontrar muitas dessas promessas. Esta informação é para aqueles interessados em romper com seu verdadeiro eu e assim não descansar ou relaxar… ou… ou festejar e desfrutar, mas servir a verdade através de seus comportamentos até que todos cheguem na realidade da unidade e igualdade de onde viemos.

Sarah: Você falou sobre comportamentos assertivos um pouco antes. Anotei alguns, mas não ouvi a palavra ‘amor’. Perdi alguma coisa ou realmente não foi citada por alguma razão?

Dr. Neruda: Amor, de uma forma geral, não é usado frequentemente nos materiais dos WingMakers. Em parte penso que é porque a palavra carrega em si muitas ideias pré-concebidas neste mundo. Tem uma energia de sentimentalismo, co-dependência em termos de relacionamentos, e culturalmente é usada de forma tão corriqueira, quase como uma frase trivial que as pessoas usam para cumprimentar uns aos outros como ‘como vai’?

Amor é uma força de unificação. É somente isso, e ainda, de muitas formas, é tudo. Sob a ótica dos WingMakers é uma muito importante palavra-conceito, apesar que a utilizam com moderação. As seis virtudes do coração que mencionei são consideradas as diferentes formas nas quais o amor se manifesta em nossos comportamentos. Dessa forma, o amor se expressa nestes comportamentos virtuosos como a gratidão, compaixão, perdão e humildade. Neste contexto, as seis virtudes do coração, coletivamente, são a expressão de amor na dimensão humana.

Sarah: E sobre a alegria? Isto também parece que está faltando.

Dr. Neruda: Sei que esta informação parece muito racional e perturbadora. Por ter desertado do ACIO, tem duas forças que gostariam que eu falhasse. Esta pressão tem sido pesada para mim. Ativou um grau de paranoia dentro de mim que não achei que fosse possível. Por esta razão, alegria, pelo menos ao que se refere a mim, ainda não tem sido parte da minha experiência pessoal.

Tenho certeza que todos receberão esses materiais de forma diferente, especialmente no que se refere à quinta entrevista. Gostaria de lembrá-la que o mundo emocional e de sentimentos é um implante operacional e as emoções que atribuímos ao nosso coração ou alma, na verdade não vem dessas fontes.

Sarah: Então de onde vem?

Dr. Neruda: A camada da mente conhecida como inconsciente gera emoções, e elas são sentidas pelo corpo humano. A camada inconsciente da mente é interdimensional, portanto se estende da Bolha 1 para a Bolha 2, que permite você sentir no mundo astral ou vida após a morte.

Quando expresso qualquer uma das virtudes do coração, eu as coloco através das lentes da unidade e igualdade. É aí onde atingem sua potência na expressão. Pego então esta experiência e literalmente a envio para uma região da cabeça, imaginando que a experiência está instalada na glândula pineal no centro do cérebro. Esta é a minha maneira de enviá-la para todos através da mente inconsciente.

Sarah: Porque você as chama de virtudes do coração se a emoções são geradas pelo inconsciente?

Dr. Neruda: O coração é uma metáfora para o portal dentro de cada pessoa. Está relativamente livre da interface do Humano 2.0 e implantes operacionais da mente, em parte por causa do campo eletromagnético que produz, e também em função de sua dinâmica física. Os WingMakers sugerem que as virtudes do coração devem ser experenciadas e expressadas primeiro nesta região do corpo, em vez da mente ou da região da cabeça, como uma forma de isolar a tendência da mente de estimular essas emoções da camada da mente inconsciente, onde elas, por definição, carecem da mesma potência, pois existem na separação.

Sarah: Isto parece complicado.

Dr. Neruda: Prefiro olhar de outra forma. Se eu não fizer nada, se ficar sentado calmamente na minha cadeira e meditar ou estudar as escrituras religiosas ou rezar, como estarei ajudando no progresso desta realidade? Se o mundo permanece na armadilha do engodo, da farsa, isto sim é complicado – não apenas para mim, mas para todos o seres nas Bolhas 1 e 2.

Sarah: Uma das coisas que você tem mencionado com frequência é a noção da igualdade e unidade. Entendo o sentido e a importância das palavras, mas certamente não são conceitos novos. Todo mestre espiritual não diz a mesma coisa?

Dr. Neruda: Não todos, mas alguns dizem. Você pode voltar 2.500 anos e vai ver Heráclito dizendo que todas as coisas são uma só. É um conceito importante da filosofia humana e até certo ponto da física moderna. No que diz respeito às religiões, muitas vezes o fundador diz uma coisa e os seguidores que organizam e interpretam as palavras do fundador alteram os ensinamentos, mas unidade e igualdade não tem sido o principal suporte da religião, particularmente no contexto dos comportamentos.

Os WingMakers estão focados na inteligência comportamental expressa pelas lentes da unidade e igualdade. O EU SOU NÓS SOMOS está fundamentado neste princípio. Não parece ser um grande problema adotar esta simples perspectiva filosófica, e na verdade, não é, pois são simplesmente palavras e somente um conceito. Mas se for genuinamente adotado e fixado na essência do seu sistema de crença, então você pode gozar do compromisso necessário para expressar nos seus comportamentos. E é aí onde as maiorias das pessoas provavelmente sente a dificuldade.

Dr. Neruda: A interface do Humano 2.0 está repleta de programas oriundos de Marduk e do inconsciente humano. Está completamente atolada assim como uma pessoa em uma areia movediça, lutando para encontrar uma corda ou algo sólido para puxá-lo para fora. A ‘corda’ neste caso, é o simples modelo do EU SOU NÓS SOMOS, mas tem que estar disposto. Se você adotar o modelo, mas seus comportamentos não condizem com isto, a corda desaparece.

A unificação de todos os seres existe em todas as dimensões. É somente quando você sai fora do espaço-tempo quântico que percebe a ilusão da separação, e manter esta verdade básica da unidade e igualdade neste traje espacial do Humano 2.0 não é uma tarefa fácil. E por isso que tem que ser mais do que palavras, e as palavras tem que ser praticadas no agora.

Sarah: Porque os WingMakers fazem isto desta forma? Parece tão inocente… pedir para as pessoas se tornarem auto conscientes e praticarem comportamentos assertivos e persistentes. Depois de ouvir tudo que está acontecendo na Tríade do Poder, isto parece como usar um estilingue contra um avião bombardeiro. Eles querem um sistema monetário que nos torna endividados para sempre – escravos do dólar, e querem que este sistema monetário seja de apenas uma moeda. As pessoas mais poderosas no planeta, com acesso à melhor tecnologia, as melhores armas… como esperamos predominar se eles querem o trans-humanismo?

Dr. Neruda: Para entender a razão dos WingMakers estarem focados no processo do Soberano Integral, primeiro você precisa entender porque a Tríade do Poder está focada no seu plano.

A Tríade do Poder acredita que seu conceito de um Mundo Único é o conceito correto. Querem unificar a humanidade através de um sistema monetário que eles controlam, utilizando tecnologia como uma outra maneira de unificar. Unidade, na cabeça deles, é conduzir os humanos de tal forma que possam monitorá-los em eventuais rebeliões. A forma de unidade deles é uma quimera. É teatro para fins de exibição, e nada mais. Sua forma de ‘estamos todos juntos nisso, deixem-nos proteger vocês’ é simplesmente mais ilusão e engano. O plano deles para o Humano 3.0 permanece fundido com os mesmos implantes operacionais que constituem o Humano 2.0, e isto é separação, divisão.

Como disse anteriormente, eles estão aqui para preparar a volta de Anu, estejam ou não conscientes disso. Todos os aspectos do sistema de poder, incluindo as maiores religiões, estão aqui para preparar. Preparar, este é o lema deles. Os Anunnakis têm uma crença dominante em relação à humanidade: nós somos fracos porque vivemos no medo e na separação. Nós não enfrentamos a doutrinação gradual ou a lenta, mas persistente evaporação de nossas liberdades pessoais.

Agora, lembre-se que os Anunnakis e sua Tríade do Poder são tanto calculistas como pacientes. O que estabeleceram no nosso passado distante está começando a dar frutos. A vida do ser humano finita aos 70 anos já não tem paciência. É programada para não ter paciência. Ao contrário dos seres infinitos que veem a eternidade em milhares de centenas de anos e podem programar seres humanos individuais dentro dessa atemporalidade, para conseguirem exatamente o que querem – concordem os seres humanos com isso ou não.

Os Anunnakis não concordam com o processo do Soberano Integral. A noção de unidade e igualdade é vista como uma fraqueza por eles. Eles acreditam que têm vantagem neste jogo de xadrez. Eles preveem um xeque mate. Os Humanos cederão. O sacrifício da Princesa Diana em Agosto passado foi simbólico, semelhante a uma vibrante rainha sendo perdida no tabuleiro de xadrez. Este é o tipo de mensagem que enviam, o tipo de um anúncio ousado. Fazem isso a partir de um sentimento de certeza no seu programa e paciência.

Quando digo programa, não falo apenas da interface interna que Marduk programou, mas também o programa da mente inconsciente através da mídia, cultura, religião, política e estrutura econômica. A combinação dessas forças é na realidade o motivo de sua confiança, pois eles veem nossa falha como inevitável. Agora, para responder sua pergunta, os seres humanos, mesmo aqueles com DNA Anunnaki, podem se auto realizar na sua verdadeira natureza através de um processo simples. Não é preciso que meditem e rezem o dia inteiro ou se retirem para um ashram. O processo do Soberano Integral torna-se uma parte natural da expressão de vida da pessoa. Se suficientes seres humanos abraçarem este processo ou algo parecido, a rachadura no muro se expandirá, a muralha se tornará menos estável, e o mundo da separação, em sua fragilidade, começará a desmoronar.

A essência da vida é o que temos do nosso lado. Isto não é um estilingue como você colocou. É a força infinita que impulsiona tudo no universo. A vida está dentro de nós existe em um e um único estado: igualdade e unidade. Todo o holograma do engano, da farsa, criado e organizado pelos Anunnakis e seus companheiros, isto não é vida, é um exemplo de separação. A vida é algo verdadeiro e autêntico. Separação gera decepção, indignação e medo.

Se suficientes seres humanos despertarem, se começarmos a perceber o que está acontecendo, que planos estão sendo feitos para nos escravizar ainda mais e assegurar que permaneçamos parte do holograma da farsa, a vida se movimentará dentro de nós e poderemos coletivamente nos insurgir e parar com isso, mas tem que ser feito da forma correta, com honestidade, perdão e compaixão. A alternativa para separação deve ser expressa nos nossos movimentos e práticas. Temos que modelar esses comportamentos como uma entidade coletiva. Esta é a definição de O Grande Portal.

Sarah: Você falou bastante sobre separação. Você pode elaborar um pouco mais porque esse conceito é tão predominante?

Dr. Neruda: Se você olha o material que vem da religião, espiritualidade, filosofia, psicologia, e mesmo das artes, verá que muitos desses materiais foram projetados para ser um manual do proprietário para nossos implantes operacionais. Eles dão suporte para a interface do humano 2.0. Nos instruem nos métodos e atitudes para ativar esses sistemas dentro de nós.

Mencionei anteriormente as três camadas da interface da consciência – a mente consciente, o subconsciente e o inconsciente. O inconsciente é onde basicamente operamos em termos de nossos comportamentos e percepções. A camada da mente inconsciente é profunda e penetrante, e é universal. Como disse, é como Anu usa o conceito de unidade para seu próprio benefício. Nós somos um na separação. A mente inconsciente é um.

Separação é uma energia fractal. Contamina tudo dentro do holograma do engano a tal ponto que não é reconhecível. Não importa o quanto uma pessoa ou organização é bem intencionada na transmissão de informações verdadeiras, o que se esconde por trás da informação é esta energia fractal de separação e seu uso para comparação, julgamento e todas as outras ferramentas de separação que destilam medo e indignação.

É como se a programação interna de Marduk e a programação externa da Tríade do Poder ecoassem em torno de todo o conteúdo de todos os tempos e culturas, como se fossem comuns e totalmente aceitas, a ponto de serem imperceptíveis. Nós temos aceitado a separação, porque parece normal. Assim, nossos comportamentos e percepções, impulsionados largamente pela mente inconsciente, incorporam a separação, e a vasta maioria de nós nem imagina que isto existe.

Sarah: Ok, como então tomaríamos consciência disso?

Dr. Neruda: As pessoas devem entender que são seres programados… este é o ponto inicial.

Se você não aceita esta premissa básica, porque então escolheria mudar? Se o fizer, observe então a programação dentro de você, dentro dos outros, no seu ambiente, no mundo, e comece a perceber como esse programa é sutil.

Em muitos aspectos, para observar este programa, é preciso que sejamos neutros, para que simplesmente tenhamos condições de observar nosso estado interior e as mensagens que lá estão, assim como aquelas dos programas externos que vêm da televisão, da internet, e-mail, jornais, revistas, mala direta, e assim por diante. Não é crítico que saiba como cada programa se manifesta na sua vida ou qual é o seu sentido esotérico. O que é importante é entender que você é um ser programado e que procura uma fonte interna de direção, inspiração, movimento.

O processo do Soberano Integral está concentrado em você – o indivíduo – conduzindo seu próprio eu – a essência da vida – a se manifestar na igualdade e unidade. É isso. Se você fizer isto, estará se libertando do programa. Para alguns isto pode ser feito rapidamente, e para outros é necessário uma prática mais diligente.

Sarah: Pode-se fazer isso e ainda ser um Cristão, mesmo porque cresci e fui educada nesse meio?

Dr. Neruda: Sugiro que qualquer um que esteja em ressonância com esta informação, que tente. Veja como isto interfere no caminho de sua vida. Se quiser permanecer nas suas estruturas atuais, veja se elementos do processo do Soberano Integral poderiam ser aplicados. Mas se você não vê separação nas práticas atuais, então permaneça aí, pois você não teria motivação para ser um praticante.

Sarah: Mas você acabou de dizer que a maioria de nós não percebe a separação…

Dr. Neruda: Eu disse que se você não percebe isto na sua prática atual, você não estará motivado para mudar. O processo é todo sobre mudança. Não se engane sobre isso. Absolutamente não é egoísta. Não se está inaugurando aqui os alicerces de um sistema de crença que fará com que se sinta superior, privilegiado ou sábio. Realmente não há aqui um sistema de crença outro além do processo do Soberano Integral. Nenhuma estrutura, organização, mestre, hierarquia, ninguém acima ou abaixo do outro. Percebe? Isto não é uma organização deste mundo. Não pode ser deste mundo; de outra forma estaria sujeito à separação. A única forma do humano 3.0 SI se manifestar é dentro dos seres humanos que são exemplo deste processo, que estabelecem esta nova consciência de conduta neste planeta e compartilhem através de seus comportamentos e de sua mente inconsciente. Este é o único caminho, e nem todo mundo está preparado para fazer isto.

Sarah: O que acontece se percebemos a separação, mas ainda assim não temos motivação para fazer as mudanças em nossos comportamentos?

Dr. Neruda: Os implantes operacionais da interface do humano 2.0 raramente são fáceis de remover. Vão prender sua essência de vida o máximo que puderem. Eles querem dirigir a embarcação humana, e não ficar no banco de trás, observando como meros passageiros. Isto é contra sua programação.

Sarah: Fale mais sobre esta resistência dos implantes operacionais. Como isso se manifesta?

Dr. Neruda: Tenho certeza que é uma coisa individual. Não tenho a pretensão de saber como é para qualquer outro. O que posso falar é da minha experiência pessoal, onde no início mergulhei de cabeça e rearranjei minha vida para este processo. Achava que estava fazendo um bom trabalho, então, uma semana ou duas depois, me descobri na estaca zero, exatamente onde tinha começado. Parecia amnésia. Era como tivesse esquecido que estava em uma nova prática de vida. É certo que no meu caso eu tinha muitas distrações na vida, mas todos provavelmente podem dizer o mesmo.

Portanto, eu acho que essa tendência de voltar para os hábitos do sistema de consciência dentro da nossa interface 2.0, é a forma como a resistência se manifesta. Mudança, desta dimensão, não é uma proposta fácil. A mente 2.0 não gosta do banco de trás.

Sarah: E o que você fez, para voltar para o processo do Soberano Integral?

Dr. Neruda: Bem, no meu caso, precisei trabalhar técnicas interiores.

Sarah: Explique o que quer dizer com isso.

Dr. Neruda: Eu estava dirigindo as virtudes do coração para fora, para os outros, mas não os estava sentindo dentro de mim. Percebi que o interior provavelmente era o lugar mais importante para começar.

Sarah: Como você fez isso?

Dr. Neruda: É preciso estar muito vigilante para viver e expressar o agora, o momento. Os seres humanos têm a tendência de viver nas suas lembranças passadas ou preocupações futuras. Era isto que eu estava fazendo e isso me tirava do agora. O agora é onde nossa essência de vida se manifesta. Não é no passado ou no futuro, somente a estrutura da consciência gira entre o passado e o futuro, portanto, caso você se encontre em um desses dois pontos, você sabe que não está na sua essência.

Quando percebi isto, li na filosofia dos WingMakers que a respiração era o ímã do agora. Era o elemento que trazia o ser humano para o agora ao se tornar consciente de sua respiração. Também aprendi que existiam diferentes tipos de respiração que possibilitavam esta sensação do agora para penetrar mais claramente no holograma do engano. O ponto é que simplesmente estando ciente da minha respiração ajudava, como os WingMakers dizem, a me centrar no silêncio. Veja bem, isto não significa que você deve estar em um quarto silencioso. Você pode estar em uma reunião no trabalho, e centrado no silêncio através da respiração. E, estando nessa condição interna de quietude, estava em uma posição melhor para sentir meu próprio sentimento de expressão, e isto era o que estava faltando nos meus esforços iniciais para integrar e absorver este processo. Não tive um bom início para minha prática das virtudes do coração, pois estava dirigindo-os para o exterior – para outras pessoas ou situações, e não primeiramente para mim.

Uma vez feito este ajuste, isto me ajudou a identificar minha essência e diferenciá-la do meu sistema mental. A essência da vida é autêntica na unidade e igualdade e se movimenta exclusivamente no agora. A estrutura da consciência gira entre o passado, presente e futuro e opera na separação. Se você expressar as virtudes do coração da estrutura da consciência, principalmente externamente, elas não vão ter a mesma potência e nem ter credibilidade.

Sarah: Você tem mencionado a ideia de comportamentos persistentes e assertivos, e acho que entendo comportamentos persistentes em termos de expressar as virtudes do coração para si mesmo e para outros, mas fale um pouco mais sobre comportamentos assertivos. Quais são eles e como funcionam?

Dr. Neruda: De novo, você precisa começar identificando sua essência da vida no agora. Concentre-se no agora através da quietude e na respiração consciente. No começo isto pode levar algum tempo, mas isto acontece mais rapidamente com a prática. Padrões de pensamento que conectam você com a separação tem que ser interrompidos, assim como os comportamentos.

Você pode simplesmente dizer, identifiquei um comportamento que condiz com a separação neste mundo. Digamos que eu acredite que os Mulçumanos têm menos princípios que os ateus, e, portanto são menos propensos a entrar no céu do que aqueles que não acreditam em deus. Esta é uma crença ou uma forma pensamento que está relacionada com separação. Posso dizer, pare com isto, mas isto não funciona para a maioria das pessoas. Eu posso resistir à crença toda vez que se manifesta na minha vida, mas muitas dessas crenças são tão sutis e subconscientes que nem percebemos como interferem nos nossos comportamentos e escolhas.

Se você aplica as virtudes do coração para si mesmo, como se perdoando por ter essas percepções, tendo um pouco de compaixão por você mesmo, compreendendo que todos estão contaminados com as crenças de separação que vêm das camadas do seu subconsciente e da mente inconsciente. Humildemente, perceba que esta instabilidade não é apenas com você, mas de certa forma, é com todos, pois nós somos um. Agradeça ao fato de você estar trabalhando nisso para o bem de todos. Tenha coragem, você pode enfrentar e resistir a estes complexos de separação que se escondem na sua estrutura de consciência programada.

Você pode ver como usei as virtudes do coração para lidar eficazmente com a crença ou percepção que me separou, não apenas dos Mulçumanos, que eram o alvo neste exemplo em particular, mas quando você estabelece linhas de separação em volta de qualquer pessoa, você está operando a partir do implante do sistema da consciência, que somente sustenta o holograma da farsa, do engano.

Sarah: Ok, mas você não está sugerindo que eu veja os estupradores e os assassinos como um igual, está?

Dr. Neruda: É exatamente isto que estou dizendo. Eles são. Você não pode ter igualdade e unidade e então dizer, bem, isto é verdade, com exceção daquele segmento da sociedade ou desses criminosos da raça humana. Não existe um leprosário onde humanos estão excluídos fora do círculo. O círculo inclui todos, ou é uma ilusão. Isto é algo absoluto.

Lembra-se da minha declaração que o holograma da farsa é uma prisão?

Sarah: Sim…

Dr. Neruda: Não há outra prisão dentro da prisão. Estamos todos na prisão. Todos nós somos prisioneiros, mesmo aqueles que estão na Incunabula. Não há ninguém que está dentro das muralhas da prisão e verdadeiramente sabe sobre igualdade e unidade.

Sarah: Mas então como isso muda se ninguém sabe o que é igualdade e unidade?

Dr. Neruda: É um processo – tanto para o indivíduo como para a raça humana. Nós trabalhamos nisso juntos. Resistimos a comportamentos de separação e comportamentos assertivos de Unidade e Igualdade. Desatamo-nos de pensamentos, ideias, crenças, princípios, pessoas, organizações, dinheiro, alimento, roupa, moda, brinquedos e todo o resto dentro da hierarquia cujas raízes são alimentadas pela separação.

Sarah: Quando você coloca desta forma, isto parece assustador, até impossível.

Dr. Neruda: Isto tem que ser feito, e tem que ser feito por nós. A questão é, se tem que ser feito, quando a humanidade vai querer fazer? Agora? Em cem anos? Em mil anos? Dez mil anos? Os WingMakers são claros sobre isto em seus documentos, que se esperarmos até depois do humano 3.0, quando homem e máquina se tornarem integrados, as coisas somente vão ficar mais difíceis. A escravidão da vida deve acabar em todos os níveis.

Sarah: Gostaria de mudar para algo que tem me incomodado nesta conversa toda, e isto é sobre Deus. De sua descrição, Deus, da forma como podemos pensar sobre ele ou ela… ou aquilo, é uma ilusão. Na verdade, é um ser que se apresenta como Deus. Portanto, a pergunta é, existe um Deus real?

Dr. Neruda: Obrigado por me fazer essa pergunta. Tinha intenção de eu mesmo levantar este assunto, e acho que me desviei um pouco.

Vamos voltar para o exercício de pensamento sobre as bolhas. Há uma apresentação de um deus, que como disse, é Anu. Este é o deus que os Mulçumanos, Judeus e Cristãos reverenciam e veneram. Este é o deus que deseja voltar e estabelecer uma clara supremacia sobre a humanidade a fim de levar a humanidade para um humano 3.0 – existência de um único mundo transhumanista – que se estenderia para sempre.

Como tenho dito, existe uma essência de vida dentro de todos os seres, incluindo os Anunnakis, e essa essência de vida é infinita. Se você entende infinito, então entende que está fora do espaço-tempo. Se um ser está fora do espaço-tempo, não está limitado por polaridades como nascimento e morte, criação e destruição, bom e mau, e assim por diante. Isto não se deve a ninguém que nosso vocabulário e conceitos possam definir.

Portanto, quando os WingMakers decidiram que tinha chegado a hora para esta informação se tornar disponível na Terra, ela foi oferecida, através de seus textos, como uma ponte. Em outras palavras, foi suavizada ou desacelerada dentro da nossa limitação de linguagem –

Sarah: E outras forma de mídia, também, como música e arte.

Dr. Neruda: Sim, mas com um tratamento diferente. Todas as informações precisaram ser codificadas de tal forma para que pudessem ser aceitas por duas fontes de análise. Uma era Anu e sua hierarquia, a outra, o indivíduo. É por isso que o material nesta entrevista somente será liberado quando certas condições forem reunidas, e os WingMakers estiverem razoavelmente satisfeitos que as informações não foram retiradas pela hierarquia ou descartadas como uma fábula pelas pessoas que estão tentando atingir.

Agora, quando esta suavização ou desaceleração aconteceu, eles decidiram liberar as informações em fases. A primeira fase seria codificar de uma forma que permitisse que as pessoas entendessem o mundo fora do holograma da farsa, mas em uma estrutura que de alguma forma fosse familiar, que tivesse alguma ressonância com as crenças que estivessem em evolução no planeta.

Daí, a ideia de Primeira Fonte, Inteligência Fonte, Soberano Integral, instrumento humano… todos esse conceitos serão fornecidos sem detalhes contextuais, pois caso fossem incluídos, as informações que estou passando esta noite, seriam expurgadas pela hierarquia. Toda a cadeia de eventos cairia por terra. O ponto de inserção do portal e o Grande Portal teriam sido atolados na dúvida.

E então, será distribuído da forma que deve. Isto não está sob meu controle.

Sarah: O que isso tem a ver com existência de Deus ou não?

Dr. Neruda: Só quero deixar claro que a palavra deus significa múltiplas coisas e precisa se entender em qual significado está sendo usado. Isto é porque, em parte, os WingMakers não usam a palavra ‘deus’ mas, em vez disso, usam a expressão Primeira Fonte. No entanto, em seus últimos documentos filosóficos, depois da Sexta Câmara, eles não usam esta expressão, pelas razões que mencionei. Mas estas são entonações muito sutis em seus documentos, à medida que tentam elaborar suas mensagens para a cultura atual de forma que não sejam alvos para censores da hierarquia.

Sarah: Existem literalmente pessoas que censuram estas informações?

Dr. Neruda: Há pessoas que censuram e controlam informação em todo lugar – na mídia, governo, nas Forças Armadas, na ciência, educação, religião… em todo lugar. A hierarquia tem um verdadeiro exército de censores. A grande maioria não sabe para quem eles trabalham, estão apenas fazendo aquilo para o qual foram contratados. É apenas um trabalho. Mas plataformas de tecnologia existem principalmente para a censura. Coleta de informações permite a censura e controle de informações pela NSA. O seu trabalho é filtrar, controlar e manipular informação. O sistema de vigilância de massa não é utilizado para proteger as massas, é para controlá-las, para mantê-las dentro da prisão – da perspectiva de Anu – e controlável, sob a perspectiva da elite.

Sarah: Você não estaria dizendo que a NSA se preocuparia com coisas como essa, está?

Dr. Neruda: Não no sentido de como deus é definido, mas é através de suas plataformas de vigilância que aqueles na hierarquia são alertados para informações que detalham aspectos críticos do seu holograma do engano ou farsa. Este tipo de informação é passado para estâncias superiores, para aqueles que realmente se importam.

Sarah: Se este é o caso, seja lá a forma como isto for liberado, será censurado, portanto qual é o ponto?

Dr. Neruda: É tudo uma questão de timing. Se isto for liberado será porque os WingMakers têm confiança que passará pela censura. Alguma coisa vai ter acontecido que possibilitará a liberação.

Sarah: Percebo que você realmente ainda não respondeu minha pergunta sobre Deus, portanto gostaria de voltar para isso, mas com a internet nos dias atuais, você não poderia colocar toda a informação para o público de uma só vez? Isto sairia para milhares de pessoas e então elas poderiam colocar em outros sites e isto cresceria em uma progressão geométrica. Como eles poderiam segurar isto ou censurar?

Dr. Neruda: Isto seria modificado. É um conjunto completo de informações. Uma vez publicado neste formato, alguém iria dizer que sua versão é a original e outros declarariam que a sua versão que era a original, e poderiam ser tão diferentes como branco e preto em algumas áreas. Criaria confusão, e com a confusão instalada, é impossível levar claridade. Nos círculos de inteligência isto é chamado de destruição de reputação.

Pense da seguinte forma. Você tem um conjunto de informação que é dirigida para seres específicos que vivem em todos os lugares do planeta. Você espera até que haja um sistema de comunicação que possa atingir cada um desses seres. Você tem que se certificar que a informação seja tão genuína quanto deve ser, mas que ainda tem que passar pelos censores, então você a codifica e a libera em fases.

A primeira fase é liberada como um acontecimento real, para testar a temperatura da água. A segunda fase é liberada com novos conteúdos e modificações, enfatizando que é uma mitologia para tranquilizar os censores. A terceira fase envolverá mais práticas e comportamentos, mas não em um contexto completo. A quarta fase provavelmente será o portal humano. A quinta fase provavelmente será esta entrevista. E as fases seguintes vão depender de como esta entrevista é recebida. De qualquer forma, cada publicação está sendo observada tanto pela hierarquia quanto pelos WingMakers.

Sarah: Ok, vamos voltar para a discussão sobre Deus.

Dr. Neruda: Ok… então, para responder sua pergunta, existe um deus? Existem muitos deuses. Alguns seres se apresentam como deuses, e outros seres manipulam outros a tal ponto que são considerados deuses. Ainda há inteligências coletivas que se movem entre as membranas quânticas e simulam qualidades divinas como onisciência e onipotência, mas não são deuses no sentido de O Criador. Existem até alguns seres que se apresentam como deus através do canal humano.

A visão dos WingMakers é que as antigas civilizações no universo acreditavam que existia um Criador, mas que este Criador, conhecido na filosofia dos WingMakers como a Primeira Fonte, é tão elementar, tão fundamental que é a essência fractal de toda vida em todas as variações. É o zigoto quântico da vida no seu mais básico nível. Não é possível conhecer como entendemos como conhecimento. É experiencial através do som que evoca este tom de igualdade dito na filosofia dos WingMakers. Não é compreensível através da mente, o que faz com que seja difícil de descrever ou expressar.

Este é o problema com algo tão elementar, tão fundamental, que é tudo e ao mesmo tempo não é nada. Como você faria para descrever algo assim que pudesse chamar a atenção dos seres humanos?

Sarah: Portanto, existe um Deus, mas ele é inacessível, é basicamente isto, certo?

Dr. Neruda: Sim, mas gostaria de dizer que a conexão é com o Criador, não um deus. O Criador está em toda a vida. Deus é mais um pai e, nos círculos religiosos, a figura de um pai humanizado a tal nível que podemos rezar para deus para nos dar coisas, ajudar-nos a remover obstáculos, aniquilar nossos inimigos e assim por diante. O Criador está alinhado com a unidade e igualdade, enquanto deus está alinhado com a separação e o medo.

A Primeira Fonte é o Criador de vida – a realidade manifesta de toda existência. O Criador vive dentro da vida como uma centelha infinita que conecta toda vida como iguais na unidade. Não está aqui para ser humanizado. Não pode ser humanizado, ou, na verdade, reduzido para qualquer outra forma de vida ou coisa. O Criador é a conjunção de toda existência na igualdade da unidade, e quando isto acontece, aí então deus existe. Quando isso não acontece, não existe deus, apenas um Criador. É tão simples quanto isso.

É dito em vários textos religiosos que deus criou o homem à sua imagem e semelhança. E desde que você reconheça Anu como deus, esta é uma declaração razoavelmente verdadeira. No entanto, o Criador criou a centelha infinita que anima a forma humana, e, portanto, o Soberano Integral é a criação, e Anu não tem nada a ver com isso. Ele apenas achou um jeito de escravizá-lo. A última coisa que vou dizer sobre o conceito de deus é que isto foi usado por religiosos para nos separar, isentar da responsabilidade. Isto nos permite dizer coisas como: não sou responsável pela pobreza, guerra ou pedofilia. Há um deus que é muito mais superior que nós. Deus criou o mundo, ele que comanda. Se ele permite guerra e pobreza, quem sou eu para assumir a responsabilidade? Os pecadores pagarão no inferno, e os virtuosos reinarão nos céus.

Portanto deus, ou o conceito de deus, nos exime de responsabilidade. O Criador, por outro lado, não é dessa forma, pois estamos todos ligados na unidade, e o que acontece para um acontece com todos, portanto, somos todos responsáveis por permitir que a separação governe nossos comportamentos. É importante reconhecer a diferença entre as criações do Criador e deus, especialmente dentro do holograma do engano.

Sarah: Depois de ouvir toda esta explanação – não apenas sobre Deus… Criador – mas sobre tudo que falamos esta noite, porque isto não poderia ter sido liberado como é definido nesta entrevista? Porque lançar as primeiras fases se lhes falta este contexto?

Dr. Neruda: Já tentei responder isto… deixe-me colocar da seguinte forma, mas entenda que isto é especulação, assim sendo leve como tal. Não há segurança que isto será liberado ou permaneça liberado. Esta é uma razão. Podem existir outras pessoas que precisam de informações da fase anterior, pois isto faz uma ponte com suas crenças melhor do que a informação da fase posterior. Esta é outra razão. Lembre-se, isto é tanto sobre a redefiniçao da mente inconsciente como qualquer outra coisa. A mente inconsciente é a ‘entrada’ que os Anunnakis deixaram aberta em seus projetos. É por onde o vetor do ‘hacker’ pode entrar, e é como as informações dos WingMakers foram levadas para dentro.

Sarah: O que você quer dizer com ‘vetor do hacker’?

Dr. Neruda: Os WingMakers estão ‘hackeando’ o programa da estrutura da nossa consciência da forma como foi projetado pelos Anunnakis; programado internamente no DNA e os implantes operacionais por Marduk; e programado externamente pela hierarquia, como por exemplo os Illuminati, defensores da globalização, elite da nova ordem mundial, Grupo Bilderberg, etc.

Os WingMakers devem entrar nesses programas pelos vetores que são menos protegidos ou defendidos pelos censores, e que tem potencial para uma rápida propagação. Tenha em mente que se os implantes operacionais da interface do humano são programáveis, são passivos de ‘hackeamento’ ou alterações, podem sofrer melhorias ou mudanças assim como um software. Portanto, a maneira ideal de entrar no domínio humano é por uma porta, que pareça inofensiva, até mesmo parte do sistema, e então, em silêncio semear um processo fractal que possa se espalhar pela camada da mente inconsciente.

O vetor não está alterando o programa sob a perspectiva do hardware ou do software. Ele utiliza a estrutura da consciência na interface do humano 2.0 sem modificar sua programação. É como um aplicativo colocado sobre o sistema operacional. É preciso que fique invisível até que apareçam determinadas condições. Uma vez encontradas essas condições, pode ser liberado, e quando é espalhado, não pode ser interrompido.

Sarah: Não estou familiarizada com o termo ‘aplicativo’, o que significa?

Dr. Neruda: É uma aplicação do software que não faz parte do Sistema Operacional, mas usa o Sistema Operacional ou opera o sistema.

Sarah: Se não está mudando a estrutura da consciência, o que está fazendo então?

Dr. Neruda: Permite que a pessoa inicie seu próprio processo do Soberano Integral, que a possibilita liberar a influência que esses sistemas têm da sua essência de vida. Não é modificar ou alterar o programa, é perceber a influência que esses programas têm sobre a consciência da essência da vida.

Sarah: Ok, acho que entendo… gostaria de voltar para esse processo. Você disse que têm duas principais partes, comportamentos assertivos e comportamentos persistentes. Você também falou alguma coisa sobre respiração, mas não ouvi você dizer algo específico sobre isso.

Dr. Neruda: Sim, a respiração é um caminho importante para levá-lo ao autoconhecimento. É como uma luz quântica que ilumina sua essência de vida – aquela parte de você que não é da interface do Humano 2.0. Você é capaz de sentir e começar a experienciar novamente este ser infinito que é você.

A respiração é algo que qualquer um pode usar sem muita complicação, evidentemente, está sempre com você. Não é necessário nenhuma tecnologia ou habilidade. Na verdade, é apenas uma maneira de deslocar a atenção para a essência do seu eu. Os WingMakers escreveram sobre a respiração quântica ou pausa quântica. É uma técnica da Sétima Filosofia.

Sarah: Você pode explicar como é isto?

Dr. Neruda: É muito simples. Você respira pelo nariz por 2-4 segundos ou como for mais confortável para você. Tendo enchido os pulmões, você pausa ou segura a respiração pela mesma quantidade de tempo que inspirou. Enquanto está na pausa – segurando a respiração – sinta isto como uma suspensão do tempo, e preencha este espaço com a sensação de EU SOU.

Sarah: Ok, desculpe interromper, me fale de novo, o que é a sensação de EU SOU? Como você define isso?

Dr. Neruda: É o aspecto soberano da consciência. Não é a personalidade que define sua experiência humana, ou como você costuma associar consigo mesmo. É a infinita consciência de você mesmo. Também é único. Eu sou único. É uma coisa: vida infinita. Não é a mente, nem o coração, nem o corpo, nem os sentimentos e emoções da personalidade. É único na sua profundeza e silêncio.

Sarah: Ok, vá em frente…

Dr. Neruda: Depois de segurar a respiração em seus pulmões, e manter isto com o sentimento de EU SOU, você expira pela boca, de novo pelo mesmo período de tempo, e então pausa novamente – seus pulmões estão vazios, e enquanto você pausa, mantenha o sentimento de NÓS SOMOS. Então repita este ciclo até sentir que terminou.

Sarah: Você poderia explicar o sentimento de NÓS SOMOS, também?

Dr. Neruda: Esta é a sensação de conexão com todos. A sensação que está conectado e que o sentimento do EU SOU, que manteve um pouco antes, está sendo compartilhado com todos. Eu uso a pausa da expiração para colocar qualquer uma das virtudes do coração que eu esteja trabalhando naquele momento. Por exemplo, eu poderia estar trabalhando na virtude da compaixão na minha vida pessoal, portanto mantenho este sentimento nesta pausa da expiração e imagino que está sendo compartilhado com todos.

Sarah: Acho que entendo o que está dizendo, e não gostaria que você levasse a mal, mas como isto pode competir com uma agenda dos defensores da globalização que quer dominar o mundo?

Dr. Neruda: É uma pergunta justa. Mas, olhe a realidade.

Há muitos que tem protestado contra esta escravidão. Ao longo da história tem havido pessoas que chegaram a essa conclusão por vários meios, e alertaram seus semelhantes para esta farsa. Podiam chamar isto de uma conspiração, no entanto, sem entender a profundidade desta farsa ou seu plano final, mas de qualquer forma sabiam sobre isso, e seja lá em que nível, todos sentiram medo. É o medo de que somos impotentes para detê-los.

A nata da elite estava planejando isso há mais de onze mil anos, antes mesmo do Humano 2.0 existir o plano já havia sido concebido. Eles têm seres interdimensionais poderosos que conhecem a humanidade intimamente, pois eles literalmente criaram o ser humano, e podem programar a humanidade com tanta granularidade a ponto de definir os caminhos da vida por baixo nas nossas escolhas diárias.

Como alguém poderia derrotar um antagonista desses? Eles têm o dinheiro, os políticos em seus bolsos, eles têm a defesa e a proteção, relacionamentos poderosos em todos os lugares do mundo e a mais poderosa tecnologia em termos de vigilância e armas. Seu círculo íntimo é impenetrável.

Podemos estar totalmente acordados e conscientes do que está acontecendo, a consciência – por si só – não muda de repente o tabuleiro de xadrez. Eles nos ridicularizam por protestar. Mostre sua insatisfação, publique seus websites, levantem seus punhos para o céu, investiguem tudo o quiserem, não muda nada. Vão dizer na nossa cara que seus poderes são inesgotáveis. É assim que eles pensam.

Eles querem que nos sintamos inúteis e tenhamos um forte sentimento que o desfecho é inevitável. Querem-nos acreditando que somos impotentes. Lembre-se, eles estão protegendo o mundo e sua população para a volta de Anu. Este é o programa deles, e enquanto somente a nata da elite entende este plano, é o suficiente, pois os operadores subalternos são leais, entidades programadas.

Tudo o que é preciso fazer é assistir Madeleine Albright na entrevista no ’60 Minutes’ e você vai entender como eles tem sido programados para pensar.

Sarah: Acho que não vi o programa, o que ela disse?

Dr. Neruda: Cerca de um ano e meio atrás, Lesley Stahl do ’60 Minutes’ perguntou para a Embaixadora para das Nações Unidas, Madeleine Albright, se a morte de 500 mil crianças valeu o preço para punir Saddam Hussein. Albright respondeu que sim. Veja, este é o inimigo que detém o poder. Se podem justificar a matança de crianças, eles podem fazer qualquer coisa.

Os WingMakers escreveram que não são os protestos que mudarão este inimigo. Se gritarmos contra eles e resistirmos com nossas armas nas ruas, eles nos esmagariam. Para acabar com isso, precisamos colocar o muro abaixo, e podemos fazer isto sendo praticantes do processo do Soberano Integral ou algo similar.

Se os seres humanos se tornarem entidades autoconscientes, desprogramadas, que entendem claramente como temos sido escravizados e suas razões, coletivamente podemos derrubar o muro que nos separa do nosso verdadeiro eu. Isto cria uma reação em cadeia que contamina todos, inclusive a elite. O muro cai para eles também.

É usando a consciência da essência da vida para revelar a consciência do Humano 2.0 como uma realidade inventada. É desatrelando-se do Holograma do Engano para a realidade que toda vida existe infinitamente como iguais na unidade.

Sarah: Ok… mas como sabemos que seremos bem sucedidos contra eles?

Dr. Neruda: Não sabemos… exceto aquilo que disse antes, ou seja, os WingMakers são humanos que viajaram no tempo para compartilhar a estrutura do Soberano Integral. Entendo que isto pode parecer ficção científica do Davi contra Golias. Reconheço isso, mas estou explicando o que sei tão direta e honestamente quanto posso descrever. Se alguém lê esta entrevista, assumindo que seja liberada em algum momento no futuro, então você pode decidir por você mesmo se o que digo resiste à sua análise.

Gostaria apenas de prevenir aqueles que consideram a possibilidade descartar tudo isto, que sua reação poderia ser uma resposta programada. É sua estrutura da consciência que está sentindo e respondendo. Pense nisto antes de descartar esta informação como ficção.

Sarah: Mas como a pessoa vai saber? Eu mesma me vejo duvidando desta revelação. Não me parece muito plausível. Como jornalista sou treinada para desconfiar das fontes, tanto quanto das informações que você compartilhou comigo, não consigo entender como isso é possível e que também eu nunca tenha ouvido sobre isso.

Dr. Neruda: A Hierarquia trabalha com a ilusão controlando os botões da máquina do poder absoluto. Esta máquina é —

Sarah: Mas você mesmo disse que a Internet era algo que eles não queriam que saísse.

Dr. Neruda: É verdade, mas mesmo que a tecnologia seja disponibilizada, eles encontram uma forma de usar em seu favor. Não importa qual seja o tipo de tecnologia, eles vão achar um jeito de subvertê-la, modificá-la e usá-la para seus objetivos. São seres extremamente brilhantes que têm obsessão pela centralização do poder e controle para que Anu possa ser introduzido sem resistência.

Sarah: O que acontece se uma boa quantidade de pessoas despertarem e se rebelar? Não poderíamos começar uma revolução e derrubar esses criminosos loucos?

Dr. Neruda: Eles não são loucos; eles são inteligências ardilosas que perderam todo senso de conexão com seu verdadeiro eu. Em muitos aspectos, eles são aqueles que estão perdidos, e por estarem tão perdidos, levaram inocentes ao seu ambiente de obediência. Nós os temos acompanhado. É nossa responsabilidade. O material está aqui, nesta entrevista, para despertar. Mas uma coisa é despertar, e outra coisa é saber o que fazer com isso.

Você falou de uma revolução, de acordo com os WingMakers isto seria um desperdício de vida. Eles não vão abandonar aquilo no qual trabalharam duro e durante tanto tempo para realizar. Isto só vai mudar quando o muro desabar. O muro é a estrutura da consciência do Humano 2.0 que está programada dentro de cada ser humano. O muro precisa ser empurrado para baixo e a forma para que isto aconteça não é através de protestos, empurrando os portões, ou brandindo nossos punhos nos rostos deles. Isto tem que ser feito através da auto realização individual, e isto, em função da nossa programação, precisa seguir um processo que nos torna independentes com nossa essência de vida.

Se ficarmos na separação, não vamos conseguir resolver o problema da separação. Se permanecermos na ilusão, não podemos descobrir nada de nossa verdadeira natureza. Portanto precisamos ver todos como um e iguais neste Holograma do Engano, e que inclua a nata da elite, tanto quanto o pobre e o faminto.

Sarah: Não vejo como as pessoas serão capazes de fazer isto. Talvez eu seja pessimista, não sei, mas haverá pessoas suficientes realmente aptas para fazer isso?

Dr. Neruda: No âmago de todo este quadro está uma única realidade, e esta realidade, tão difícil quanto possa ser para acessar, é que somos seres infinitos. Tudo que é do espaço-tempo está dentro do Holograma do Engano. Tudo.

Qual realidade você acredita que seja mais poderosa e duradoura?

Sarah? Qualquer uma que seja infinita…

Dr. Neruda: Não acredite na programação quando diz que você é impotente. O processo do Soberano Integral mostra que você não é meramente uma existência de vida programada.

Sarah: Sinto que poderíamos caminhar nessa conversa por horas, mas também percebo que você está tentando fechar o assunto. Como você está de tempo?

Dr. Neruda: Posso avançar um pouco mais, caso tenha mais perguntas.

Sarah: Tenho muitas perguntas… que tal fazermos uma breve pausa para que eu possa rever minhas anotações, e então reunir algumas perguntas para outros quinze minutos mais ou menos. O que acha?

Dr. Neruda: Lógico, está ótimo.

Sarah: Excelente, recomeçamos então em dez minutos.

(Depois de aproximadamente 10 minutos de pausa)

Sarah: O gravador está funcionando novamente, e já tenho minhas perguntas. Está pronto?

Dr. Neruda: Sim.

Sarah: Ok. Não parece uma coincidência que o Grupo Labirinto estava tentando criar uma tecnologia de viagem no tempo e você se depara com os WingMakers que são viajantes do tempo?

Dr. Neruda: Não totalmente—

Sarah: Mas como você realmente sabe que eles não são alienígenas ou algum outro tipo de seres não-humanos?

Dr. Neruda: Às vezes você tem que levar as coisas pelo valor nominal, quando não há evidência ao contrário e nenhuma comprovação que suportaria qualquer razão que estivessem mentindo.

Sarah: Através de toda essa discussão com você, esta entrevista é como se alguém viesse em minha casa e rearranjasse todos os meus móveis. Que conselho você daria para quem for ler isto e ficar um pouco paranoico ou desconfortável com esta informação, e o que deveriam fazer?

Dr. Neruda: Esta revelação não é para assustar ninguém ou alastrar paranoia. É para auxiliar as pessoas no seu próprio despertar como seres infinitos. É isto que realmente é. Este é o propósito da informação. Isto inclui todas as informações dos WingMakers em qualquer formato que estiver.

Há uma estabilidade da essência dentro de você que tem sido preterida em favor de respostas fabricadas e programadas para a vida. Você é programado para ter medo, pois assim abdica de suas liberdades para seus salvadores. E quem você imagina que serão os seus salvadores? Quem é que faz Saddam Hussein ser um monstro enquanto matam centenas de milhares de crianças para provar que seu poder é moral? As entidades por trás deste poder são aquelas que dão um passo a frente e declaram que vão salvar você. Como eles farão isto não se sabe, mas não tenho dúvidas que farão.

E sempre que agem dessa forma, o curral cresce em número e a população dentro dos currais cresce. As cercas ficam maiores. Aqueles que permanecem fora dos currais pensarão que tem visão ou informação privilegiada que permite a eles permanecerem independentes ou livres, mas ainda estarão operando dentro da interface do Humano 2.0.

A única pergunta verdadeira, da forma como vejo, tem duas partes, primeira: eu sirvo à verdade ou a ilusão? E a segunda, como posso melhor servir à verdade?

Se você sente que a melhor forma para servir a verdade é protestar, resista, tome consciência do que está acontecendo no mundo. Faça isso, mas recomendaria que fizesse sob uma perspectiva não polarizada. Você não pode lutar contra a separação com mais separação, isto somente vai polarizar. É importante sentir que você está de cabeça erguida, sem medo ou alguma outra emoção programada, e que está alinhado com sua essência de vida e na expressão dessa fonte dentro de você, mesmo quando protesta.

Outros podem preferir experimentar o processo do Soberano Integral e focar neste plano mais interno. Não tem uma fórmula única, e com certeza você pode experimentar ambas. Mas, conhecer esta informação e permanecer passivo – um mero observador – é uma resposta programada, e esta não é uma resposta para ‘como posso servir melhor à verdade’. Isto é uma negação da verdade.

Sarah: Você mencionou anteriormente que os Anunnakis emprestaram seu DNA para o Humano 2.0. Isso indica, portanto, que o DNA deles estaria presente em muitos de nós. É isso?

Dr. Neruda: Este é um assunto muito complicado. Sim, de acordo com os WingMakers, os Anunnakis, em uma tentativa de aprimorar o DNA humano, conduziram, como chamaríamos hoje, experimentos de fertilização in vitro com mulheres humanas. Eles precisavam de seu DNA para criar uma subespécie que resistisse gerações e produzisse soldados leais. Os Sirius fizeram a mesma coisa. Em termos de tendências do DNA, os Anunnakis eram os conquistadores, e os descendentes Sirius, os colonos. Isto é uma visão geral, admito, mas em termos mais amplos esta era a natureza de suas linhagens, quando comparadas com seus pares humanos.

O modelo de DNA para o Humano 2.0 era humano, mas isto tinha sido alterado. É aqui que as coisas começam a se complicar. Os Anunnakis não são seres físicos. Eles não existem na densidade tridimensional como conhecemos hoje. A Terra, 500.000 anos atrás, era um lugar muito diferente em termos densidade e campos gravitacionais que a circundam. Os Anunnakis eram seres interdimensionais, o que significa que eram infinitos assim como nós, mas sem o corpo físico. No entanto, todos os seres possuem DNA. É o equivalente quântico de um projeto. Experimentaram então como usar o DNA deles para criar seres físicos que funcionassem de acordo com sua agenda, que como já disse, era inicialmente para mineração de ouro, mas que mais tarde virou para escravidão de uma espécie que veneraria Anu. Quando os Anunnakis fertilizaram as mulheres humanas foi com linhagens reais, e isso não foi uma coincidência. Eles queriam essa linhagem real para que fossem mantidas por milhares de gerações a fim de que facilitassem seu plano mestre na Terra.

Sarah: Isto era uma coisa nacionalista?

Dr. Neruda: O que você quer dizer com isso?

Sarah: As linhagens eram Árabes, Judaicas, ou Gentios? Tinham determinadas características que eram perceptíveis no corpo humano?

Dr. Neruda: As linhagens Anunnakis eram inicialmente Babilônicas e Egípcias, mas se espalharam por quase todas as raças. Talvez não seja um exagero dizer que quase toda pessoa no planeta hoje tem uma percentagem ínfima do DNA real Anunnaki.

Sarah: Como eles eram, em termos de aparência? Presumo que fossem semelhantes a nós.

Dr. Neruda: Sim. Eram Atlantes, Anunnakis e estilo de corpo Sirius que foram efetivamente misturados para criar o protótipo do humano 1.0. Todos esses seres, embora menos densos, pareciam similares à forma humana. As raças não se misturavam, pois eram muito cautelosos em não mesclar seu DNA, porque havia uma incerteza do efeito e como isto poderia macular ou mudar a genética deles. Mas lembre-se, o corpo físico humano era um experimento, e literalmente olhavam para isso como uma proteção física, assim como olharíamos para uma roupa espacial.

Nenhuma dessas raças viveu na densidade da Terra, ou em um planeta como a Terra. Eles não perceberam como a Terra iria interagir com sua criação e causar uma evolução para direções que não podiam controlar ou prever. A Terra, como disse antes, era como uma variável aleatória, interferindo no corpo humano através de seus campos gravitacionais.

O cruzamento entre os Anunnakis e mulheres humanas ocorreu por volta de 6.000 anos a.C. e foi um evento projetado, e não de flertes luxuriosos com as filhas dos homens, como às vezes é retratado nos textos Sumérios. Isto fazia parte do projeto para colocar uma subespécie dentro da raça humana que conquistaria e controlaria os recursos da Terra. Foi para consolidar e centralizar recursos para Anu, e garantir que a riqueza do mundo seria colocada em suas mãos quando retornasse.

Sarah: A questão toda sobre LERM (Matriz de Realidade de Luz-Codificada) e como o Grupo Labirinto via isto como Deus, não entendo que se Fifteen tivesse lido a mesma informação que você, como ele não chegou às mesmas conclusões. Sei que você mencionou que tinha contatos adicionais com os WingMakers, e isto o convenceu da autenticidade da informação, mas porque Fifteen se fixou na perspectiva dele?

Dr. Neruda: Você pode olhar para LERM como a conexão entre o plano da Terra e os planos não físicos do holograma que Anu construiu dentro dos nossos implantes operacionais. LERM era a rede de conexão, e era bidirecional – o que significa que Anu seria projetado na estrutura de consciência do ser para ser visto ou ouvido, e isso também significa que Anu podia detectar e observar a vida de uma pessoa. LERM é conhecida como a Luz Branca, e a Grande Fraternidade Branca é conhecida como sua guardiã. Eles se apropriaram de Jesus e Buda como seus pilares fundamentais, roubaram o conceito do EU SOU, misturaram esses elementos com a Luz Branca, que tem sido um papel importante em todas as religiões, no ocultismo e doutrinas esotéricas através do tempo, e anunciaram nos anos de 1950 que A Grande Fraternidade Branca era um organização real.

Logo depois disso, mestres ascensos começaram a se juntar às fileiras, e os canalizadores humanos tornaram-se porta-vozes dessas entidades. Sob a perspectiva dos WingMakers, essas entidades são adereços do plano da polaridade para manter os seres humanos firmemente ancorados na separação, distração e ilusão.

Sarah: O que isto tem a ver com a decisão de Fifteen?

Dr. Neruda: Desculpe, mudei um pouco de assunto… Fifteen conhecia a Grande Fraternidade Branca. É considerado um elemento muito importante na Hierarquia como um todo – muito próximo da nata da elite ou aquilo que um pouco antes chamei de Incunábula. A Grande Fraternidade Branca era vista como um meio para trazer informações ocultas ou secretas para o planeta, e foi projetada para equilibrar o movimento de secularização, que era basicamente libertar o planeta da religião e trazer ciência para o palco.

Fifteen não estava suficientemente convencido para romper com a Incunábula e a Grande Fraternidade Branca. Ele preferia ver LERM como prova de Deus, e deixar seu mundo intato. Aliás, esta não é uma reação fora do comum para esta informação. Notáveis, tão brilhantes como Fifteen, farão esta escolha para manterem-se no mundo conhecido em vez de se aventurar no desconhecido. No caso de Fifteen, ele tinha muito a perder.

Sarah: Porque a elite queria se libertar da religião?

Dr. Neruda: Primeiro gostaria de corrigi-la na escolha das palavras. Não é a elite, como a maioria das pessoas pensam neles. A grande maioria da elite é formada de executivos, financistas, empregados do governo, políticos importantes, comandantes militares e afins. Eles não tomam essas decisões. A vasta maioria não tem ideia ou qual é a agenda. Esta é a razão porque me refiro a isto como a nata da elite. Estes são aqueles que vêm preparando o mundo para a volta de Anu.

Agora, de volta para sua pergunta, a religião era vista como um obstáculo para a nova ordem mundial. O mundo quântico da ciência estava flexionando seus músculos, contestando elementos chaves da doutrina religiosa, e se isto fosse deixado sem controle descobririam o holograma – mas não o engano, a fraude. A Grande Fraternidade Branca foi lançada para o público na década de 1950, assim que o mundo quântico estava começando a mostrar seu tamanho, mas volta para o século dezoito quando se referiam a ela como o Conselho de Luz, e mesmo antes era um conceito mantido em muitas sociedades secretas.

A ideia de mestres ascensos, comunicando-se uns com os outros telepaticamente, instruindo e orientando sobre as questões dos homens, ganhou alguma popularidade com aqueles que estavam desencantados com a religião organizada. Para ser justo, algumas das informações canalizadas vinham de seres que eram consideravelmente mais informados que o homem médio, e deslumbravam a maioria das pessoas com seu conhecimento superior da ordem cosmológica e das estruturas das coisas relativas a deus, mas suas descrições e explanações tinham seus alicerces no Holograma do Engano. Enquanto esses mestres supostamente canalizavam o secreto ou conhecimento oculto para seus alunos selecionados, que depois escreviam livros e criavam organizações, esta informação continuava a separar os mundos de luz e escuridão, o bom e o mal e aqueles que conheciam dos que não conheciam.

Usavam palavras como amor, ascensão, verdade e deus mais abundantemente que as religiões organizadas, e deus era sempre retratado como uma força de amor e cristalino. Anjos e seres cósmicos também eram associados com essas organizações. Eles não somente se apropriaram de símbolos e modelos como alma e vida eterna, mas também criaram a escada da consciência que se estendia até o infinito, na qual o estudante estava sempre tentando aprender mais para subir mais alto na escada.

A ascendência de um sobre o outro. Este era o conceito chave da tática de separação da Grande Fraternidade Branca, e na verdade, de todas as sociedades secretas. Criar divisões de conhecimento, acrescentar um ritual ou dois, e prometer mais poder e mais conhecimento, enquanto você, o estudante, trilha o caminho. Eles não falam sobre como se desprogramar da separação, ao contrário, eles reforçam esse conceito.

Sarah: Você compartilhou informações nas entrevistas anteriores sobre a Raça Central. Nas minhas anotações, você até disse que eles eram responsáveis pelo nosso DNA. Eles são os Anunnakis?

Dr. Neruda: Não. Não, você tem que definir DNA em duas formas. Uma é o instrumento humano ou corpo, emoções e sistema da mente, e que se origina de um sistema de DNA, cortesia dos Anunnakis e principalmente dos Sirius. O segundo é o ser infinito dentro do instrumento humano, que também é baseado em DNA, e é o modelo quântico da consciência do Soberano Integral. O último é o DNA desenvolvido pela Raça Central.

Sarah: Na segunda entrevista você fez algumas importantes declarações sobre os sete lugares dos WingMakers como sendo uma arma defensiva, e que isto de alguma forma estava relacionado com a experiência das pessoas com os materiais dos WingMakers. À luz desta revelação esta noite, você pode explicar como isso funciona?

Dr. Neruda: A total importância da revelação dos WingMakers é sobre o Soberano Integral, e como a humanidade se beneficia quando este estado de consciência se encontra dentro da expressão humana. A exigência para manter esta revelação no reino da ficção científica e mitologia era a razão de eu ter falado sobre a arma defensiva—

Sarah: Portanto, você está dizendo que isto era apenas uma lenda?

Dr. Neruda: Esta parte era. Veja, os materiais dos WingMakers são, desde sua concepção, compostos de muitas vertentes de informações. Algumas vertentes são narrativas, algumas são artísticas, outras são espirituais, outras ainda estão relacionadas com conspiração, e algumas são projetadas para serem factuais, revelações coerentes do que realmente está acontecendo em nosso mundo. A vertente da narrativa envolve outras vertentes – de certa forma, protege estas vertentes internas.

Já expliquei porque isto acontece desta forma, e se alguns acham que seria mais fácil apenas fornecer os fatos, e se estes fatos fossem revelados agora (Entrevista concedida em 1998. N.T.), você não teria visto, ouvido ou lido esta informação. O material dos WingMakers teriam sido censurados ou retirados e desacreditados. Acho que ainda vai ter uma dose disso tudo de qualquer forma quando e se esta entrevista for liberada, mas a vertente de novela foi necessária para dar uma embalagem aceitável para liberar o processo do Soberano Integral.

Sarah: Mas me preocupa que a informação que você forneceu nas quatro entrevistas anteriores é criada, pelo menos em parte, como uma narrativa. Como faço para apresentá-la para qualquer fonte de notícias como verdadeira?

Dr. Neruda: Não tem como.

Sarah: Então, o que faço com isso?

Dr. Neruda: Ou você vai divulgar como uma narrativa, ou eu o farei. Se você preferir não divulgar, eu vou entender.

Sarah: Você não poderia me dizer quais são as partes que são narrativas, e quais são verdadeiras?

Dr. Neruda: Poderia, mas não foi dessa forma que me foi pedido para passar esta informação.

Sarah: Mas eu já investi um bom tempo nisto, e se eu for investir minha reputação também, eu preciso focar nas partes que são verdade, de outra forma, não posso provar nada quando me for perguntado se é uma narrativa verdadeira.

Dr. Neruda: Todos querem conhecer a verdade absoluta. Querem alguém para apontar esta frase ou o preceito ou esta doutrina e que explique para eles que isto é verdade, acredite. Isto tem sido o jogo neste planeta sempre, desde que os humanos começaram a contemplar seu universo de uma forma filosófica. Toda essa verdade comum a todos nos levou para onde? Onde matamos crianças para punir líderes? Onde os líderes prendem as pessoas em campos de concentração? Onde líderes religiosos abusam de crianças? Portanto, gostaria de te perguntar, qual é o valor da informação que coletivamente trouxe a humanidade até aqui?

Você quer aqueles que mostram a verdade. Ninguém pode fazer isso, e sua prova… é que ninguém tem.

Sarah: Por quê?

Dr. Neruda: Porque somos soberanos e devemos nos experimentar desta forma, e não permitir que outros decidam o que devemos ou não acreditar, ou o que é verdade ou mentira. Gostaria que não vivêssemos no Holograma do Engano, mas esta é a nossa realidade humana, e lamentar não vai mudar nada. Estudar os pretensos mestres da verdade não mudará nada também.

Dr. Neruda: Posso lhe mostrar uma biblioteca de livros específicos para informações esotéricas. Alguns desses livros foram escritos como não ficção, e por tudo que contém parecem passar credibilidade e profundidade, e mais, se você cuidadosamente prestar atenção nas palavras, vai ver como estão separando você dos demais. Como eles definem uma Hierarquia. Como definem uma alma que está sempre aprendendo, um humano que sempre é pecador e fraco. Como descrevem um universo que é infinitamente hierarquizado. Como a luz ilumina aqueles que seguem determinadas práticas. Isto pode ser muito sutil. Eles podem estar falando sobre unidade, mas existem julgamentos presentes nas palavras, ou recriminações se não executar corretamente as práticas, ou sugestões para que você não misture esta prática com qualquer coisa a mais, ou será rebaixado, ou para participar e promover este caminho mais que outro.

Parte do processo do Soberano Integral é praticar seu discernimento, que o habilita a acreditar em você, não no universo ou algum mestre ou professor, mas você, despido de todos os seus programas, crenças, padrões de pensamentos, medos, culpas, histórias, julgamentos, vergonha, vaidade… tudo que prende você no passado. Se você pudesse abandoná-los todos – tudo que lhe foi ensinado, dito e programado para acreditar – o que sobraria para ouvir? Silêncio. Um profundo e claro silêncio. Isto é você.

Quando você descobre isso, vai perceber que todo mundo também tem a mesma coisa. Anu tem, Lúcifer tem, Jesus, seu vizinho, seu marido. Todo mundo. Portanto que prova você precisa para descobrir isso? Que prova posso lhe mostrar ou dizer para dar isso a você? Não posso. Posso passar um processo que se você seguir vai descobrir esta experiência dentro de você, mas isto é tudo. O processo é grátis, só é necessário tempo. O processo não pertence a ninguém. O processo não faz parte de ninguém, é apenas você. Uma vez estando no caminho deste processo, só depende de você seguir o caminho ou rejeitá-lo. Todos devem conseguir essa percepção da unidade e igualdade na vida na Terra. Este é nosso clamor para a ação como espécie. E em minha opinião, qualquer um ou qualquer coisa que lhe diga o contrário está perdido ou confuso.

Uma coisa mais, o encadeamento da história pode ser exatamente aquilo que ativa alguém para o processo do Soberano Integral, e acho que este era o ponto que os WingMakers passaram com essas informações. Tudo no trabalho deles está sinalizando o processo individual do Soberano Integral e a realização do Grande Portal.

Sarah: Se Anu é quem nos foi ensinado como sendo deus, quem então é Lúcifer?

Dr. Neruda: É exatamente por esta razão que você tem que ser soberano. Porque em um mundo onde Anu é deus, é fácil presumir que Lúcifer seja o real portador de luz. Mas lembre-se do que disse várias vezes, todos estão perdidos neste Holograma do Engano, da Farsa, o Holograma da Fraude. Se todos estão perdidos, como pode alguém conduzi-lo para a verdade? Não pode. A verdade é a auto expressão do seu eu infinito na forma humana na Terra. Esta é a mais próxima definição da verdade que sei. Pode não ser a mesma para você ou para aquele que lê esta entrevista no futuro, mas esta é a minha definição da verdade.

Lúcifer defende esta tese? Não sei o que ele defende. Se alguém não está apoiando minha verdade objetiva, não vejo porque eu iria para outra direção.

Você me pergunta quem é Lúcifer. Existem mil maneiras de responder essa pergunta – várias delas eu já tenho. Para acrescentar outra definição, ele não é uma polaridade de Anu ou sua marionete. Em um nível básico ele vive em igualdade e unidade da mesma forma que nós. Ele despertou? Eu não sei. Não tenho me encontrado com ele. Não tenho falado com ele. Se tivesse, minha primeira pergunta seria se ele apoia a liberdade dos seres humanos, do tipo que acabei de definir, e se ele dissesse ‘sim’ então aceitaria sua palavra até ver evidências ao contrário. Se dissesse ‘não’ eu me retiraria de sua presença. Se dissesse ‘talvez’ eu teria uma conversa com ele e o convidaria para apoiar este movimento.

Todos estão despertando. Sei que parece como se a ativação estivesse em super “slow motion”, mas entre setenta e oitenta anos uma enorme mudança pode acontecer na percepção da humanidade daquilo que realmente está acontecendo neste mundo. Não tem jeito de esconder isso. Já está na camada da mente inconsciente e continuará a se espalhar até colocar o muro abaixo.

Sarah: Isto é mais um comentário ou observação do que uma pergunta, mas o processo do Soberano Integral parece existencial em vez de transcendental. Parece também uma jornada solitária em vez de um grupo organizado onde um apoia o outro. Minha percepção está correta?

Dr. Neruda: Sim, parcialmente. Acho que é o aspecto soberano que você está pegando. É um processo interno para a pessoa desenvolver dentro de si mesmo, mas o aspecto integral é coletivo, e não quero dizer que seja como uma estrutura organizacional. Este processo precisa estar fora das mãos de qualquer organização ou pessoas. Não é possível possuir ou controlar isto dentro de uma estrutura organizacional. Penso que as pessoas podem usar a Internet e se comunicarem via e-mail para um apoiar o outro. Alguns vão precisar desse tipo de suporte; outros vão preferir trabalhar por conta própria.

Com relação a ser existencial, sim, é isso mesmo. Isto não é sobre ascender para planos superiores dos céus e passar o tempo em reinos perfeitos do espaço, enquanto seus companheiros seres humanos estão perdidos, escravizados e encurralados em espaços cada vez mais restritos. Estamos falando de compartilhar as virtudes do coração e a verdade da existência nos seus comportamentos aqui, na Terra. Estamos falando em tornar a Terra um lugar onde os seres humanos possam expressar sua essência de vida sem a interferência do hardware de Anu e do software de Marduk, e derrubar o programa externo que dá origem ao medo e separação e todas aquelas características infantis como narcisismo e ódio.

Sarah: Se eu decidir divulgar esta informação, tenho que praticá-la?

Dr. Neruda: Não.

Sarah: Posso levar algum tempo para pensar a respeito?

Dr. Neruda: Quanto tempo você precisa?

Sarah: Talvez uma semana…

Dr. Neruda: Sem dúvida, você pode demorar mais se precisar.

Sarah: Você já se resignou com a ideia de que será preso?

Dr. Neruda: Sou realista. Não acredito que o ACIO fará qualquer coisa de forma precipitada. Simplesmente vão me isolar em uma quarentena.

Sarah: O que isso significa?

Dr. Neruda: Vou ficar preso, fora dos radares, completamente isolado.

Sarah: E sobre Anu?

Dr. Neruda: Anu é simplesmente um nome do líder real da raça dos Anunnakis. Seu nome é um símbolo de mais de um ser, que é a nata da elite. Você também poderia olhar Anu como a existência programada da raça humana; ele vive em cada um em algum grau. A apresentação de Anu por ele mesmo, é que é onisciente e onipresente, e isto é verdade de certa forma, portanto tenho que lidar com esta realidade. Todos aqueles que despertarem e praticarem este processo encontrarão esta resistência de uma forma ou de outra.

Sarah: Mas se as pessoas ouvirem que terão que lidar com Anu, não irão fugir disto? Quem vai tentar e lutar com esta… esta máquina?

Dr. Neruda: Sob a perspectiva dos WingMakers, milhares, e centenas de milhares, e então milhões. O muro pode colapsar em instantes quando a massa crítica for alcançada.

Sarah: Mas isto não viria acompanhado de histeria e pânico? Por um momento pensei que O Grande Portal fosse uma descoberta tecnológica da alma, e estaria na Internet para todos verem e experimentarem no conforto de seus lares. Mas não é bem assim, certo?

Dr. Neruda: Não. Está mais para um colapso de realidade em uma escala em massa, onde seres infinitos de repente se encontram despertos dentro do uniforme humano e se perguntam com o que aconteceu.

Sarah: E se não acontecer? O que acontece se eles ganham e o trans-humanismo 3.0 é o novo humano sendo trancado em um mundo de separação? E aí?

Dr. Neruda: Não sei como responder essa pergunta, poderia apenas dizer que a informação fornecida pelos WingMakers é um novo ponto de inserção, que necessariamente significa um novo caminho. Talvez isto leve mais tempo, mas acontecerá. Tem que acontecer. Somos seres infinitos, e este fato não pode ficar engarrafado indefinidamente.

Sarah: Entendo, mas todo o conceito de seres infinitos – que está por aí há séculos. Alma que é um conceito antiquíssimo. O que tem de diferente?

Dr. Neruda: Sim são conceitos que estão por aí há milênios, mas estão engarrafados em três partes: primeiro: reencarnação e Karma; segundo, seja bom e obediente e se junte àqueles que estão no céu; e terceiro, ascenda para planos superiores de existência e eventualmente torne-se um professor dentro da Hierarquia. O quarto caminho, embora não relacionado com a alma, é que nós somos simplesmente humanos de carne e sangue e não temos alma.

A alma do indivíduo é construída a partir de uma dessas premissas, assumindo que você seja uma alma. Cada um desses caminhos, como já disse, está dentro do Holograma do Engano. Esses caminhos não levam para fora do muro, e com certeza não fazem o muro menos estável.

Ser auto realizado como um ser infinito dentro de um corpo humano na Terra, desconectado do controle da interface do Humano 2.0, é o quinto caminho. Vivemos em um jogo no qual existem quatro portas e o locutor se mantem insistentemente repetindo a instrução: ‘escolha uma das quatro portas’, ignorando completamente que existe uma quinta porta.

Este novo ponto de inserção começa na opção da quinta porta. É isso que é diferente.

Sarah: Gostaria de poder continuar com mais e mais perguntas, mas acho que é um bom momento para parar.

Dr. Neruda: Concordo Sarah.

Sarah: Ok, vamos dar isto por acabado, mas antes gostaria que você desse uma última palavra.

Dr. Neruda: Bem, primeiro, obrigado por sua receptividade nestas duas semanas. Suas perguntas foram boas condutoras, e com toda sua modéstia, você abraçou esta informação com grande naturalidade, o que me permitiu ser o mais aberto possível. Você ajudou a todos aqueles que lerão esta entrevista, portanto em nome deles, obrigado.

Sinto que tenha passado tudo que me foi pedido para informar. Percebo que no início da entrevista as coisas ficaram um pouco atrapalhadas. Não tinha muita certeza de como fazer isto de forma correta. Sei também que alguns irão querer ter mais informação, mas o que é mais importante, o material crítico está aqui, nesta entrevista. Com certeza poderia fornecer mais detalhes e nuances, mas não importando a quantidade de detalhes e nuances que eu trouxesse, nunca seria suficiente para algumas pessoas. Isto tudo é sobre ação no comportamento, e não leitura ou absorção de informação de outra pessoa. O relance que forneci é um bom começo, e na verdade é tudo que se precisa para um ponto de inserção. Percebo que isto pode parecer como uma viagem fantástica de personagens de ficção e de eventos improváveis, que não devem ser levados a sério demais, mas na minha ótica, esta revelação dos WingMakers é a mais importante.

Sarah: Obrigado, Dr. Neruda.

 

Fim da entrevista.

 

8 – PINTURAS E MÚSICAS ==>