Características Indicadoras de altas habilidades/superdotação nas crianças e jovens





Há vários inventários e listagens elaborados por especialistas contendo indicadores e características específicas que permitem a identificação de comportamentos e perfis de alunos com altas habilidades/superdotação.
Estes instrumentos podem ser de grande valia, para os pais e professores, na identificação de necessidades educacionais especiais, que precisam ser atendidas, no contexto escolar.

Dificilmente um aluno vai apresentar todos os indicadores contidos num determinado inventário, mas com frequência, vários aspectos de suas características serão apontados. Além disso, dificilmente um inventário conterá todos os indicadores possíveis, já que cada um se origina de uma leitura teórica que, como já vimos anteriormente, está sempre em processo de ampliação, englobando novas áreas de desempenho.

Assim, é importante que tanto os pais, como os professores, ao utilizar um inventário ou ficha, tomem seus elementos como exemplos possíveis de traços na identificação de altas habilidades/superdotação. Entretanto, é também importante considerar que quanto maior o número de traços presentes em uma criança, maior a segurança que se pode ter da presença da superdotação.

Whitmore (1985), publicou um documento denominado “Características das crianças intelectualmente dotadas”, que aqui transcrevemos com o intuito de auxiliar o trabalho de observação de pais e de professores, ao estudar crianças que parecem apresentar altas habilidades.Pequenos ajustes de expressão foram efetivados na tradução, para facilitar a compreensão do texto.

Lembramos, entretanto, que a superdotação pode existir em somente uma área da aprendizagem acadêmica, tal como matemática, por exemplo, ou pode ainda ser generalizada em habilidades que se manifestam através de todo o currículo escolar (Lewis e Doorlag, 1991).

CARACTERÍSTICAS COMPORTAMENTAIS GERAIS

Muitos aprendem a ler mais cedo que as demais crianças de sua idade, apresentando uma melhor compreensão das nuances da linguagem… é frequente que leiam com maior rapidez, mais intensidade e apresentem vocabulários mais amplos. Mas existe um outro grupo que também pode apresentar dificuldades em ler e escrever até a pré-adolescência, porque justamente suas altas habilidades estão voltadas para outra área.
• Geralmente aprendem habilidades básicas melhor, mais rapidamente, e com menor número de exercícios práticos. 
• Frequentemente são capazes de identificar e de interpretar dicas não verbais, elaborando inferências que outras crianças dependem do adulto para fazer. 
Têm menor aceitação de “verdades prontas”, buscando os “como” e os “porques”.

• Apresentam melhor habilidade de trabalho independente, mais cedo e por períodos de tempo mais longos que outras crianças.

• Podem manter períodos de concentração e de atenção mais longos, principalmente nos assuntos de seu interesse ou que fogem do convencional.

• Seus interesses são, frequentemente, tanto amplamente ecléticos como intensamente focalizados.

Frequentemente apresentam uma energia aparentemente interminável, que às vezes conduz a um diagnóstico errôneo de “hiperatividade”.

• São geralmente capazes de responder e de se relacionar bem com pais, professores e outros adultos. Eles podem preferir a companhia de crianças mais velhas e de adultos, ao invés da companhia de colegas da mesma idade.

• Eles são sempre motivados a examinar aquilo que é incomum, sendo altamente inquisitivos (fazem muitas perguntas, buscando compreensão do fenômeno).

• Seu comportamento é frequentemente bem organizado, direcionado para um objetivo, e eficiente no que se refere a tarefas e à solução de problemas.

• Eles exibem uma motivação intrínseca para aprender, para descobrir ou para explorar, sendo frequentemente muito persistentes. “Eu prefiro eu mesmo fazer” é uma atitude comum.

• Eles gostam de aprender coisas novas e de novas formas de fazer as coisas.

• Eles apresentam capacidade de manter períodos mais longos de atenção e de concentração, do que seus colegas, principalmente quando se trata de assuntos de seu interesse.

CARACTERÍSTICAS DE APRENDIZAGEM

• Eles podem apresentar poder de observação, exibir uma percepção clara do que é significativo e ser especialmente atencioso para detalhes importantes.

• Eles podem ler com bastante independência, mostrando preferência por livros e revistas escritos para crianças mais velhas.

• Frequentemente demonstram grande prazer na atividade intelectual.

• Eles apresentam capacidades bem desenvolvidas de abstração, de conceituação e de síntese.

• Geralmente têm um rápido insight das relações de causa e efeito.

• Frequentemente apresentam uma atitude de questionamento e de busca de informação pelo simples prazer de dominar o conhecimento, bem como pelo seu valor instrumental.

Frequentemente são céticos, críticos e avaliadores. São rápidos na identificação de inconsistências.

• Frequentemente, armazenam uma ampla gama de informações, relativas a uma variedade de assuntos, as quais podem acessar e às quais podem recorrer, rapidamente.

• Mostram uma pronta compreensão de princípios implícitos, e podem, frequentemente, fazer generalizações válidas sobre eventos, sobre pessoas e sobre objetos.

• Eles podem rapidamente perceber semelhanças, diferenças e anomalias.

• Frequentemente abordam um material complexo, dividindo-o em seus componentes e analisando-os sistematicamente.

CARACTERÍSTICAS DE PENSAMENTO CRIATIVO

• São pensadores fluentes, capazes de produzir uma grande quantidade de possibilidades, de consequências, ou de ideias correlacionadas.

• São pensadores flexíveis, capazes de usar muitas alternativas e abordagens diferentes para a solução de um problema.

• São pensadores originais, buscando associações e combinações novas, incomuns ou não convencionais, entre itens de informação. Eles também apresentam a habilidade de perceber relações entre objetos, ideias ou fatos aparentemente não relacionados.

• São pensadores elaborativos, produzindo novos passos, ideias, respostas, ou outros embellishments perante uma ideia, uma situação, ou um problema básico.

• Mostram desejo de se entreter com assuntos complexos, parecendo vibrar em situações que envolvem problemas a serem solucionados.

• São muito imaginativos, intuitivos e bons “adivinhos”, podendo, rapidamente, construir hipóteses ou questões do tipo “como seria, se…”.

• Frequentemente têm consciência de sua própria impulsividade e da irracionalidade em si próprios, mostrando sensibilidade emocional.

• Apresentam um alto nível de curiosidade sobre objetos, ideias, situações ou eventos, principalmente sobre aqueles que fogem do convencional.

• Frequentemente mostram uma prontidão para o exercício intelectual, para fantasiar e para imaginar.

• Podem ser menos inibidos intelectualmente que seus colegas, ao expressar opiniões e ideias, bem como frequentemente exibem uma discordância espirituosa.

• Têm sensibilidade para a beleza e são atraídos para as dimensões estéticas de um fenômeno, de um evento, de um espaço ou de uma idéia.

As características descritas anteriormente podem se manifestar de forma construtiva, favorecendo a aprendizagem e boas relações interpessoais, como podem se manifestar de forma dificultadora, determinando relações interpessoais difíceis e dolorosas. Neste caso, pode ocorrer intolerância, ridicularização e falta de compreensão por parte dos colegas e professores, bem como o aluno pode ser considerado estranho ou “anormal” pelos professores. Geralmente, tal situação pode se encaminhar para a rejeição da criança, seu isolamento, marginalização e consequente exclusão da escola ou do grupo social ao qual pertence.

Assim, o pensamento crítico, por exemplo, tão importante para o processo de aprendizagem e de desenvolvimento da criança, pode se manifestar através de:

• Uma tendência a discordar verbalmente das outras pessoas, inclusive dos professores, quanto a suas ideias ou valores.

• Uma tendência a dominar os colegas e as pessoas, de maneira geral.

• Ser autocrítico, crítico dos outros, dos professores, mostrando impaciência com falhas.

O alto grau de motivação, igualmente, pode determinar:

• Recusa da aceitação de autoridade.

• Inconformismo, teimosia exagerada.

• Dificuldade em largar a atividade na qual está interessada, e passar para um próximo tópico, por exigência do professor ou do adulto responsável.

• Tendência a dominar as demais pessoas.

• Discordar, frequentemente, das demais pessoas, inclusive dos professores.

Por outro lado, a criatividade pode também se manifestar de forma negativa, através de:

• Desinteresse por tarefas rotineiras.

• Impaciência ao ter que esperar que os demais alunos do grupo terminem suas atividades.

• Recusa a fazer tarefas que não representam um desafio.

• Apresentação de piadinhas e de ironia para criticar as demais pessoas.

• Ser percebido, pelos colegas, como uma pessoa exibida.

• Ser percebido como teimoso, voluntarioso, não cooperativo e apresentar desinteresse por detalhes.

• Apresentação de trabalhos e cadernos desorganizados e sujos.

No aspecto afetivo-emocional, também pode manifestar:

• Hipersensibilidade emocional, enraivecendo-se facilmente, apresentando reações emocionais exacerbadas para as situações, ou chorando se as coisas não saírem como desejam.

• Vulnerabilidade e fortes reações emocionais a críticas.

• Recusa a participar de atividades nas quais não se sobressaia, limitando, assim, suas possíveis experiências apenas com atividades agradáveis e fisicamente construtivas.

Tanto os pais, como os professores, precisam primeiramente procurar identificar as características presentes na criança, para então buscar as formas de poder ajudá-la a utilizar suas habilidades e competências, com vistas ao benefício de sua aprendizagem e desenvolvimento geral nos aspectos físicos, cognitivos, intuitivos, afetivos e sociais.

Os alunos com altas habilidades/superdotação nem sempre apresentam as mesmas habilidades e aptidões, nem todos têm o mesmo potencial e não necessitam apresentar todo o conjunto de características descritas. 
Observa-se com frequência um conjunto de indicadores, em componentes combinados de algumas características (comportamentais, aprendizagem, criatividade entre outros).

Entre os tipos de altas habilidades/superdotação, apontam-se tradicionalmente:

1) o tipo intelectual, que apresenta flexibilidade, independência, fluência de pensamento, produção intelectual, julgamento crítico e habilidade para resolver problemas;

2) o tipo social, que revela capacidade de liderança, sensibilidade interpessoal, atitude cooperativa, sociabilidade expressiva, poder de persuasão, influência no grupo;

3) o tipo acadêmico, com capacidade de atenção, concentração, memória, interesse e motivação pelas tarefas e capacidade de produção;

4) o tipo criativo, com capacidade de encontrar soluções diferentes e inovadoras, facilidades de auto-expressão, fluência, originalidade e flexibilidade;

5) o tipo psicomotorcinestésico, que se destaca por sua habilidade e interesse por atividades físicas e psicomotoras, agilidade, força e resistência, controle e coordenação motoras;

6) e finalmente, o tipo talentos especiais, que revelam destaque em artes plásticas, musicais, literárias e dramáticas, revelando especial e alto desempenho (conceituação adotada pelo MEC/SEESP, 1995).
Fonte: Projeto Escola Viva – Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial
Acompanhe, curta nossa Instituição:

Comentários

Autor: Instituto Mensageiros do Amanhecer
Tags
Accessibility
Fechar